O Amor é Fodido

Tou apaixonada de novo e o nome dele é Miguel: Miguel Esteves Cardoso ou apenas MEC.

Como resistir a um escritor que manda logo no primeiro parágrafo:

Quanto mais vou sabendo de ti, mais gostaria que estivesses viva. Só dois ou três minutos: o suficiente para te matar.

Capa do livro O Amor é Fodido, de Miguel Esteves cardosoO Amor é Fodido é talvez a história de amor mais desesperado desde – sei lá, Romeu e Julieta? Ao contrário do drama shakespereano, no entanto, a gente se pega torcendo pelo casal [eu me peguei, quero dizer]. O livro é todo narrado na primeira pessoa e faz surgir a seguinte questão: por quê MEC não é publicado no Brasil ou, pelo menos, importado pelas lojas habituais?

É foda.

X-Men: Os Filhos do Átomo

Capa da HQ X-Men Os Filhos do Átomo Revisão de Joe Casey sobre o início da Escola Xavier para Jovens Dotados; uma espécie de prequel* dos cinco primeiros mutantes recrutados assim que os primeiros sinais de intolerância [de parte a parte] começaram a virar notícia de jornal.

O interessante nessa HQ é como o milionário Charles Xavier é retratado: quem assistiu os filmes fica com a impressão de ver um Mahatma Ghandi reencarnado. Em Filhos do Átomo [X-Men: The Children Of Atom] não há diferença nenhuma entre Magneto, os Homo Sapiens da milícia anti-mutuna e Xavier. O ódio e os métodos são os mesmos.

Continue lendo

Dois de Wolverine

Capa da HQ Dvida de HonraReedição da série escrita nos anos 80 por Chris Claremont [Deus ama, o homem mata, origem do filme X2] e desenhada por Frank Miller [Batman - Cavaleiro das Trevas]. O lema de Wolverine bem poderia ser adotado por Claremont: “Sou o melhor no que faço” – e o melhor que ele faz é escrever os roteiros da linha X. Neste ele recria Logan, tornando-o mais humano em vez de um animal que resmunga, retalha e mata [mais ou menos nessa ordem] em seu amor por Mariko Yashida.

Capa da HQ Ilha XA primeira página de Wolverine: Ilha X já vale por todas as outras 115. É um detalhe do quadro “Marooned Pirate” de Howard Pyle e uma única frase de Logan: “Não tô gostando”. Ele e e sua filha adotiva Amiko estão num museu e o único quadro de que ele gosta é “A Morte de Sardanapalo“, de Eugene Delacroix, ou violência e mulher pelada, como bem resume a filha.

Mesmo assim, como não se apaixonar por Logan?