Fúria Sobre Rodas

Pôster do filme Fúria Sobre RodasQuando a sacolinha da locadora chegou e vi um dos filmes que continha, eu pensei que tivessem trocado na hora de entregar. Já aconteceu uma vez e a Ana sabe que não gosto de filme do tipo “Mais rápidos e velozes em alta velocidade máxima” mas, he, desta vez fui eu que marquei na lista. Apenas esqueci que se tratava da adaptação dos quadrinhos belgas Michel Vaillant, de Jean e Philippe Graton. O título brasileiro Fúria sobre rodas [Michel Vaillant, França/2003] minganou.

Continue lendo

E Se Fosse Verdade

Pôster do filme E Se Fosse VerdadeTenho que confessar: adoro comédia romântica, daquelas bem Sessão da Tarde. Daquelas que, quando acaba, a gente tem um sorriso bobo e uma cara de *ai ai*. Daquelas igual E se fosse verdade [Just Like Heaven, EUA/2005]. A moça que levou o Oscar esse ano, de nome impronunciável, é uma fofa. Gosto dela desdos dois “Legalmente Loira” e sou paixonada no Mark Ruffalo, o par romântico, que inda leva no currículo a, digamos, honra de ser o primeiro a fazer séquisso num filme com outra atriz que se especializou em comédias românticas [Meg Ryan em Em carne viva]. Poderoso, o cara.

Continue lendo

Top Olhinhos Puxados Fazíveis

Geralmente não acho graça em tipos andróginos, mas abro exceção para David Bowie e Gackt, semelhantes profissionalmente, na voz e na aparência camaleônica. O clipe dele que mais gostei não mostra o seu rosto: é um dueto de piano e bateria com o falecido Kami, do Malice Mizer.

4 – Gackt
Cantor, compositor e multi-instrumentista japonês

V de Vingança

Remember, remember
The fifth of November
Gunpowder treason and plot;
We see no reason
Why gunpowder treason
Should ever be forgot.

Capa dp DVD V de VingançaOs versos que celebram a “Noite da Fogueira” [Bonfire Night] na Inglaterra são as primeiras palavras do filme V de Vingança [V for Vendetta, EUA/2006]. No dia 5 de novembro de 1606 o católico Guy Fawkes foi preso enquanto guardava a pólvora destinada a explodir o Parlamento britânico durante a Sessão de Abertura quando, além dos membros da Câmara dos Lordes e da Câmara dos Comuns, também estaria presente o Rei James I, protestante. Muito mal-comparando, ele foi o equivalente do nosso Tiradentes: difícil definir se herói ou vilão.

Continue lendo

Top Olhinhos Puxados Fazíveis

Ela, ela mesma e a Rê sialembrou outrodia que desde o século passado não sai uma série de fazíveis neste espaço. Apois, num é que procede?? Atendendo à pressão – digo, a pedidos – Batata Transgênica inicia a série Top Olhinhos Puxados Fazíveis.


5 – Takeshi Kaneshiro
Ator, cantor e modelo sino-nipo-taiuanês

Memórias de Uma Gueixa – livro

Capa do livro Memórias de Uma GueixaNa sinopse do livro Memórias de uma gueixa [Memoirs of a geisha, EUA/1997], do norte-americano Arthur Golden, diz-se que uma das formas de ser lido é como “um mergulho na tradicional cultura japonesa”. Eu complementaria isso com um “sob o ponto de vista de um gaijin” [estrangeiro]. Se meu avô lesse o livro decerto não encontraria muita coisa familiar ali, por isso preferi ler como romance de ficção – não me entendam mal, não detestei o lviro: tanto que li as 460 páginas praticamente de uma sentada só, até as 5h da manhã, porque não conseguia largar.

Continue lendo

Sonhos de Dez Noites

Capa do livro Sonhos de Dez NoitesQuando comecei a série de experiências oníricas esdrúxulas [ou eoe, para os mais íntimos] algumas pessoas acharam exatamente isso: esdrúxulo. Esquisito, bizarro. Para quem sonha, no entanto, aquilo faz todo o sentido do mundo e contar um sonho é uma forma de exteriorizar medos, desejos, loucuras – os psicólogos que o digam, hu?

Naquela época desconhecia Natsume Soseki, considerado um dos melhores romancistas japoneses. Inda desconheço, na verdade, já que só li a coletânea de pequenos contos Sonhos de dez noites [Yume Juuya, Japão, 1908]. São 70 das páginas mais difíceis de ler, que jogam uma carga emocional nas costas que às vezes parece pesada demais para carregar; o Continue lendo