Molho ecumênico

. 4 pimentões vermelhos grandes – tem que ser do vermelho, não serve o verde maduro
. 2 cebolas grandes
. 4 folhas de louro – tem que ser louro, não serve moreno nem ruivo [eu sei, horrívia, essa]
. 1 lata pequena de extrato de tomate Elefante – tem que ser Elefante, de outra marca não fica igual
. 1 xícara [chá] de óleo de soja
. 1 xícara [café] de vinagre
. sal qb – maomeno 3 colheres rasas de chá, mas tem quem prefira mais carregado

Lave bem os pimentões, descarte o umbigo e as sementes, pique em pedacinhos e taque no copo do liqüidificador.

Continue lendo

O Doador

Capa do livro O Doador, de Lois LowryEstava com dois livros para ler há coisa de um mês [para ser mais precisa, estou com 9 livros para ler ainda]. Um levou quase todos estes 30 dias pra chegar ao fim, o Praticamente Inofensiva, quinto e último volume da série do Mochileiro das Galáxias que me serviu para noites e noites de sono pesado. Os elementos de Douglas Adams estão todos lá – talvez um pouco exagerados e, de qualquer forma, quem leu os 4 primeiros fica mesmo com aquela coceira de querer saber comé que termina, inda mais porque era inédito no Brasil. Em todo caso, não muda o fato de que não entrou na minha lista de TFF [Top Favoritos Foréva].

Já o segundo foi indicação da xará Naomi Kovacs e terminei numa sentada só, ontem à noite – e isso porque tem apenas 15 páginas a menos que o Praticamente…. O Doador de Lois Lowry começa meio idílico, cenas de crianças em suas Continue lendo

Iei!

TechnoSphere voltou!! Hein? Não conhece Techosphere, pequeno gafanhoto?

Vinícius de Moraes, autor de uma boa receita de feijoada em verso, no Poema Enjoadinho já dizia:

Filhos… Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-lo?

Então lá fui eu brincar de ser mãe no site TechnoSphere , um “mundo virtual em três dimensões habitado por formas de vida artificial criados por Continue lendo

Inculta e bela

Emerson encrespou contra o uso de “possue”.

Eu encrenco com o uso indiscrimado dum advérbio que ortograficamante tá até certo, mas é enfiado a torto e a direito nos lugares mais improváveis, tipo “ela usava um vestido onde era aberto nas costas”, “campanha de doação de sangue, onde salva vidas”, “comprou um sapato, onde colocou numa sacola” e por aí vai.

Argh.