Os novos clássicos

A revista Entertainment Weekly publicou uma edição especial no seu número mil com o que seus editores consideram os novos clássicos de cinema, literatura, música, TV, teatro e tecnologia dos últimos vinte e cinco anos [de 1983 a 2008].

Quando vi a lista dos cem novos filmes clássicos fiquei até animada: assisti 90%. Da lista dos antigos vi muito menos…

O problema se inverte quando o tema é livros: dos cem novos clássicos só li nove.

2. Harry Potter e O Cálice de Fogo, JK Rowling
6. Sobre Meninos e Lobos, Dennis Lehane
13. Watchmen, Alan Moore and Dave Gibbons
17. O Amor no Tempo do Cólera, Gabriel García Márquez
20. O Diário de Bridget Jones, Helen Fielding
40. Fronteiras do Universo, Philip Pullman [falta só o terceiro volume]
46. Sandman, Neil Gaiman
65. O Doador, Lois Lowry
96. O Código Da Vinci, Dan Brown

Eu acho que falta qualquer um do Terry Pratchett nesta lista. Belas maldições seria uma boa pedida.

Por falar em Neil Gaiman, na mesma revista ele selecionou os novos dez monstros clássicos [eu lóvo Grendel também, tio]; Samuel L. Jackson listou os dez filmes asiáticos [senti falta de Zatoichi e não achei Azumi essas coisas...]; mas eu compartilho mesmo é da lista de Beck: dez motivos pelos quais não consigo fazer uma lista de top10.

1. I don’t really know many…musicians.
2. The ”best-ofs” are always hard for me.
3. I don’t really think hierarchically, you know?
4. It’s so hard for me to reduce what I like to [a list].
5. I have so many friends, you know? And you leave somebody off and it’s just…you know?
6. My favorites kind of change all the time. Like my favorite thing of a certain artist. You know? Favorite album…
7. Most of my moments like that are from the ’60s, early ’70s.
8. I don’t know.
9. It’s hard.
10. I’m trying to visualize my record collection.

About these ads

4 comentários sobre “Os novos clássicos

  1. Naomi,

    Minha autoridade pra falar de cinema asiático é muito próxima de zero. Entretanto, por gosto pessoal, além do seu ZATOICHI, eu incluiria DOLLS (Takeshi Kitano) e Primavera, Verão, Outono, Inverno e… Primavera (Kim -Ki duk)um filme belíssimo feito com dinheiro alemão, mas com o espírito oriental. Ah, lembrei, DEPOIS DA VIDA (Kirokazu Kore-eda)é lindo e frequentou durante semanas as conversas aqui em casa.

    Pra terminar, Clareando e Batata Transgênica apoaim BECK como destruidor oficial e perpétuo das listas TOP10.

  2. Pingback: As 10 séries mais marcantes em minha vida « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s