Tempestade

Uns dias atrás vi dois comerciais na TV bem perto um do outro e só então percebi que eram de dois produtos diferentes: já tinha visto antes mas bem separados e achava que era o mesmo. Ambos usam a música Storm, do Verão das Quatro Estações de Vivaldi, num fundo preto. Até o carinha parece o mesmo!

Na propaganda do perfume Exceptionnel da Montblanc é o violinista Joshua Bell.

V. vídeo no Youtube.

Na do HP Touchsmart é Philip White, compositor e maestro [Alvin e os esquilos, 007 Quantum of Solace].

V. vídeo no Youtube.

E tem ainda um terceiro comercial que usou Storm recentemente, um canal de TV que não me lembro qual [People&Arts? A&E?], mas não com o fundo preto.

V. videoclip de Storm com Vanessa Mae, uma versão tecno que rola direto nas caixas de som de Miguelito.

E se não me engano é a trilha também da sessão Cine Belas Artes do SBT, né?

Será que essa música tava em promoção?

—-

A Rê do ObjAbj pergunta: quais são as suas três músicas muito felizinhas?

Fazíveis para todos os gostos

As revistas People e Gente [hahaahhaah!!] publicaram sua [delas] lista anual do que elas consideram pessoas sexies. Pra variar, quase não bate com a minha opinião [em negrito], mas ainda bem, né? Sobra mais pra mim. Iac!

People
1. Hugh Jackman [Wolverine, X Men]
2. Daniel Craig [007]
3. Jon Hamm [Mad Men]
4. Zack Efron [High School Musical]
5. Robert Buckley [Lipstick Jungle]
6.Blair Underwood [Dirty Sexy Money]
7. Ed Westwick [Gossip Girl]
8. Michael Phelps [atleta olímpíco]
9. Blake Shelton [cantor country]
10. Lang Lang [pianista da abertura da Olimpíada de Pequim]
11. Mark-Paul Gosselaar [Saved by the bell]
12. Javier Bardem [ator espanhol]
13. Robert Pattinson [Cedric Diggory de HP & o Cálice de Fogo, atual Crepúsculo]
14. Joshua Jackson [Dawson's Creek, Fringe]
15. David Beckham [futebolista inglês]

Isto é Gente [aquilo é um cruzamento de macaco-prego com tubarão-martelo]
1. Cauã Reymond
2. Reynaldo Gianechinni
3. Rodrigo Veronese
4. Rodrigo Hilbert
5. Thiago Martins
6. Murilo Benício
7. Marcos Pasquim
8. Cássio Reis
9. Thiago Fragoso
10. Kayky Brito
11.Rocco Pitanga
12. Luciano Szafir
13. César Ciello
14. Dado Dolabella
15. Rodrigo Faro
16. Gustavo Leão
17. José Mayer
18. Júlio Rocha
19. Malvino Salvador
20. Marcello Alntony
21. Marcelo Faria
22. Paulo Vilhena
23. Rodrigo Santoro
24. Sérgio Marone
25. Carmo Dalla Vecchia

E tu? Concorda? Desconcorda?

[Para os rapazes não reclamarem: no link da Isto É tem as 25 mulheres também, e na FHM as 100 do mundo. De nada!]

Propaganda

Melhor do que Deu a louca...

Melhor do que Deu a louca...

Estava a reparar que as melhores propagandas de TV que vi recentemente são quase todas institucionais. De cabeça lembro daquela da alfabetização de jovens e adultos:

Pra aprender a ler, pra isso não tem hora.
Pode ser de dia. Pode ser de noite.
Pode ser agora.
Pode ser jovem. Pode ser adulto ou aposentado.
Pra aprender a ler só não pode ficar parado

V. vídeo Fábrica no Youtube.

O cara que cantava isso era bem carismático, acho que o vi depois em algum canal educativo mas não lembro qual. Nessa época eu cantava esse jingle o dia inteiro.

Depois foi a vez do jingle da campanha pelo registro civil [da UNICEF]:

Eu tenho nome.
E quem não tem?
Sem documentos eu não sou ninguém.
Eu sou Maria – Eu sou João.
Com certidão de nascimentuuu sou cidadão.

V. vídeo no Youtube.

V. e eu passávamos o dia cantando isso, cada vez que um via o outro.

Agora tem essa série [sem jingle, os ouvidos dos outros agradecem] da campanha pela segurança das crianças no trânsito: personagens de contos de fadas se reúnem para discutir o tema e dão sugestões irrealizáveis, até que o Espelho Mágico intervém e diz o óbvio, o básico do senso comum mas que mesmo assim muita gente esquece.

V. filme 1 no Youtube.
Fiilme 2
Filme 3
Filme 4

IMHO, foi um uso de personagens bem melhor do que os três filmes “Deu a louca” feitos nos últimos dois anos [Deu a louca na Chapeuzinho Vermelho, em Hollywood e na Cinderela], além do Shrek Terceiro; nenhum deles entrou na minha lista de Top Favoritos Foréva.

Grrr²

… daí chegou num ponto do trabalho que só precisava copiar-e-colar dois capítulos que foram digitados por outra pessoa. “Ora, moleza!”, direis estrelas – não fosse o fato de que o arquivo com tais capítulos e 50 páginas [ou 68 mil palavras] dá pau assim que abre. Supergênio sugere abrir com o Wordpad, aquele editor basiquinho, móde não ter que formatar as configurações de parágrafo e fonte tudo de novo – cara, e não é que funfa? Supergênio é um super gênio.

Colo os capítulos no arquivo que tava a digitar e pau. Solto um pequeno palavrão e reinicio Miguelito, passando um scandisk na inicialização. Niquiqui, né? Refaço os procedimentos e pau. Desta vez digo um palavrão de nível médio.

Colo o texto no Notepad, aquele editor que zera todas as formatações. Perdido por dez, perdido por mil. Copio e na hora de transferir pro TCC final… pau. Tento de novo aos poucos. Primeiro parágrafo e tudo bem, segundo parágrafo e pau. Se a mãe do Bill Gates for viva deve ter caído dura esturricada bem nessa hora. Desculpaê, tia, foi o calor do momento.

Um par de palavõres nível avançado e um dia inteiro perdido depois, resolvo o problema digitando tudo outra vez.

Tem coisas *bum* que só o Word faz por você.

Dr. Crippen

- A personalidade de um criminoso, George, é uma questão interessante. Há muitos assassinos que são homens de grande encanto pessoal.
– Sempre ouvi dizer, senhor, que o Dr. Crippen era um homem de fala muito agradável. Mas mesmo assim fez picadinho da mulher. (O mistério do Trem Azul, Ed. Abril Cultural, pág. 202)

Dr CrippenHawley Harvey Crippen, que mais tarde tornou-se celebremente conhecido como Dr. Crippen, nasceu no estado de Michigan/EUA em 1862 e exercia as profissões de médico homeopata e dentista. Ele casou-se com a enfermeira Charlotte Bell enquanto era residente de medicina; tiveram um filho, Otto, que foi entregue aos pais de Crippen quando Charlotte morreu pouco tempo depois.

Sua segunda esposa Kunigunde Mackamotski nasceu no Brooklyn em 1873 e mudou seu nome para Cora Turner, mas preferia ser chamada pelo nome artístico Belle Elmore. Belle era cantora de teatro de revista em Nova Iorque e tinha 19 anos quando conheceram-se e se casaram em setembro de 1892; Crippen tinha 30 anos.

Continuar lendo

Momento mão-de-vaca

Dica da Rê, ela mesma [brigadê!], que eu *tenho* de compartilhar caus que minha missão neste mundo é espalhar a Palavra:

Livros de Terry Pratchett pela metade do preço no site da editora Conrad.

OK, para ser mais exata: quase todos exceto o mais recente, Quando as bruxas viajam, mas mesmo este está com um desconto muito bom. Em compensação, O fabuloso Maurício e seus roedores letrados tá por menos da metade.

O que será que siminifica isso? Será que vem livro novo por aí?

Eles dizem “no natal” mas não dizem de que ano – nem colocam o título traduzido na notícia…

E não custa repetir que os livros podem ser lidos separadamente e fora de ordem, que não são seqüência um do outro – de novo, exceto A Cor da Magia e A Luz Fantástica, mas esses estão esgotados, de qualquer forma [tipo aquela bem pentelha, né? Gomen!].