Grrr²

… daí chegou num ponto do trabalho que só precisava copiar-e-colar dois capítulos que foram digitados por outra pessoa. “Ora, moleza!”, direis estrelas – não fosse o fato de que o arquivo com tais capítulos e 50 páginas [ou 68 mil palavras] dá pau assim que abre. Supergênio sugere abrir com o Wordpad, aquele editor basiquinho, móde não ter que formatar as configurações de parágrafo e fonte tudo de novo – cara, e não é que funfa? Supergênio é um super gênio.

Colo os capítulos no arquivo que tava a digitar e pau. Solto um pequeno palavrão e reinicio Miguelito, passando um scandisk na inicialização. Niquiqui, né? Refaço os procedimentos e pau. Desta vez digo um palavrão de nível médio.

Colo o texto no Notepad, aquele editor que zera todas as formatações. Perdido por dez, perdido por mil. Copio e na hora de transferir pro TCC final… pau. Tento de novo aos poucos. Primeiro parágrafo e tudo bem, segundo parágrafo e pau. Se a mãe do Bill Gates for viva deve ter caído dura esturricada bem nessa hora. Desculpaê, tia, foi o calor do momento.

Um par de palavõres nível avançado e um dia inteiro perdido depois, resolvo o problema digitando tudo outra vez.

Tem coisas *bum* que só o Word faz por você.

Dr. Crippen

- A personalidade de um criminoso, George, é uma questão interessante. Há muitos assassinos que são homens de grande encanto pessoal.
– Sempre ouvi dizer, senhor, que o Dr. Crippen era um homem de fala muito agradável. Mas mesmo assim fez picadinho da mulher. (O mistério do Trem Azul, Ed. Abril Cultural, pág. 202)

Dr CrippenHawley Harvey Crippen, que mais tarde tornou-se celebremente conhecido como Dr. Crippen, nasceu no estado de Michigan/EUA em 1862 e exercia as profissões de médico homeopata e dentista. Ele casou-se com a enfermeira Charlotte Bell enquanto era residente de medicina; tiveram um filho, Otto, que foi entregue aos pais de Crippen quando Charlotte morreu pouco tempo depois.

Sua segunda esposa Kunigunde Mackamotski nasceu no Brooklyn em 1873 e mudou seu nome para Cora Turner, mas preferia ser chamada pelo nome artístico Belle Elmore. Belle era cantora de teatro de revista em Nova Iorque e tinha 19 anos quando conheceram-se e se casaram em setembro de 1892; Crippen tinha 30 anos.

Continuar lendo

Momento mão-de-vaca

Dica da Rê, ela mesma [brigadê!], que eu *tenho* de compartilhar caus que minha missão neste mundo é espalhar a Palavra:

Livros de Terry Pratchett pela metade do preço no site da editora Conrad.

OK, para ser mais exata: quase todos exceto o mais recente, Quando as bruxas viajam, mas mesmo este está com um desconto muito bom. Em compensação, O fabuloso Maurício e seus roedores letrados tá por menos da metade.

O que será que siminifica isso? Será que vem livro novo por aí?

Eles dizem “no natal” mas não dizem de que ano – nem colocam o título traduzido na notícia…

E não custa repetir que os livros podem ser lidos separadamente e fora de ordem, que não são seqüência um do outro – de novo, exceto A Cor da Magia e A Luz Fantástica, mas esses estão esgotados, de qualquer forma [tipo aquela bem pentelha, né? Gomen!].

Embaixadores da Boa Vontade

Estava a ler a notícia de que a ONU nomeou a atriz Charlize Theron Mensageira da Paz e bateu uma curiosidade, já que vira e mexe aparece um nome novo – embora com o título de Embaixador da Boa Vontade, mais freqüentemente.

Os mensageiros da paz são celebridades principalmente do cinema, da música, da literatura e do esporte que se encarregam de promover as atividades e ideais da ONU por meio de aparições públicas e contatos com a mídia. [Folha]

Paulo Coelho é o representante brasileiro na lista de atuais Mensageiros, junto com George Clooney, Michael Douglas, Yo-Yo Ma, Jane Goodall, Daniel Barenboim, Midori Goto, Elie Wiesel e a Princesa Haya, da Jordânia. A missão do escritor é promover o diálogo intercultural e o foco nas necessidades das crianças ao redor do mundo; a da Charlize é chamar a atenção para a violência doméstica [por causa da história da mãe, eu imagino...].

Continuar lendo

Batalha de Fazíveis

Segundo round: Anthony Bourdain ou Olivier Anquier?

Anthony Bourdain

Anthony Bourdain

Olivier Anquier

Olivier Anquier

25 jun 1956 11 nov 1959
1,93cm n/d
Casado, uma filha Separado, uma filha, um filho
Chef norte-americano Padeiro franco-brasileiro
Viaja pelo mundo mostrando e respeitando a cozinha e a cultura locais. Viaja pelo Brasil mostrando e respeitando a cozinha e a cultura regionais.
Faz a linha bad boy Faz a linha bom moço
Estudou em Vassar Fugiu de casa aos 16 anos
Sem Reservas Fusca e Fogão
Descende de franceses É francês naturalizado brasileiro

Baguete ou ossobuco?

Dez entre dez brasileiros preferem…

Em SP é carioquinha

Em SP é carioquinha

Todo final de semana é a mesma coisa nas estatísticas aqui do PdUBT: chove gugonauta à procura da felicidade de feijoada e/ou de molho para feijoada.

Hoje estava a confirmar isso e lembrei de uma propaganda do Giraffas, duns meses atrás. Dizia que era para a família toda porque tinha lanche mas também tinha refeição; daí, na imagem da refeição, aparecia uma mensagem: “o feijão pode variar dependendo da praça”.

Lá no Sul,quando minha tia dizia que ia ter arroz-e-feijão, era do preto. Aqui é do carioquinha. Quando fazemos feijoada dizemos “tem que comprar feijão preto”. Se disser apenas “tem que comprar feijão” subentende-se que é o carioquinha.

E aí onde você mora, quando se diz feijão qual tipo que é?

Até um chute na bunda te empurra pra frente

Na etapa de ontem da Nascar {Phoenix] um acidente provocou a interrupção da prova durante quase 20 minutos. Na nova largada, dois carros “afogaram”; nesses casos o caminhão de serviço dá uma mão e empurra por trás até o motor pegar mas, como eram dois carros, um ia ter que esperar.

Foi aí que vi uma coisa que achei muito bonitinho: um competidor empurrou o segundo carro até o motor pegar, em vez de deixá-lo aguardando o caminhão de serviço. Tá tão raro ver atitudes desportivas no esporte profissional que soltei até umas duas lagriminhas.

Tá certo que depois foi um festival de totós que levou a corrida a avançar quase 1h30 além do previsto, de tanta bandeira amarela, mas ficou o registro do piloto solidário.

[E hoje tem jogo do meu time no Monday Night! O horário é que é de matar.]

Pausa

Não me entenda mal, se eu tivesse direito de voto provavelmente votaria nele também, mas fiquei com medo de algumas pessoas que apoiaram a vitória de Barack Obama nos Estadozunidos, messianizando-o e demonizando os que votaram no concorrente McCain.

Tenho medo da reação racista de alguns torcedores brasileiros contra Lewis Hamilton, antes do GP Brasil de Fórmula 1. Decerto que, da mesma forma que não considero o povo espanhol racista só porque uma meia dúzia atacou o piloto inglês de forma discrimatória no ano passado, não dá pra dizer que o brasileiro seja um povo racista por causa da manifestação estúpida de meia dúzia. O problema é que essa meia dúzia fala alto…

E o que dizer de um padre e coordenador pedagógico de uma das maiores  escolas particulares da região [se não for a maior] que incentiva atitude antidesportiva e antiética num programa de rádio ao pedir que determinado piloto tirasse Hamilton da corrida para que Felipe Massa fosse campeão, como se fose a coisa mais natural do mundo?

Tenho medo de um presidente local de partido político afirmar que, se fosse o coordenador da campanha política de determinado candidato na cidade que foi atacado com dossiê, teria “batido mais forte, mais baixo e pra derrubar” no concorrente. Para completar, ainda declarou-se contrário à iniciativa Pedra Lascada Transparente [o braço local da Associação Brasil Transparente]. Por coincidência, esse cidadão também é coordenador pedagógico; o partido político que representa gostava de proclamar-se ético e transparente.

Tenho medo de professor de faculdade que louva artigos neopopulistas no curso de Serviço Social.

Oi, meu nome não é Regina.

Batalha de Fazíveis

Descaradamente copiado de um programa do canal E!, inclusive os dois primeiros competidores: Clive Owen ou Daniel Craig?

Clive Owen

Clive Owen

Daniel Craig

Daniel Craig

1,88m 1,78m
Olhos verdes, cabelos escuros Olhos azuis, cabelos claros
3 out 1964 2 mar 1968
Ator britânico Ator britânico
Torcedor do Liverpool Torcedor do Liverpool
Casado, 2 filhas Divorciado, 1 filha
1 BAFTA, 1 Golden Globe, 1 SAG 1 Empire
Elizabeth – A era de ouro Elizabeth
Assassinato em Gosford Park, A identidade Bourne, Closer – Perto demais, Rei Arthur, Sin City Lara Croft: Tomb Raider, Estrada para a perdição, Cassino Royale, A bússola de ouro, Quantum of solace
Foi sondado para ser James Bond É James Bond

Que comece o duelo!