Na riqueza ou na pobreza, na saúde e na doença

A familia Gosselin

A família Gosselin

Na semana passada estava a assistir a chamada engraçadnha da Sony [eles acham], no auge da TPM. Aquela que o casal de locutores diz: “Oi, você ligou para a casa da Fulana e do Rafa.”

Voz do Rafa: “Não podemos atender porque estamos nos preparando para as novas temporadas de Saturday Night Live, Worst Week e mais uma série de machinho.”

Voz da Fulana: “O quêee? Nesta casa só assistiremos Desperate Housewives, Kath & Kim e outra série de mulherzinha”, entremeado pelo “mas… mas… mas…” do marido.

Sim, eu tenho problemas de memória mas, desconsiderando o fato que acho as chamadas engraçadinhas da Sony totalmente sem-graça mesmo em condições normais, essa me lembrou de Jon e Kate +8, o reality que mostra o cotidiano de uma família com oito filhos [duas gêmeas de 6 e sêxtuplos de 2 anos].

Vi uns dois ou três episódios e abandonei, de raiva da Kate, do jeito que ela trata o marido Jon. Parece que vive numaTPM constante, é ríspida o tempo todo, grita com ele, trata com desprezo até. Quando ele quer fazer um carinho ela o afasta com força e diz “não, hoje não!”. Cada episódio tem um momento testemunhal em que os dois, juntos, conversam com a câmera sobre o que aconteceu durante a semana. Quando ele reclama do jeito que ela o trata, Kate faz cara de surpresa e diz “mas eu te amo”. Grandes b*stas falar uma coisa e demonstrar outra, né?

Lembrei disso agora porque vi ali nos livros recentes do Skoob que ela escreveu dois livros sobre a experiência de ter oito filhos pra cuidar – e Deus deve saber o que faz, porque as crianças são as mais fofas éva.

E eu queria compartilhar a minha TPM contigo. :)

About these ads

7 comentários sobre “Na riqueza ou na pobreza, na saúde e na doença

  1. Ai, Lu, TPM é ruim demais! Eu viro um monstro mau-humorado nesta época. Chá de hortelã é bem bom, viu? Acalma, resolve a cólica e é mais gostoso que camomila.

    Tenho raiva de mulher que trata o marido como cachorro, mas também fico com raiva deles se comportarem como cachorros e continuarem abanando o rabo, mesmo tomando patada. E definitivamente, não cabem 8 filhos na minha vida!

  2. Eu tenho pena do Jon, mas também tenho pena (e muita) da Kate. Eu tenho duas filhas e tem hora que eu quero mais é sumir! Minha filha mais velha agora deu pra ter insônia e eu, numa dessas noites, não deixei ela dormir comigo – porque eu PRECISAVA dormir sozinha. Virei um bicho muito, mas muito feroz. Na manhã seguinte me senti a bruxa, a mulher mais malvada da face da terra. Isso porque eu tenho duas. Imagina ela, que tem 8!

    Quando assisto sempre me lembro da protagonista do livro “Não sei como ela consegue”, da Allison Pearson (ela se chama Kate, também). Essa é a frase que mais a irrita – “Não sei como ela consegue.” Porque ela se sente num mundo em que NINGUÉM a entende; nem o marido. Só ela mesma se entende – e quase confessa a uma amiga que os dois filhos, quando estão com ela, a sugam tanto, pedem tanto por ela que o que ela mais quer é sumir e os dois que se f. E aí, imediantamente, ela apaga o e-mail porque sabe que isso não é coisa que uma mãe confesse.
    Bjs

  3. Não coitado do Jon !!
    ele sempre tenta ajuda …..A Kate é uma maluca total !!
    Eu assisto de vez em quando ….Fico ate nervosa ela trata o Jon como outra criança ….
    _fora que no dia que eles foram na fazenda de aboboras ela fika gritando com ele como uma doida varida …. serio se fosse parente minha eu deixava ela la.!
    _dia que foram troca presenti no natal eh tiveram que que levar os 8 em uma loja de briquedo …. eu quase chorei ela deu umachamada no Jon assim na frente da loja toda …tenhu CERTEZA que a loja inteira deve te olhado ele …
    ai depois ela fala A rh que nem percebo quando faço isso sabe amor ….

    MEu claro que percebe pq ela eh uma maluca que tenta controla tudo …

    tadinhu !!

  4. vi uma vez, achei a mulher uma chata, a rotina estressante e o marido um atabacado. odiei também o programa “uma pequena grande família”, pq o estilo self-made-man do pai me dá nos nelvo.

    e, sinceramente, se eu tivesse oito filhos pequenininhos para cuidar, eu ia ter ÓDIO de quem me engravidou. isso se não desse com a cara na porta até ficar torta – a cara e a porta. (aliás, ela é uma mulher ou uma catita, tendo seis filhos de uma vez?)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s