[Filme] Orgulho e Preconceito – 1940

Pôster do filme

Pôster do filme

A primeira coisa que se comenta quando se fala desta adaptação hollywoodiana do livro da escritora inglesa Jane Austen é do figurino equivocado. Devo admitir que até eu, que sou desligada quanto a períodos – nunca soube identificar georgianos, eduardianos, vitorianos, etc.; se você me disser “um coador de chá de prata Rainha Anne” pode ter certeza de que não tenho a menor idéia do que se trata -, então, até eu percebi algo errado nos vestidos enormes e de mangas tão bufantes que dariam pra montar uma tenda de casamento para muitos convidados.

Segundo o iMDB, são roupas reaproveitadas de …E O Vento Levou, filme lançado no ano anterior. Isso significa que são trajes típicos da sociedade norte-americana durante e pós-Guerra de Secessão [1861-1865], enquanto Pride and Prejudice foi escrito no final do século 18 [1797] durante o reinado de George 3º, o que tinha porfiria. Orgulho e Preconceito foi um filme de orçamento baixo.

No entanto, a conexão com Gone With The Wind mais conhecida [e mais saborosa] está nos bastidores: o protagonista de Orgulho Laurence Olivier era amante da atriz principal de Vento Vivien Leigh. Ele se mudara de Londres para Holywood a fim de filmar outra adaptação literária [foi Heathcliff em O Morro dos Ventos Uivantes de 1939, do mesmo estúdio responsável por este Orgulho] e tentou de todas as formas substituir Merle Oberon por Leigh mas a estrela principal era norte-americana e o filme era feito para ela, e Olivier não teve poder de veto no caso. A inglesa Vivien Leigh acabou ganhando o papel da mimada sulista Scarlett O’Hara, nesse meio tempo. Pequenas ironias da vida!

Mrs. Bennet: A single man in possession of a good fortune must be in want of a wife.

Laurence Olivier e Greer Garson

Laurence Olivier e Greer Garson

Uma outra conexão, bem menos escandalosa [Olivier e Leigh eram casados com outras pessoas quando se tornaram amantes], é entre Leigh e Maureen O’Sullivan, a atriz que interpretou Jane Bennet: ambas foram colegas nas aulas de arte dramática em Londres. Maureen também interpretou uma Jane nos filmes de Tarzan, contracenando com Johnny Weissmuller, e é mãe de Mia Farrow.

Já Greer Garson [Lizzy Bennet] foi treinada por Laurence Olivier no teatro, ainda em Londres. Em 1952, quando Vivien Leigh venceu o Oscar por sua interpretação de Blanche DuBois em Um Bonde Chamado Desejo e não pôde comparecer à cerimônia de premiação, foi Garson quem recebeu a estatueta por ela. Garson ganhou sua própria estatueta em 1943 e seu discurso de agradecimento é, até hoje, o mais longo da história do prêmio [cinco minutos e meio]. É por causa dela que se instituiu o limite de tempo dos discursos.

OK, agora basta de fofoquinhas, né? Bamos voltar ao escopo do post, Titia Batata?

O roteiro de Orgulho e Preconceito 1940 foi escrito por Jane Murfin e por Aldous Huxley, autor de Admirável Mundo Novo. Há algumas liberdades no filme que horrorizaram os fãs do livro como, por exemplo, transfomar um romance de crítica social em comédia e costumes – perceba o tom no próprio cartaz do filme!

Mrs. Bennet: Look at them! Five of them without dowries. What’s to become of them?
Mr. Bennet: Yes, what’s to become of the wretched creatures? Perhaps we should have drowned some of them at birth.

As irmãs Bennett

As irmãs Bennet

A família Bennet reside em uma propriedade no interior da Inglaterra cuja titularidade pertence a um sucessor masculino. O Sr. e a Sra. Bennet têm cinco filhas e não têm renda suficiente para lhes dar um dote. O objetivo da Sra. Bennet é arranjar-lhes um casamento vantajoso e ela vê uma grande oportunidade quando Mr. Bingley aluga a propriedade vizinha. Com ele vem sua irmã esnobe e seu amigo Mr. Darcy [Laurence Olivier], ainda mais rico do que Bingley.

Jane [Maureen O'Sullivan] é a Bennet mais velha, a de caráter mais dócil e a mais bonita das irmãs, que acaba por encantar a Mr. Bingley. Elizabeth “Lizzy” [Greer Garson] é a segunda mais velha e muito unida a Jane. Ela se envergonha do comportamento da mãe e das irmãs mais novas, que considera frívolas e sem maneiras. Lizzy é cortejada pelo primo Mr. Collins, o bibliotecário de Lady Catherine de Bourgh [no livro é o pároco]. Mr. Collins herdará a propriedade dos Bennet e é extremamente orgulhoso.

Lizzy recusa os pedidos do primo porque está interessada em Mr. Wickham, um membro do Regimento que lhe diz como foi prejudicado por Mr. Darcy. Mr. Darcy havia ofendido a sensibilidade de Lizzy dizendo que não havia ali nenhuma moça digna de interesse exceto Jane, então Lizzy estava predisposta a acreditar em toda maledicência que ouvisse.

Lydia Bennet: Has anybody heard how Jane is this morning?
Mrs. Bennet: Eh, Mr. Bingley sent a note over by his groom. She’s much better. Such a happy idea of mine sending her off in the rain.
Mr. Bennet: Yes, but to Jane must go all the credit for having caught the cold, my dear.

Jane Bennet
Jane Bennet

Agora esqueça tudo o que foi dito sobre os trajes errados, a infidelidade literária, os escândalos de bastidores e concentre-se no que é importante: a atuação de Laurence Olivier e um filme que sobreviveu à passagem do tempo.

O ator vinha de um filme com os mesmos problemas estruturais deste, de um papel que era o oposto de Mr. Darcy – o Heathcliff de Wuthering Heights, que dava uma banana pras convenções sociais – mas sempre que alguém fizer uma lista de qual o melhor Mr. Darcy [ou o melhor Heathcliff] o nome dele decerto será lembrado.

A LuMa comentou anturdia que o Colin Firth temeu a comparação antes de aceitar o papel de Mr. Darcy na versão da BBC de 1995. Eu te entendo, Colin. Mas não se preocupe, na minha opinião você chegou mais perto da essência do personagem do que Sir Laurence [embora não perto do que nós, fãs, imaginamos o personagem. Nem o MacFadyen].

Ou, tomando emprestadas as palavras do Marcos num post no Multiply:

A adaptação de filmes a partir dos livros nunca correspondem as nossas espectativas, sendo o livro sempre a melhor opção, pois, dificilmente uma opinião subjetiva pode ser expressada nas telas, pois cada um interpreta e imagina a sua maneira uma história. [Marcos Carvalho Santos]

Eu apenas tento evitar a decepção mantendo as expectativas baixas e encarando cada adaptação como uma obra única. Não é fácil, muita vez me pego xingando diretor/ator/produtor, mas eu tento.

E nesse caso de Orgulho e Preconceito 1940 vale a pena passar por cima das implicâncias.

Mr. Bennet: Well, we’re hoping Elizabeth can manage to catch a cold of her own and stay long enough to get engaged to Mr. Darcy. Then, if a good snowstorm could be arranged, we’d send Kitty over. But if a young man should happen to be in the house – a young man who likes singing, of course, who can discuss philosophy – Mary could go. Then, if a dashing young soldier in a handsome uniform should appear for Lydia, everything would be perfect, my dear.

Posts relacionados
Jane Auesten para todos os gostos
Orgulho e Preconceito no TCM e na L&PM
Se é politicamente correto, provavelmente não é boa literatura
Orgulho e Preconceito [série]

Serviço
Citações no site MovieQuotes
Ficha do filme no iMDB
Ficha do filme no TCM
Verbete no Wikipedia

Resenha no blog Factual Imagining

Pride and Prejudice – 1940

Parte A

Link http://www.youtube.com/watch?v=OB1eiXMVTJc

Parte B

Link http://www.youtube.com/watch?v=dIIUGsvs5AM

Parte C

Link http://www.youtube.com/watch?v=w5yrm7OfLSg

Parte D

Link http://www.youtube.com/watch?v=Qls5kZz9GZo

Parte E

Link http://www.youtube.com/watch?v=W5ktF0Y1pdg

Parte F

Link http://www.youtube.com/watch?v=1-GFuOUNuNs

Parte G

Link http://www.youtube.com/watch?v=NlGNlvOGrEI

Parte H

Link http://www.youtube.com/watch?v=mHCKJIVSqY0

Parte I

Link http://www.youtube.com/watch?v=P-O1HozxXZE

Parte J

Link http://www.youtube.com/watch?v=C5TaspEtPe4

Parte K

Link http://www.youtube.com/watch?v=07yWisdmsLU

Parte L

Link http://www.youtube.com/watch?v=qocMNI3xS6w

Parte M

Link http://www.youtube.com/watch?v=bWtDDQEbLdY

Parte N e final

Link http://www.youtube.com/watch?v=6J85Xy2Y8zs

About these ads

26 comentários sobre “[Filme] Orgulho e Preconceito – 1940

  1. Greer Garson – eu já li várias versões sobre o discurso dela – de cinco minutos e meio a quase uma hora…

    Me dá um nervoso imenso aquelas roupas imensamente enormes, aqueles cachos balançando em cabeças sexagenárias… Ui!

    • Está baixando em avi, suzana? Pq se estiver, é só usar o arquivo de legenda com o mesmo nome (só com extensão .srt geralmente) e colocar para rodar. Na minha opinião o melhor lugar para rodar e unir legendas é o BS Player.
      Vc já catou as legendas em algum canto?

    • tb baixo sem legendas pelo utorrent, daê faço como a mica explicou. só que não acho legenda em pt, assisto com subtitle em inglês mesmo.

      eu faço assim:

      1. baixo o ep via torrent no mininova.org [formato .avi];
      2. baixo o subtitle do legendas.tv ou do podnapisi.net [formato .srt];
      3. geralmente tenho que renomear o aquivo da legenda, assim, se o arquivo de vídeo é

      Criminal.Minds.S04E20.HDTV.XviD-2HD.[VTV].avi

      o arquivo de legenda tem que ser

      Criminal.Minds.S04E20.HDTV.XviD-2HD.[VTV].srt

      não pode mudar um ponto ou uma caixa alta/baixa e os dois arquivos têm de estar na mesma pasta.

      4. abro o arquivo de vídeo [.avi] no bs player e ele já “chupa” a legenda.

      o bs player tem nobaixaki , no superdownloads, no site oficial…

      http://www.bsplayer.org/

      • Vou tentar. No problem ter legendas em inglês, mas eu ainda (hum, ainda… afe!) não consigo assistir a filme em inglês sem legenda nenhuma. Medinho, insegurança, essas bossas. :)

      • su, idem! se não tiver legenda, mesmo que seja em inglês, corro o risco de entender Harry Mac em vez de ‘hair and make’, igual a tradutora simultânea do oscar. :lol:

  2. Já que mencionaram o filme, Naomi, ontem comprei E O Vento Levou. Nossa, acho que assisti esse filme mais de seis vezes na minha infância/adolescência. Eu lembro que a Globo passava o filme todo santo final de ano (e A Lagoa Azul na primeira semana do ano novo) e eu assistia sempre.
    Precisava comprar. Quando o vi na Americanas não resisti. Não tem extras nem nada, mas quem se importa?
    Mas não sei quando terei tempo para assistir um filme de mais de 4 horas de duração. Senhor!!!! Tem filme mais longo que esse?
    Achei interessante que o DVD tem dois lados. Nunca tinha visto um DVD com lado A e lado B.

    • puxavida, é verdade, faz anos que não vejo esse filme mais nas chamadas da globo… eles ‘tão com uma seleção fraquinha, né? será que expirou o direito de exibir?

      coincidência, tenho esse mesmo dvd! tá na pilha pra assistir, junto com cidadão kane, os 2 primeiros packs de speed racer e mais uns 12 filmes.
      *sigh*

  3. Adorei esse post! Eu baixei esse filme, mas ainda não vi! Das versões, acho a mais fiel ao livro a da BBC, mas ainda gosto muito da cinematográfica, acho que pra cinema, foi o melhor a ser feito, a BBC só foi tão boa pq foi seriado.

    Quando ao Lawrence, o primeiro papel que o vi interpretar foi o de Heathcliff, e eu amei esse filme, ele era ótimo.

  4. Pingback: Cabeça oca « Batata Transgênica

    • PARA BAIXAR A SÉRIE DA BBC VÁ ATÉ O SITE mininova.org E ESCREVA O NOME DA SÉRIE NO ORIGINAL INGLÊS E VOCÊ VAI BAIXAR TODOS OS SEIS EPISÓDIOS.
      PARA INSERIR AS LEGENDAS NOS VÍDEOS USE O PROGRAMA VLC MEDIA PLAYER. É GRATUITO E BAIXA NO BAIXAKI.
      ABRAÇOS.

  5. Pingback: Emma 2009 « Batata Transgênica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s