Auxílio-moradia, três versões

Na Alemanha, o salário bruto de um deputado é de €7.668 [aproximadamente 21 mil reais no câmbio de hoje], mais €3.868 para despesas relacionadas à atividade parlamentar, sem necessidade de prestação de contas [R$10.500,00]. O salário dos assessores é pago pela administração parlamentar [€14.712 ou R$40mil]. Os gastos com as viagens até a região eleitoral e com a moradia em Berlim também correm por conta da administração. Esses valores altos, mesmo para a realidade européia, têm por objetivo diminuir as tentações do cargo. Mesmo assim…

Em 2002, tornou-se público que alguns parlamentares estavam fazendo uso privado de “milhas” de vôos oficiais feitos pela Lufthansa. Gregor Gysi, atualmente do partido A Esquerda, renunciou ao cargo de secretário de Economia de Berlim, enquanto o verde Cem Özdemir desistiu de seu mandato parlamentar. [Deutsche Welle, 09/06/09]

Na Inglaterra, entre salário e benefícios, um deputado recebe pouco mais de 31,2 mil dólares por mês [R$60.670,00 no câmbio de hoje], e a gente tá vendo as denúncias pipocando e derrubando políticos por lá.

Entre as denúncias estão a de parlamentares que usaram o auxílio-moradia para reformar a própria casa, pagar prestações de imóveis e cobrir gastos com jardineiro. Algumas dessas despesas foram feitas em residências que não são ocupadas pelos legisladores. [Estadão, 12/05/09]

Por isso fico meio ressabiada quando dizem que a solução pra corrupção no Brasil é pagar mais aos políticos. Embora uma análise antiga do Carlos Alberto Sardenberg [G1, 06/06/07] compare os ganhos dos políticos brasileiros com os dos britânicos – com vantagem para os brasileiros – ele apresenta o valor total, quando a questão que desperta a fúria popular são os valores adicionais, os auxílios, vales e benefícios extras.

Ou, como diz o Hélio Schwartsman, trata-se de uma questão de âncora moral.

Não estou, evidentemente, sugerindo que basta pôr três ou quatro políticos na cadeia para resolver todos os nossos problemas. Ao que tudo indica, porém, o grau de tolerância de um povo para com as estrepolias de seus políticos é em alguma medida determinado por essa âncora moral, que tem mais a ver com nossos hábitos e atitudes do que com caprichos cegos do destino. [Pensata, 28/05/09]

Post legal
Pagamento de Políticos na Europa, Coluna do blog da Lucia

Blog legal
Congresso Em Foco