Blog Day 2009

badge_red

O que é o BlogDay?
BlogDay foi criado na convicção de que os bloggers deverão ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse. Nesse dia os bloggers recomendarão novos blogs aos seus visitantes.

O que acontecerá no BlogDay?
Durante o dia 31 de Agosto, bloggers de todo o mundo farão um post a recomendar a visita a novos blogs, de preferência, blogs de cultura, pontos de vista ou atitude diferentes do seu próprio blog. Nesse dia, os leitores de blogs poderão navegar e descobrir blogs desconhecidos, celebrando a descoberta de novas pessoas e novos bloggers.

BlogDay instruções:

1. Liste cinco novos Blogs que você ache interessantes.
2. Escreva uma breve descrição dos Blogs indicados e adicione o respectivo link.
3. Notifique por email esses cinco bloggers de que serão recomendados por você no BlogDay 2009.
4. Publique no BlogDay (no dia 31 de Agosto) esse post.
5. Junte a tag do BlogDay usando este link:
http://technorati.com/tag/blogday2009 um link para o site do BlogDay: http://www.blogday.org

1. IdeiaFix: conheci através dos comentários que o autor faz no Depokafé, que indiquei em 2008. Os temas variam de esporte a filosofia, com passagens pela política e humor, mas sempre com uma visão histórica.

2. Coisas Geek de Um Hobbit Inútil: porque ele pensa as coisas que eu queria ter pensado antes. Inveja mata. Conheci pela Rê do ObjAbj por causa da nossa devoção a Terry Pratchett.

3. Enfim, Meu Blog: um estilo mais intropectivo pero sin perder lo humor rrramás. Tem um defeito: atualizações esparsas. Conheci também pelos comentários que a autora faz, desta vez no Maio, 26.

4. Reload: desventuras em série da Deh na profissão e na vida no interior. Recomendado pela Suzana, a quem devo muito pelas dicas ótimas.

5. digitando com uma mão só: Divagações de um pai novato sobre ceticismo, computação, cinema, livros e quaisquer outras bobagens que parecerem interessantes. Conheci graças à Deh já que, ora, eles são casados. Um com o outro, quero dizer.

Post relacionado
BlogDay 2008

Domingueiras

Quando vê as cenas de roda de viola em volta da fogueira na novela Paraíso, cidadãozinho sempre diz:

“Zeca, fogo pi’goso, queima dedo!”

So desuka, amanhã é BlogDay. O post tá pronto e os polvos avisados já.

Eu gosto da maioria das fics da CCC, o problema é que ela inicia um monte de uma vez e leva anos pra finalizar uma.

Pequenos prazeres: temperar arroz&feijão quentinho no prato com molho de pimenta de garrafinha, Tabasco genérico.

Pelos meus cálculos,  o episódio Atomic Shakespeare de A Gata e O Rato passará na quarta-feira [02/09/09] no TCM.

Tomara que cidadãozinho me deixe assistir.

Aos 46 anos, aprendi algumas coisas a meu respeito. Aprendi muito nos Alcoolatras Anônimos e em livros de autoajuda. É pena que não descobri Terry Pratchett quando decidi compreender quem eu sou. Ele tem me ensinado mais sobre eu mesma do que qualquer livro de autoajuda jamais fez. As lições que Terry Pratchett ensina abriram meus olhos, e continuam abrindo. Para conhecer a mim mesma, tenho que simplesmente aceitar a mim mesma. Não tem mistério; eu sou simplesmente eu e não há nenhum motivo para ter medo disso.

Ele nos diz, repetidas vezes, para vigiar nossos limites, falar pelos que não têm voz, nunca tratar as pessoas como se fossem coisas nem colocar as coisas acima das pessoas. Existe melhor filosofia para viver de acordo? Se eu pudesse ter a coragem de Sam Vimes, a convicção absoluta de Vovó Cera do Tempo e a alegria da Tia Ogg… Sir Terry deu-me risos, lágrimas, e um desejo profundo de tornar-me uma pessoa melhor. Nunca poderei expressar completamente minha gratidão ao universo por dar a este mundo alguém tão maravilhoso como Sir Terry Pratchett, então apenas direi Muito Obrigada. [SH]

Eu achei que esta deveria ter sido a Carta do Mês do boletim mensal de Discworld.

A religião começa a compreender Harry Potter, finalmente. Passa a enxergar as camadas sob a superfície da fantasia e consegue até [ora veja!] estabelecer analogias.

Agora só falta o roteirista.

O @novohouaiss diz que mussarela escreve-se MUÇARELA ou MOZARELA. Escrevi errado a vida toda.

Aliás, será que existe algum cardápio niqual a grafia do queijo esteja certa?

Outra que aprendi nesta semana: TLDNR. É um acrônimo que significa Too Long Did Not Read: longo demais, não li. Nas comunidades do Orkut foi adaptado pelos trolls para apenas “nem li” porque, além da incapacidade de compreensão de textos mais complexos, esses seres são incapazes também de desenvolver um raciocínio que exija usar mais do que duas palavras e/ou sílabas.

Os caixas eletrônicos de Londres agora são bilíngues: as instruções vem em inglês e em gíria.

E se fosse, sei lá, em São Paulo?

Objeto de desejo: coleção Cozinha Regional Brasileira. Se aquiete, Jurema.

Continuar lendo

The Magnificent Ambersons / Soberba

Capa do DVD

Capa do DVD

Devagar mas teimosa constante no meu projeto de assistir a toda obra do Orson Welles, agora foi a vez de Soberba [The Magnificent Ambersons, EUA/1942], o segundo filme de sua carreira cinematográfica, o segundo em parceria com o ator Joseph Cotten que assisto.

[O primeiro que Welles filmou com ele foi também o primeiro de sua obra, Cidadão Kane, mas o que eu vi primeiro com esta parceria foi O Terceiro Homem. Confuso? Tá fora de sequência porque (1) a maioria vejo na TV e (2) tenho o DVD de Kane guardado como se fosse o brigadeiro da festa: o melhor para o fim.]

A história se passa naquele intervalo histórico em que o dinheiro e o poder social deixavam de vir pela família e começavam a vir pelo trabalho, na sociedade norte-americana do início do século 20. Isabel é a herdeira dos Ambersons, família tradicional dos fundadores da cidade, cortejada por muitos pretendentes. Numa noite, seu preferido Eugene Morgan se apresenta para uma serenata bêbado a ponto de tropeçar e cair.

Embaraçada, Isabel rompe o compromisso com Eugene e casa-se com um sujeito de caráter fraco, com quem tem uma das crianças mais horríveis do cinema *éva*.

Continuar lendo

Ser diferente é normal

Tem dois comerciais de TV que meio que tratam do tema, de uma forma ou de outra.

Um é tão recente que só vi uma vez até agora e não encontrei o vídeo online, ainda. Na verdade, tá tão difícil de encontrar que começo a duvidar até se eu vi mesmo ou se alucinei.

Se vi mesmo, é da Petrobras e mostra, por um micronésimo de segundo, um frentista cadeirante. Na pesquisa que fiz, só apareceu esse vídeo. Não é o que eu quero, o que eu procuro e que acho que vi mostra um frentista com o uniforme da bandeira BR, cadeirante, a atender um cliente.

O segundo comercial já é bem antigo, mas ainda passa na TV e eu sorrio toda vez que vejo: aquele do chocolate Twix em que três caras com Síndrome de Tourette se unem e ganham dinheiro inventando a barra de “biscoito! caramelo! chocolaaate!”.

Continuar lendo

Momento Caras | PaqMo

Em um dos reviews anteriores de True Blood matutei se o casal Anna Paquin e Stephen Moyer agia na vida real como o casal Sookie e Bill: de acordo com uma entrevista da Kristin Bauer [Pam Ravenscroft], parece que sim.

“Anna e Stephen gargalham muito,” disse Bauer, que se casou recentemente com o músico Adri van Straten após apenas seis meses de namoro. “Stephen age como um respeitoso cavalheiro para ela. Eles parecem ser amigos e apreciam as mesmas atividades. Eles vivem juntos, trabalham juntos o dia inteiro e parecem inseparáveis.” [E!Online, 16/08/09]

Um leitor ainda pergunta à coluna de Ted Casablanca, no mesmo site, se o anúncio do noivado dos atores não seria uma jogada de Moyer para afastar os demais atores que interpretam potenciais interesses amorosos da protagonista [leia-se Sam Trammel e Alexander Skarsgård], visto que correram rumores de que ele já teria marcado seu território antes mesmo da cena do primeiro beijo deles ir ao ar.

Anna e Moyer mantém-se muy profissionais naquele set, e eu sei disso por uma fonte em primeira mão. Quanto ao futuro de Sookie, o criador Alan Ball já disse que pode não seguir o mesmo rumo dos livros, o que me dá motivos para acreditar que o PaqMo da vida real pode definitivamente ter tido alguma influência em para onde True Blood está indo. [E!Online, 27/08/09]

São relatos de segunda ou terceira mão e conjeturas, mas, honestamente: iuc. Quer ser um casalzinho autoabsorvido e codependente, esteja à vontade, apenas não deixe essa condição interferir no trabalho. Vá fazer um reality show em vez disso.

Cuidado: spoiler para quem não leu todos os livros, a seguir.

Continuar lendo

Pudim Yorkshire

Yorkshite pudding

Yorkshire pudding

Publicado originalmente na Casa Torta.

– I say, that fat’s corking hot. What are you going to put in it?
— Yorkshire pudding.
— Good old Yorkshire. Roast beef of old England, is that the menu for today? (Agatha Christie, 4.50 From Paddington)

Quando li a primeira referência ao pudim de Yorkshire, num livro de Agatha Christie, o que me veio à cabeça foi um pudim cremoso, amarelo, feito com muito leite e ovos, um perfume de baunilha e… doce. Apenas recentemente descobri que o pudim de Yorkshire leva leite, sim, ovos, sim, farinha, gordura – e é salgado.

Feito para enganar o estômago nas épocas de vacas magras, o pudim de Yorkshire é uma espécie de massa assada para aproveitar a gordura e o molho do rosbife. O pudim era assado embaixo da grelha onde estava a carne, para absorver o sumo que dali pingava.

Continuar lendo