Global Voices: de Cala boca Galvão a serendipity

Como Ethan Zuckerman ligou o fenômeno de ativismo virtual “Cala boca Galvão” à iniciativa internacional Global Voices, um grupo de voluntários que escolhem artigos na blogosfera e no noticiário local e os traduzem para o maior número de idiomas possível.

O vídeo dura quase vinte minutos, mas carrega rápido e é muito interessante.

Link http://www.ted.com/talks/lang/eng/ethan_zuckerman.html

O vídeo só tem opção de legenda em inglês por enquanto [clique no subtitle ali na parte de baixo do player], mas isso já ajuda um bocado se o seu listening é meio maluco feito o meu.

serendipity
s. capacidade de fazer descobertas importantes por acaso
Fonte: Babylon

Site do Global Voices em português

* Agradeço à Diana Pádua pela dica!

[TrueBlood] Trouble

Eu teeenho a fooorça!

Eu teeenho a forçaaa!

Uma das coisas que eu mais curti na primeira temporada de True Blood e que é constante nos livros da Charlaine Harris é o lado cômico, o bom humor. É um jeito de lidar com temas sérios sem afastar o espectador/leitor. Infelizmente, de uns tempos pra cá os roteiristas da série mudaram a fórmula, canalizando o humor em personagens burlescos [quando não ridículos]. Dois exemplos são o Jason Stackhouse e o Andy Bellefleur, que viraram caricaturas do caipira ignorante e preguiçoso e do policial paspalho.

A partir deste ponto há spoilers

Continuar lendo

[TrueBlood] 9 Crimes

Franklin e Tara

Franklin e Tara, mais um relacionamento abusivo.

Janice Herveaux sobre Debbie Pelt e Alcide: Ela foi o primeiro amor da vida dele, ele nunca tinha conhecido alguém tão cheia de vida, aquela m*rda toda. Mas quantos tiros você tem de levar por alguém, quanta coisa ruim tem de acontecer com você e com quem você ama antes de você perceber que sentir-se vivo não é o suficiente?

Sookie está/é tão obcecada pelo seu relacionamento com Bill que não consegue ver as coisas em perspectiva. É o primeiro relacionamento amoroso da vida dela, e é justamente com um ser a quem ela não consegue ler as intenções ou ouvir os pensamentos. Ser telepata pode não ser grande coisa, afinal, pois a tornou dependente desse dom para conhecer as pessoas ao invés de torná-la consciente dos sinais que enviam pelo comportamento. Tudo tem que ser desenhadinho.

A partir deste ponto há spoilers.

Continuar lendo

Domingueiras

Eu tenho COT. É igual TOC mas as letras estão em ordem alfabética COMO DEVE SER.

Eu tenho COT. É igual TOC mas as letras estão em ordem alfabética COMO DEVE SER.

Dois detetives – ou um detetive e seu sidekick – invadiram uma mansão no meio da noite na investigação de um crime. Na escrivaninha da biblioteca encontraram um bilhete que dizia “Obrigado pela receita de sopa de mel, deu certinho” ao lado de um pequeno bolo confeitado. O sidekick o deixou de lado, mas o detetive meticuloso copiou a receita e tentou reproduzi-la. A sopa talhou e ele descobriu que a pista estava ali ou no bolo confeitado.

Daí o telefone tocou e eu acordei. Dorga.

A sopa talhou porque levava leite e limão, BTW.

Tutu devidamente castrada, a cirurgia foi bem no dia daquela virada brusca de tempo, tadinha, ela que é tão friorenta. Nos primeiros dois dias e meio ela nem saiu da cama, tinha que ser alimentada, hidratada e limpa ali mesmo. Agora já detonou a roupinha, esquentou a barriga deitada em cima do monitor de Miguelito, aterrorizou os filhotes… :lol: Essa é a minha neguinha.

Rede social para gateiros: Balaio de Gato.

Ouvindo a Rádio Mitsubishi, programa Versão 4 x 4 só de versões.

Continuar lendo

10 livros em 10 dias | Livro mais velho

Dia 10

Aqui tive mais um problema de dúvida de interpretação: deveria considerar a idade da obra ou da edição? Se for da obra, eu chutaria que o livro mais velho que li foi A Arte da Guerra, do general chinês Sun-Tzu, escrito no século 4 antes de Cristo em tabuinhas de bambu. De dicas de estratégia miitar o livro virou guia de gestão empresarial. E, de tanto ouvir falar, resolvi checar o texto integral em vez me fiar nas citações fora de contexto.

Vou me abster de comentar aqui, belê?

Mas se for pra considerar a edição mais antiga que tenho em casa, acho que é a Enciclopédia Trópico que herdei de meu avô. Publicada no Brasil em 1957 por Giuseppe Maltese, são dez volumes abordando assuntos gerais em verbetes [ou "documentários"]. Eu passava horas lendo essa enciclopédia no sofá do meu avô [em Pedra Lascada] nas férias da escola. Ficava na prateleira logo acima da coleção de revistas Seleções do Readers’ Digest dos anos 50 e 60.

Quando ele passou pra mim nós ainda morávamos em outra cidade e eu tava no primeiro grau. Cheguei a consultá-la para trabalhos escolares, tem coisa que não ficou ultrapassada. Ainda tenho todos os exemplares, mas faz anos que não mexo nela… Medo de esfarelar. :)

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

10 livros em 10 dias | Série de livros que gosto mais

Alguns títulos da série

Alguns títulos da série

Dia 9

Discworld, série de fantasia escrita pelo inglês Terry Pratchett.

A-há! Te peguei, né? Pensou que eu ia dizer Harry Potter, né?

Pois olhe, quase que foi mesmo. Eu adoro Harry Potter, tenho dois sets dos livros [em pt-br e em inglês], diversos livros relacionados à série da J. K. Rowling, todos os filmes lançados, cadernos, canetas, bugigangas… Também sou fã das séries O Senhor dos Aneis, O Guia do Mochileiro das Galáxias, Crestomanci, Fronteiras do Universo, Sandman, Sookie Stakchouse Stories, recém-introduzida [ui] a Jeeves e amando, etc. [e bote um grande etc. aqui].

Mas diga apenas uma vez “Discworld” e terá minha atenção para sempre. O mundo achatado como uma pizza que viaja nas costas de quatro elefantes que se apoiam nas costas da tartaruga interestelar Grande A’Tuin é rico em referências pop, mitológicas, culturais, políticas, religiosas e econômicas; oferece histórias cheias de afeto, humor e crítica social; tem personagens a quem o leitor se apega, por suas qualidades e defeitos; são livros para serem relidos várias vezes, e a cada vez é um livro diferente.

A série começou a ser traduzida no Brasil pela editora Conrad. Até o momento, Pratchett lançou 38 títulos; a Conrad publicou 13 e desde 2008 não há notícia de novos lançametos por aqui. O jeito é ir se virando com as edições em inglês mesmo [na Livraria Cultura saem até mais barato do que nos sebos onde comprei alguns].

Embora os livros possam ser lidos fora de ordem, eles são relacionados, sim. O tio lá do L-Space, o fórum mais legal sobre Discworld, fez até um gráfico com os grupos, sequências e conexões entre os livros, atualizado até o romance mais recente [Unseen Academicals], lançado em outubro de 2009. Se clicar aqui vai fazer o download do gráfico no formato do Excel [XLS].

Faixa-bônus: Belas Maldições: As Belas e Precisas Profecias de Agnes Nutter, Bruxa de Terry Pratchett e Neil Gaiman. Não faz parte da série Discworld e saiu pela Bertrand Brasil, mas é Pratchett *e* Gaiman.

Posts relacionados
10 livros em 10 dias
Going Postal
Thief of time
The Fifth Elephant
Desafio Literário | Hogfather [livro reserva]
A Cor da Magia – filme
Hogfather – Missão especial de natal
Quando as bruxas viajam
O Senhor da Foice
A Magia de Holy Wood
Eric
Guardas! Guardas!
Pirâmides
O Fabuloso Maurício e Seus Roedores Letrados
Discworld [A Cor da Magia, A Luz Fantástica e Direitos Iguais, Rituais Iguais]
O Oitavo Mago