Domingueiras

Eu tenho COT. É igual TOC mas as letras estão em ordem alfabética COMO DEVE SER.

Eu tenho COT. É igual TOC mas as letras estão em ordem alfabética COMO DEVE SER.

Dois detetives – ou um detetive e seu sidekick – invadiram uma mansão no meio da noite na investigação de um crime. Na escrivaninha da biblioteca encontraram um bilhete que dizia “Obrigado pela receita de sopa de mel, deu certinho” ao lado de um pequeno bolo confeitado. O sidekick o deixou de lado, mas o detetive meticuloso copiou a receita e tentou reproduzi-la. A sopa talhou e ele descobriu que a pista estava ali ou no bolo confeitado.

Daí o telefone tocou e eu acordei. Dorga.

A sopa talhou porque levava leite e limão, BTW.

Tutu devidamente castrada, a cirurgia foi bem no dia daquela virada brusca de tempo, tadinha, ela que é tão friorenta. Nos primeiros dois dias e meio ela nem saiu da cama, tinha que ser alimentada, hidratada e limpa ali mesmo. Agora já detonou a roupinha, esquentou a barriga deitada em cima do monitor de Miguelito, aterrorizou os filhotes… :lol: Essa é a minha neguinha.

Rede social para gateiros: Balaio de Gato.

Ouvindo a Rádio Mitsubishi, programa Versão 4 x 4 só de versões.

Continuar lendo

10 livros em 10 dias | Livro mais velho

Dia 10

Aqui tive mais um problema de dúvida de interpretação: deveria considerar a idade da obra ou da edição? Se for da obra, eu chutaria que o livro mais velho que li foi A Arte da Guerra, do general chinês Sun-Tzu, escrito no século 4 antes de Cristo em tabuinhas de bambu. De dicas de estratégia miitar o livro virou guia de gestão empresarial. E, de tanto ouvir falar, resolvi checar o texto integral em vez me fiar nas citações fora de contexto.

Vou me abster de comentar aqui, belê?

Mas se for pra considerar a edição mais antiga que tenho em casa, acho que é a Enciclopédia Trópico que herdei de meu avô. Publicada no Brasil em 1957 por Giuseppe Maltese, são dez volumes abordando assuntos gerais em verbetes [ou "documentários"]. Eu passava horas lendo essa enciclopédia no sofá do meu avô [em Pedra Lascada] nas férias da escola. Ficava na prateleira logo acima da coleção de revistas Seleções do Readers’ Digest dos anos 50 e 60.

Quando ele passou pra mim nós ainda morávamos em outra cidade e eu tava no primeiro grau. Cheguei a consultá-la para trabalhos escolares, tem coisa que não ficou ultrapassada. Ainda tenho todos os exemplares, mas faz anos que não mexo nela… Medo de esfarelar. :)

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

10 livros em 10 dias | Série de livros que gosto mais

Alguns títulos da série

Alguns títulos da série

Dia 9

Discworld, série de fantasia escrita pelo inglês Terry Pratchett.

A-há! Te peguei, né? Pensou que eu ia dizer Harry Potter, né?

Pois olhe, quase que foi mesmo. Eu adoro Harry Potter, tenho dois sets dos livros [em pt-br e em inglês], diversos livros relacionados à série da J. K. Rowling, todos os filmes lançados, cadernos, canetas, bugigangas… Também sou fã das séries O Senhor dos Aneis, O Guia do Mochileiro das Galáxias, Crestomanci, Fronteiras do Universo, Sandman, Sookie Stakchouse Stories, recém-introduzida [ui] a Jeeves e amando, etc. [e bote um grande etc. aqui].

Mas diga apenas uma vez “Discworld” e terá minha atenção para sempre. O mundo achatado como uma pizza que viaja nas costas de quatro elefantes que se apoiam nas costas da tartaruga interestelar Grande A’Tuin é rico em referências pop, mitológicas, culturais, políticas, religiosas e econômicas; oferece histórias cheias de afeto, humor e crítica social; tem personagens a quem o leitor se apega, por suas qualidades e defeitos; são livros para serem relidos várias vezes, e a cada vez é um livro diferente.

A série começou a ser traduzida no Brasil pela editora Conrad. Até o momento, Pratchett lançou 38 títulos; a Conrad publicou 13 e desde 2008 não há notícia de novos lançametos por aqui. O jeito é ir se virando com as edições em inglês mesmo [na Livraria Cultura saem até mais barato do que nos sebos onde comprei alguns].

Embora os livros possam ser lidos fora de ordem, eles são relacionados, sim. O tio lá do L-Space, o fórum mais legal sobre Discworld, fez até um gráfico com os grupos, sequências e conexões entre os livros, atualizado até o romance mais recente [Unseen Academicals], lançado em outubro de 2009. Se clicar aqui vai fazer o download do gráfico no formato do Excel [XLS].

Faixa-bônus: Belas Maldições: As Belas e Precisas Profecias de Agnes Nutter, Bruxa de Terry Pratchett e Neil Gaiman. Não faz parte da série Discworld e saiu pela Bertrand Brasil, mas é Pratchett *e* Gaiman.

Posts relacionados
10 livros em 10 dias
Going Postal
Thief of time
The Fifth Elephant
Desafio Literário | Hogfather [livro reserva]
A Cor da Magia – filme
Hogfather – Missão especial de natal
Quando as bruxas viajam
O Senhor da Foice
A Magia de Holy Wood
Eric
Guardas! Guardas!
Pirâmides
O Fabuloso Maurício e Seus Roedores Letrados
Discworld [A Cor da Magia, A Luz Fantástica e Direitos Iguais, Rituais Iguais]
O Oitavo Mago

10 livros em 10 dias | Livro que menos recomendo

Capa do livro

Dia 8

Eu gosto muito dos livros da escritora inglesa Agatha Christie, a ponto de comprar e ler biografias e enciclopédias relacionadas à obra da autora. Assim, quando soube deste O Assassinato de Agatha Christie, de Sun Holiver, corri a providenciar um exemplar.

A empolgação foi diminuindo conforme crescia o espanto, até me dar conta da enorme arapuca que é esse livro. A autora pegou trechos da autobiografia, do livro de viagem [Desenterrando o Passado] e de mais dois ou três romances policiais de Agatha Christie, desconsiderou toda a cronologia, descaracterizou a personalidade dela, misturou temas bizarros como florais de Bach, um par de óculos que enxerga o futuro e montou uma fanfic ruim.

Se fosse para resumir o livro em uma palavra, esta palavra seria “baboseira”.

O lado bom desse livro é que apenas nós temos acesso a ele, já que Sun Holiver é pseudônimo da professora brasileira que o cometeu.

Corre, Bino, é cilada!

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

10 livros em 10 dias | Livro que mais recomendo

Capa do livro

Capa do livro

Dia 7

Outro tópico em que tive dificuldade imensa para escolher apenas um. Me apeguei à tag Top Favoritos de novo mas não adiantou. Acho difícil recomendar um livro assim, às escuras – geralmente levo em consideração a outra pessoa, seus interesses, seu grau de envolvimento com a leitura, etc.

Apelei então para um método científico: uni-duni-tê, o escolhido foi O Menino no Espelho, do escritor brasileiro Fernando Sabino. Primeiro porque acho Sabino um escritor subestimado, devia ser mais lido e recomendado e comentado [eu me incluo entre os culpados]. Segundo porque este livro é um dos meus Top Favoritos Foréva, resistiu a várias releituras ao longo dos anos [ao contrário do livro de ontem, por exemplo].

A história gira sobre as memórias de infância do autor na Bela Horizonte dos anos 20 como se fosse narrada pela criança que ele foi, então a linguagem é simples e tem até mesmo um ligeiro sotaque mineirês. E, como boa história de criança, tem lá seus momentos de fantasia também… Mas este não é um livro infantil, e sim um livro universal que pode e deve ser lido a qualquer tempo em qualquer lugar, em qualquer idade, sem restrições religiosas, políticas, sequissuais, por gente que gosta de ler e por quem não curte tanto assim.

Sabino trata o leitor com respeito e oferece um livro cheio de camadas [eu sei, tou me repetindo, mas é a verdade!] que pode ser lido desde como uma fábula infanto-juvenil até como uma alegoria política [foi publicado na última fase da ditadura militar brasileira, em 1982]. Em todo caso, é uma ótima porta de entrada para os livros do autor – e dele há muitos, ainda bem.

Leia aqui o prólogo e parte do capítulo II.

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

10 livros em 10 dias | Livro que prestei menos atenção

Capa do livro

Capa do livro

Dia 6

O tópico “Livro que menos te fez ter a atenção nele” também me confundiu. Será o livro que prendeu tão pouco da minha atenção que não deixou marcas? Desses lembro de vários. Ou melhor, não lembro. Quero dizer, li vários que não prenderam minha atenção o bastante para serem lembrados, mas esqueci deles. Fez algum sentido pra você? :lol:

Se for livro que, por ser superficial e linear, exigiu menos concentração na leitura, também tem uma lista razoável.

Optei então por um livro que eu li na adolescência e achei ótimo, cheio de ensinamentos positivos e magia, e que reli muitos anos depois e achei horrível, cheio de preconceito e muito mal redigido.

Lao-Tsé é um livro apócrifo editado pelo Caminho do Graal que, supostamente, seria a biografia do filósofo chinês autor do Tao Te Ching [modernamente grafado Dao De Jing]. Nas sinopses que encontrei dizem que o texto teria sido recebido por inspiração divina ou espiritual. Do pouco que conheço do Tao, a conduta e os ensinamentos do Lao Tse do livro contraria os ensinamentos que norteiam o taoísmo.

Além disso, o espírito ou deus que ditou o texto escreve realmente mal.

Comé que eu não prestei atenção nisso quando li da primeira vez é um mistééério.

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

10 livros em 10 dias | Livro que exigiu mais atenção

Capas do livro

Capas do livro

Dia 5

O tema original deste post era “Livro que mais te fez ter a atenção nele” e fiquei confusa. Se for o livro que mais prendeu minha atenção eu estou enrascada porque são muitos. Optei pela mesma interpretação da Cristine, ou seja, o livro que exigiu que eu lesse com mais atenção pra não me perder na história.

Neste ponto o campeão é Jonathan Strange & Mr. Norrell, da escritora Susanna Clarke, sem dúvida. Quem acompanha este blog sabe da minha luta para terminar a leitura, que comecei e abandonei várias vezes desde que o livro foi traduzido no Brasil [comprei ainda na pré-venda em 2005 e veio a versão da capa com fundo preto] e só acabei em dezembro do ano passado.

O livro é bom depois que entendemos a mecânica da história, só é pena que isso só aconteça quando termina. :lol:

Sinopse
A prática da magia foi considerada extinta da Inglaterra desde os tempos medievais do Rei Corvo. Em 1806, aqueles que se intitulam magos são apenas estudiosos da história da magia. Mas, um dia, dois desses magos teóricos resolvem investigar os motivos do desaparecimento da magia. E assim conhecem Mr. Norrell, um mago recluso que desafia a todos ao mostrar seus poderes. Para provar que a magia ainda existe, Mr. Norrell reúne os magos teóricos na catedral de York e faz com que as estátuas de pedra comecem a falar. Em troca de seu ato, exige a imediata dissolução da Sociedade de Magos. Agora com fama e poder, ele abandona a reclusão e vai para Londres, onde colabora com o governo no combate a Napoleão Bonaparte. Começa então a colocar em prática seu plano secreto de controlar a magia na Inglaterra.
Tudo vai bem, até o momento em que seu discípulo, o arrogante e impetuoso Jonathan Strange, resolve se rebelar contra a visão restrita de Norrell sobre o lugar destinado à magia. Strange decide seguir seu próprio rumo como mago e resgatar os poderes do lendário Rei Corvo, mas acaba colocando em risco a si próprio, aos que o cercam e à toda a Inglaterra.
Acontecimentos inusitados e personagens deste e do outro mundo, familiares e estranhos, atravessam o romance com uma boa dose de ironia e engenhosidade. Misturando ficção e fatos históricos, Jonathan Strange & Mr. Norrell levou dez anos para ser escrito e foi baseado em uma extensa pesquisa da autora sobre a história da magia inglesa. Apelidado de “Harry Potter para adultos”, o livro combina a mitologia fantástica de J.R.R. Tolkien com a comédia de costumes de Jane Austen, de quem Clarke é admiradora confessa, e ainda acena ao romantismo, à observação social de Charles Dickens e à literatura gótica de Anne Radcliffe.

Posts relacionados
10 livros em 10 dias

Domingueiras

Respeito por todas as coisas vvas: você está fazendo direito.

Respeito por todas as coisas vivas: você está fazendo certo.

Imagem: I can has cheezburger?

Coisas que eu não sabia e agora sei: [1] as concorrentes Puma e Adidas foram criadas por dois irmãos.

[2] O grupo ABBA criou a música Dancing Queen para o casamento de Gustavo e Silvia, os reis da Suécia [via Borboleta Pequenina].

A The Times começa a cobrar pelo acesso ao conteúdo. Adeus, The Times.

DVDs de filmes Dreamworks que não permitem pular os trailers: morram carbonizados. Mas agora eu aprendi: devo resistir aos apelos de sobrinho e comprar apenas os Disney, Pixar, até mesmo aqueles nacionais com roteiro copiado, caus que ele pede pra colocar os da Dreamworks, assiste uns minutos e logo pede pra trocar porque “esse é chato, tia”. Os outros já estão até furando de tanto que ele assiste.

“Muitas vezes os professores pedem livros para os alunos lerem para cobrar nomes de personagens e, é até válido para o momento, mas desestimula a leitura. Ele tem que sentir prazer ao praticar a leitura”, explica. Para tanto, o aluno tem que ter direito de escolher qual livro vai ler, sabendo que não será cobrado numa prova, por exemplo. [Professor Ivo de Souza para o jornal iFolha, 04/07/10]

Continuar lendo

10 livros em 10 dias | Livro mais caro

Vale quanto pesa

Vale quanto pesa

Dia 4

Essa eu nem precisei pesquisar porque me lembro toda vez que vejo as promoções [no fim de semana tava por dezenove conto a trilogia - claro, em outra edição, separada em 3 volumes e capa mole]: R$98,00 pela edição comemorativa, numerada e limitada da editora Martins Fontes para a trilogia O Senhor dos Aneis, de J. R. R. Tolkien, lançada meses antes da estreia do primeiro filme [dezembro de 2001, foi meu autopresente de natal naquele ano].

Essa nem é a edição mais cara, tem outras que custam até o dobro do preço; embora eu preferisse que fosse um pouco mais em conta, não me arrependo da aquisição. Oh, e a quem interessar: o meu exemplar é o número 4429.

[Se for contar livro único em vez de série agrupada seria Jonathan Strange e Mr. Norrell, mas ele ganhou post exclusivo mais à frente. ;)  E se for contar mutivolume provavelmente é a Biblioteca do Escoteiro Mirim...]

[Desconsiderei livros técnicos.]

O Senhor dos Aneis é uma série de fantasia que narra a saga do jovem Frodo em sua peregrinação para destruir o Anel do Poder. A mitologia, a geografia, os personagens, tudo isso forma uma obra cheia de significados mágicos, políticos, sociais, filosóficos e morais para ser lido várias vezes, estudado mesmo.

E, para compensar o assalto ao meu bolso que foi o livro, comprei o box de filmes apenas seis anos depois que foi lançado – o box coa versão normal, porque os executivos brasileiros perderam o bonde da versão estendida, os orcs – por apenas R$29,90 a caixa com seis DVDs. Uma pela outra…

Posts relacionados
10 livros em 10 dias