Doação de Sangue: Quem, Quando, Onde, Por Que

Por que doar sangue?
O sangue doado ajuda tanto a pacientes crônicos que necessitam dos seus derivados pela vida inteira quanto a vítimas de acidentes ou que necessitem de cirurgia. Não existe um substituto artificial e é um dos poucos tecidos que pode ser doado em vida, sendo reposto naturalmente pelo próprio organismo do doador. A doação é um ato 100% voluntário: o doador não ganha dinheiro nem privilégios.

Nesta época de festas de final de ano e férias, principalmente, o número de doadores diminui e o de receptores aumenta devido a acidentes. O nível do estoque cai e a procura pelos doadores sobe. Eu não posso doar sangue e essa é uma das grandes frustrações da minha vida, mas não é por isso que deixo de usar o blog pra divulgar a importância de ser doador. Se uma única pessoa decidir doar sangue ou plaquetas depois de ler este post já considerarei o melhor presente de Natal do ano!

Quem pode doar sangue:
Homens e mulheres saudáveis, com idade entre 18 e 65 anos e mais de 50Kg;
Os homens podem doar a cada 60 dias e no máximo 04 (quatro) vezes ao ano;
As mulheres podem doar a cada 90 dias e no máximo 03 (três) vezes ao ano;
Para o seu cadastramento no Hemocentro é necessário trazer um documento de identificação com foto;
Não há necessidade de jejum, evite alimentos gordurosos e caso sua refeição seja abundante, deve aguardar 04 (quatro) horas para realizar a doação.

Quem NÃO pode dar sangue:
Quem ingeriu bebida alcoólica;
Quem teve relações sexuais com parceiros desconhecidos;
Quem tenha usado drogas;
Mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Após o parto, aborto ou amamentação devem esperar três meses para doar;
Quem teve malária (maleita), doença de chagas, lepra (hanseníase) e AIDS;
Quem teve hepatite depois dos 10 anos de idade ;
Quem recebeu transfusão de sangue nos últimos 12 meses;
Quem se submeteu à cirurgia de pequeno porte (há menos de três meses) e de grande porte (há menos de 6 meses);
Quem fez tatuagens, maquiagem definitiva, piercing e acupuntufra com médico não-qualificado nos últimos 12 meses.

Alguns impedimentos são definitivos, outros são temporários. O uso de alguns medicamentos impede a doação [dentre eles o danado do atenolol que eu tomo, grrr]; saiba mais no site da Hemominas. Aliás, a página de FAQ da Hemominas é a mais completa que encontrei na Internet, vale guardar para consulta quando surgir dúvida. Descobri, por exemplo, que não apenas o uso do atenolol me impede [eu posso interromper o tratamento dois dias antes de doar], mas a alergia à penicilina também.

O caminho do doador

Todo candidato à doação de sangue passa por diversos setores antes da coleta do sangue; que são:

Cadastro – dados de identificação do doador, endereços para contato.

Orientação – oportunidade para o doador esclarecer suas dúvidas sobre o procedimento.

Pré-triagem – Verificação de pressão arterial, temperatura, pulso, peso, dosagem de hematócrito (teste de anemia).

Triagem – a entrevista é totalmente confidencial, verifica-se se existe alguma contra-indicação à doação, protegendo assim o próprio candidato e o paciente que receberá o sangue. Para isso, é fundamental que as informações prestadas sejam verdadeiras.

Coleta – Procedimento realizado por profissionais treinados e dentro de padrões técnicos.

Lanche – Visa iniciar a reposição do volume sanguíneo retirado, bem como permitir a observação do doador após a coleta, diminuindo as chances de reações à doação.

Todo o sangue coletado será submetido a exames de sorologias obrigatórios determinados pela Resolução da Diretoria Colegiada da ANVISA – RDC nº. 343, de 17 de janeiro de 2003. Os resultados dos exames realizados poderão ser retirados no Hemocentro pelo próprio doador; se a doação for realizada por coleta externa o resultado será enviado através do correio. No caso de resultados alterados, o doador será comunicado via correio.

Cuidados pré-doação

Alimentação
Para doar sangue o candidato não poderá estar em jejum. Se for doar pela manhã, fazer uma refeição leve, sem gorduras, como café, bolo, pão, cereais e frutas, por exemplo. Após almoço, jantar ou refeições com conteúdo mais gorduroso deve-se aguardar três horas para efetuar a doação. Após refeições gordurosas ou copiosas será necessário aguardar quatro horas. Refeições com elevado índice de gordura, como a feijoada, podem interferir na execução dos exames; assim, sugerimos que nesta situação a doação seja realizada no dia seguinte. Lembre-se de ingerir líquidos em maior quantidade antes e depois de realizar a doação.

Bebidas alcoólicas
O uso de bebida alcoólica impede a doação por 12 horas, se não houver sintomas relacionados à sua ingestão. Neste caso, é necessário aguardar a normalização para doar o sangue.

Repouso
O candidato deve ter dormido, pelo menos, quatro horas. Idealmente, deve ter dormido dentro do seu habitual, sentindo-se descansado no momento da doação.

Cuidados pós-doação

Que atividades profissionais devem ser interrompidas, por um período de tempo determinado, logo após a doação de sangue?
As atividades que podem colocar em risco a própria integridade física do candidato e de terceiros. Nesse caso, só poderão doar sangue os profissionais que tiverem disponibilidade para aguardar o tempo de repouso recomendado antes de retomar suas rotinas. Abaixo, as principais atividades que exigem repouso.
Desportistas, em função da hipovolemia (diminuição do volume sanguíneo) devem aguardar 24 horas para voltar a praticar em ritmo de competição os seguintes esportes: ciclismo, natação, alpinismo, esportes automobilísticos, moto de competição, judô, boxe, futebol, basquete, vôlei, corrida e similares.
Operadores de máquinas, condutores de veículos coletivos rodoviários e ferroviários devem interromper suas atividades por 12 horas depois da coleta. No caso desses profissionais, a possibilidade de reações pós-doação aumenta o risco de acidentes graves.
Mergulhadores, pilotos, paraquedistas, bombeiros e profissionais que atuam em andaimes devem interromper suas atividades por 24 horas depois da coleta. Isso porque a doação de sangue dificulta temporariamente a adaptação do organismo às alterações ambientais. Como resultado, esses profissionais podem ter tonturas, perda de consciência etc.

Que tipo de atividade física deve-se evitar depois da doação?
Deve-se evitar, por 12 horas, qualquer atividade que exija esforço físico (andar de bicicleta, carregar peso, fazer ginásticas, faxinas domésticas, lavar roupas a mão etc.).

É permitido dirigir depois da doação de sangue?
Sim, desde que em trajetos curtos (máximo 30 minutos). Para viagens de maior duração é recomendável aguardar pelo menos duas horas.

Pode-se manter relações sexuais após a doação de sangue?
Recomenda-se aguardar em torno de duas horas.

Pode-se fumar ou ingerir bebidas alcoólicas depois da doação de sangue?
Recomenda-se aguardar em torno de duas horas. Tanto o álcool quanto a nicotina provocam vasodilatação, o que pode levar à hipotensão.

Quais os direitos do doador de sangue?
A Lei 1.075 de 27 de março de 1950 dá direito à dispensa do ponto, no dia da doação de sangue para o funcionário público civil de autarquia ou militar. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê, em seu artigo 473, que o empregado poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário, por um dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada.

Para o doador de sangue, o tempo total dispendido em todas as fases [do cadastro ao lanche] é de 40 minutos no máximo.

Doação de plaquetas [Aférese]

O que é doação por Aférese?
Aférese significa “separar” ou “retirar”. Portanto, através da doação por aférese é possível retirar apenas uma das células do sangue total.

O que são Plaquetas?
São células do sangue responsáveis pela coagulação. As plaquetas são produzidas na medula óssea e podem ser armazenadas no baço. Quando um vaso ou órgão é lesado, as plaquetas se prendem ao local formando uma barreira que evita o sangramento.

Como é feita a separação de plaquetas por aférese?
A enfermeira conecta o doador à máquina de aférese, através de punção venosa em ambos os braços. Por centrifugação a máquina separa o sangue do doador e retira somente as plaquetas, devolvendo as outras células ao doador. O sangue não entra em contato com a máquina e sim, com um material descartável e estéril. O procedimento dura aproximadamente 60 minutos, o que exige uma colaboração maior do doador ao paciente.

Doar plaquetas por aférese é seguro?
É totalmente seguro. Não há risco de se contrair qualquer doença, porque utiliza-se materiais estéreis e de uso único. Durante este processo, a máquina coleta 10% das plaquetas circulantes no organismo do doador. A medula óssea do doador facilmente repõe esta quantidade de plaquetas em 24 horas, e as doações por aférese podem ser repetidas a cada 48 horas sem prejuízo ao doador.

Quem utiliza as plaquetas?
São pacientes que sangram devido a baixa contagem de plaquetas por causa de leucemias, câncer, anemia aplástica, quimioterapia, radioterapia etc. As pessoas submetidas a transplante de medula óssea necessitam de muitas transfusões de plaquetas.

Como a aférese ajuda os pacientes?
Uma doação por aférese contém 8 vezes mais plaquetas do que numa doação tradicional. Então, em vez do paciente ser transfundido com plaquetas de 8 doadores, através da aférese é necessário apenas um doador.

Por que doar sangue por aférese?
Para colaborar com os pacientes que necessitam de grande quantidade de plaquetas.Este tipo de doação proporciona resultados benéfícos ao paciente, sem prejudicar a saúde de quem está doando.

Quais as exigências para ser doador de plaquetas?
Ter idade entre 18 e 60 anos, ser uma pessoa saudável com ótimas condições de veias e que seja facilmente localizado quando for necessário doar. Comparecer ao Hemocentro com documento de identidade, onde o provável doador passará por entrevista e será coletado exames sorológicos para Hepatite, AIDS, Chagas, Sífilis, HTLV e hemograma com contagem de plaquetas.

Qual o tipo de sangue ideal?
Todos os tipos de sangue são ideais e necessários. O que é preconizado é dar preferência ao doador com ABO compatível ao paciente.

Recomendações ao doador de plaquetas por aférese:

- O doador será convocado previamente para a doação, por isso, deverá deixar um telefone para contato.

- O doador deverá comparecer ao Hemocentro no horário determinado com pontualidade.

- O doador não deve fazer uso de medicamentos tipo AAS, Aspirina, antinflamatório, etc. Se houver necessidade do uso destes medicamentos, entre em contato com a enfermeira do setor de aférese e comunique o fato.

- Os exames sorológicos terão validade por 10 dias. Se neste período o doador não fizer nenhuma doação, será necessário nova coleta de exames.

- No dia da doação o doador deve se alimentar normalmente, sendo que bebidas alcoólicas e alimentos muito gordurosos devem ser evitados desde a véspera da doação.

- Recomenda-se no dia da doação a ingestão de alimentos pobres em gorduras e ricos em cálcio (leite, queijo fresco, etc.).

A doação de plaquetas só pode ser realizada após uma doação de sangue. Isso porque é preciso verificar se as veias do doador têm calibre adequado para o processo de doação de plaquetas.

Uma vez realizada a doação de sangue, as doações de plaquetas podem ser realizadas durante os 6 meses seguintes, com intervalo de 48h entre uma doação e outra. Dentro desses 6 meses, as mulheres devem esperar 3 meses para fazer a primeira doação de plaquetas e os homens, 2 meses.

ONDE DOAR SANGUE, PLAQUETAS E CADASTRAR-SE COMO DOADOR DE MEDULA ÓSSEA

Lista de Hemocentros pelo país [link] – se não tiver um na sua cidade, entre em contato com o mais próximo e eles podem informar quando e onde haverá captação perto da sua casa. Aqui em Pedra Lascada, por exemplo, o Rotary e o Hemocentro de Marília organizam uma manhã de sábado a cada três meses no Clube da Jacto para receber os doadores da cidade. Empresas e grupos de amigos também podem agendar coleta coletiva no local de trabalho com o Hemocentro regional.

Fontes:
INCA
Fundação Hemominas MG
Fundação Pro-Sangue SP
Hemocentro Campinas/SP
Hemocentro Marília/SP
Oncopediatria
Revista Viva Saúde

About these ads

4 comentários sobre “Doação de Sangue: Quem, Quando, Onde, Por Que

  1. Que post maravilhoso!
    Tenho o maior carinho pelo Hemominas. Fiz meu estágio lá e o cheirinho do sanduba que eles fazem com o maior capricho chama o doador de longe!!!
    Tentei doar duas vezes. Uma não passei da triagem porque era na época da vaca-louca e eu tinha acabado de voltar da Inglaterra. Na outra cheguei a doar uns 10ml de sangue, que a minha veia não tinha calibre suficiente. Foi só pra sujar as bolsinhas de coleta. :( Quem sabe na terceira vez dê certo.

  2. Doo de 3 em 3 meses há quase 20 anos. Recomendo, tem até lanchinho, para os que não conseguem um motivo sequer para enfrentar a agulha: vai gente, o sangue vem de novo tão vermelhim pra vocês !

  3. Excelente o post, Naomi, e o site da Hemominas foi bastante esclarecedor. Espero que algum dia descubram que quem teve câncer e já passou da fase de remissão possa doar; é chato ouvir “não” quando se quer ajudar… :(

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s