Mau-caratismo comercial

Eu sou uma consumidora super tranquila e paciente no dia a dia, mas tem uma prática que percebi ser comum em operadoras de TV, Internet e telefonia que me tira do sério: clientes antigos que têm um determinado plano pagam mais caro do que clientes novos que contrataram um pacote de serviço similar.

Dois exemplos: eu pagava R$90,00 por 256 kbps de Internet [juro], até o dia que descobri por acaso que o plano de 1 Mbps [o quádruplo de velocidade] do mesmo provedor saía por R$60,00. Pelo mesmo preço que eu pagava 256 kbps tem o plano de 5 Mbps. Na hora de aumentar a mensalidade todo mundo dá um jeito, mas ninguém pensa em migrar o cliente antigo automaticamente para um plano mais vantajoso para o cliente, né? Deixa a otária pagar mais caro, não interessa que seja fiel à empresa há anos.

Mesma coisa a operadora de TV por assinatura: meu pacote de canais [mais a assistência premium] de 2007 saía por quase R$ 130,00. O pacote 2011 com os mesmos canais sai por R$ 90,00. Tá vendo o luminoso piscando “OTÁRIA” na minha testa? Reajuste de preço anual eles botam no boleto direitinho, mas migrar automaticamente meu plano pra equivaler ao assinante novo? Só se eu descobrir isso por acaso e solicitar alteração por telefone pagando interurbano, porque pelo site não altera e 0800 é só pra fazer assinatura.

Essa prática pode até não ser ilegal, mas escancara direitinho o mau caráter da empresa que a pratica.

De 2001 para 2011

Em 11/09/2001 estávamos @technosoftnavas, @andrerissatto e eu fazendo a migração do servidor de @siteantidrogas desde as primeiras horas da manhã, quebrando a cabeça porque DNS parecia não responder. Só depois de telefonar pro suporte técnico do backbone descobrimos que havia um estrangulamento no tráfego da Internet por causa das notícias sobre o atentado terrorista: as páginas iniciais dos principais sites de notícias estavam limpos dos elementos visuais para dar conta dos acessos, e mesmo assim demoravam para carregar.

Em 01/05/2011 estávamos @technosoftnavas, eu e milhares de pessoas descobrindo pelo Twitter e Facebook sobre a morte de Osama bin Laden, líder da Al Qaeda responsável pelos atentados, antes de qualquer portal de notícias ou canal de tv brasileiro, assistindo ao pronunciamento do presidente Barack Obama em streaming pelo site da Casa Branca.

A História é feita de momentos, pois pois?

Olha o lobo!

Era uma vez um menino que cuidava de um rebanho de ovelhas na montanha. Sentindo-se entediado, ele resolveu pregar uma peça nos moradores da vila e gritou que um lobo estava atacando as ovelhas. Os moradores correram montanha acima mas só encontraram o menino rindo. Ele fez isso uma vez, duas vezes, outra vez, até o dia em que um lobo apareceu de verdade.

O menino gritou, gritou, mas os moradores, que já haviam sido enganados muitas vezes, não acreditaram nele e o lobo comeu o menino.

Essa é a fábula que Esopo contava para ensinar lição de moral às crianças, que não se deve mentir. Lembrei dela hoje por causa das pessoas que se dedicam a fazer panfletagem eleitoral desesperadamente, para um ou contra outro candidato. Na maioria das vezes contra um candidato, mas sempre com tamanho empenho que parece um grito desesperado.

Eu represento os moradores do vilarejo: de tanto ouvir “o lobo! o lobo!’, não confio mais na opinião dessas pessoas mesmo quando o que dizem é verdade.

Cry Wolf – A-ha


Link http://www.youtube.com/watch?v=jroHtqrz88Y

Bom exemplo de respeito ao consumidor da Livraria Cultura

Preços sujeitos a alteração de acordo com a atitude do cliente

Imagem: Monday Through Friday

Na quarta-feira, que foi Dia do Consumidor, recebi um telefonema da Livraria Cultura que me fidelizou pra sempre: ligaram pra avisar que um livro que comprei estava com a ponta da capa amassada e me dariam um desconto de 5% por causa disso, caso eu autorizasse o envio nessas condições. O pocket custou R$ 18, o desconto não chega a um real, mas não é pelo valor: é a atenção, o cuidado, o respeito.

Tão de parabéns.

Aliás, eles têm uma logística diferente para garantir a entrega o mais rápido possível: em vez de sair tudo de um depósito central, os exemplares são localizados e enviados de onde estiverem. Vi no rastreamento que um saiu do Shopping Eldorado em São Paulo e um de Brasília [o terceiro, o da capa amassada, está "sendo processado"].

Censo 2010 3 em 1

Censo 2010

Censo 2010

Cê sabe que a cada dez anos tem um povo que anda de casa em casa assuntando quantas gentes moram ali, quantos banheiros dividem e coisas assim, num sabe? Apois, é o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE], que começou agora no dia 1. Eu vou te contar, nesse intervalo de dez anos fiquei muito paranoica coesse negócio de dar informação particular ao primeiro que pergunta, graças à Internet. Tá que é gente uniformizada e crachazada, mas mesmo assim. Malandrage tá sempre um passo à frente.

Por isso, resolvi que desta vez responderei ao questionário via Internet. Incoerente, né? Prefiro responder a uma máquina do que a uma pessoa.

Pela primeira vez, moradores de todos os 5 565 municípios do país poderão repassar suas informações para o recenseamento via internet. Para isso, eles terão primeiro que ser visitado por um agente do IBGE, informar o seu número de telefone e receber um envelope lacrado, que conterá códigos de acesso para acessar a página do questionário. [Info]

Pelo que entendi até agora, existem dois modelos de questionário, um básico e um mais extenso, chamado de “amostra” e que contem as perguntas do básico mais questões relativas à escolaridade, renda e religião da pessoa que chefia a casa [ou seja, mesmo o questionário de amostragem não reflete os números reais globais]. O questionário de amostra será aplicado em apenas 11% dos domicílios. Dá pra fazer o download dos dois modelos em PDF no site do IBGE. Apenas o de amostragem tem questões dedicadas a deficientes.

O PDF do ste não mostra as opções de religião disponíveis. Houve uma polêmica entre os espíritas quando a Federação Espírita Brasileira emitiu uma carta instruindo os membros a responderem “kardecistas” quando questionados, porque se respondessem “espíritas” o recenseador anotaria “Sem opção religiosa”. Isso foi desmentido e a FEB publicou uma retificação em seu site.

Nessa retificação tem um anexo em DOC que foi fornecido pelo próprio IBGE com todas as opções de religião aceitas pelo programa do smartphone do recenseador. Eu copiei e trouxe para cá, se quiser baixar as 33 páginas é só clicar no link abaixo.

Anexo Religiões Censo IBGE 2010

Mas isso não impede que se responda com uma religião que não esteja na lista. Há um movimento nas redes sociais para que o internauta responda Jedi ou Jediismo quando perguntado. Veja a resposta que eu obtive via email [censo2010@ibge.gov.br]:

Mesmo se a religião informada pelo recenseado não estiver presente na lista, ela será registrada como a religião do recenseado.

Moral da história? Responda o que quiser. :lol:

Os computadores de mão que estão sendo utilizados pelos recenseadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para coletar os dados do Censo 2010 serão destinados a programas de inclusão digital em escolas públicas e para a realização de entrevistas de programas de saúde domiciliar depois que a pesquisa acabar. Os computadores usados nos postos que fazem a coleta dos dados do censo também deverão ser encaminhados a escolas públicas. [Folha]

Os smartphones são da LG e os aplicativos rodam em Windows Mobile [via OlharDigital].

Página oficial do Censo 2010 http://www.censo2010.ibge.gov.br/

Global Voices: de Cala boca Galvão a serendipity

Como Ethan Zuckerman ligou o fenômeno de ativismo virtual “Cala boca Galvão” à iniciativa internacional Global Voices, um grupo de voluntários que escolhem artigos na blogosfera e no noticiário local e os traduzem para o maior número de idiomas possível.

O vídeo dura quase vinte minutos, mas carrega rápido e é muito interessante.

Link http://www.ted.com/talks/lang/eng/ethan_zuckerman.html

O vídeo só tem opção de legenda em inglês por enquanto [clique no subtitle ali na parte de baixo do player], mas isso já ajuda um bocado se o seu listening é meio maluco feito o meu.

serendipity
s. capacidade de fazer descobertas importantes por acaso
Fonte: Babylon

Site do Global Voices em português

* Agradeço à Diana Pádua pela dica!

Momento Desabafo | Tripudiando

Adevertência

Este é um post chato sobre um assunto chato, outro mergulho meu num tema aborrecido que ficaria melhor morto e enterrado mas que preciso tirar do sistema. Desculpaê.

No começo do mês tropecei numa imagem postada em diversos blogs, todos exaltando a grande lição de vida e encorajamento que as palavas representavam. Dizia:

“Se você tem comida na sua geladeira, roupas nas suas costas, um teto sobre sua cabeça e um lugar para dormir, você é mas rico do que 75% do mundo.

Se você tem dinheiro no banco, na sua carteira e algum dinheiro trocado, você está entre os 8% no topo da riqueza mundial.

Se você acordou hoje de manhã com mais saúde do que doença, você é mais abençoado do que mlhões de pessoas que não sobreviverão até o fim de semana.

Se você nunca vivenciou a violência da guerra, a agonia da prisão ou tortura ou as dores terríveis da fome, você é mais sortudo do que as 500 mlhões de pessoas vivas que o sofrem.

Se você consegue ler esta mensagem, você é mais afortunado do que as 3 bilhões de pessoas no mundo que não podem ler de jeito nenhum.”

Eu te pergunto: você está se sentindo melhor, mais sortudo, mais afortunado, mais [vamos lá] abençoado depois de ler isso?

Continue lendo

As 15 Maiores Fortunas da Ficção 2010

Carlisle Culle (Peter Facinelli)

Carlisle Cullen (Peter Facinelli)

A revista Forbes, especializada em negócios e finanças, publicou nesta semana a sua lista anual dos quinze personagens de ficção mais ricos do mundo. Com a recessão e a inflação, alguns nomes caíram ou saíram do ranking, enquanto outros conseguiram retornar ou entrar pela primeira vez.

“Para se qualificar para estar na lista, requer-se que o candidato deve ser uma criação fictícia que tenha um autor, o que exclui personagens mitológicos e folclóricos. Devem estrelar uma obra ou série de obras narrativas específicas. E devem ser conhecidos, tanto em seu universo ficcional quanto pela audiência, por serem ricos. [..] Nós nos reservamos o direito de torcer ou quebrar nossas próprias regras – então, sim, nós sabemos que o Tio Sam e a Fada dos Dentes são folclóricos.” [tradução livre]

Quem quer casar com um bilionário escolha aqui:

1º Carlisle Cullen [saga Crepúsculo]: US$ 34,1 bilhões
Fonte de sua fortuna: investimento em ações de longo prazo, graças à capacidade precognitiva da filha Alice. Além disso, faz 340 anos que sua família não tem gastos com alimentação e planos de saúde.

2º Tio Patinhas: US$ 33,5 bilhões
Fonte de sua fortuna: mineração e caça ao tesouro. E sovinice.

Continue lendo

Momento obsessivo-compulsivo: sacolas plásticas

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

A rede de pizzarias paulitana 1900 esá a abandonar o uso de sacolas plásticas nas entregas. Em 2008 eles adotaram essa solução simples, barata e genial para carregar garrafas de água, suco ou refrigerante: uma alça feita de papel kraft  que se adapta a qualquer garrafa. As sacolas de papel não são ideais para essas garrafas porque a condensação de água provocada pela bebida gelada pode rasgar o papel, mas para a entrega de outros produtos a empresa já está a substituir as de plástico também, desde o ano passado.

Anturdia vi uma reportagem sobre um supermercado carioca que começou a trabalhar com sacolas plásticas mais reforçadas para evitar ter que colocar uma dentro da outra [uso dobrado] e com informações em letras enormes para evitar o abuso. Mesmo assim, a repórter flagrou uma mulher colocando sua comprinha em duas sacolas. A mulher disse que colocar uma dentro da outra é mais confortável pra carregar. Quando a repórter perguntou “e o meio-ambiente?” a mulher fez uma cara de “f*da-se o meio-ambiente” que tive vontade de socar-lhe a fuça.

[Mas as palavras que lhe saíram da boca foram "fazer o quê, né?"]

Comé aquele ditado mesmo? Quem quer fazer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa.

Na mesma matéria, a repórter encontrou uma senhora toda chique. Na mão direita, uma sacola plástica daquelas reforçadas; na mão esquerda uma ecobag de algodão estampada “I [coração] the [Terra]“, ambas lotadas de compras. É isso o que a outra não entendeu: se todos fizessem uso consciente, não precisaria chegar ao cúmulo de ter de proibir.

[A dica sobre a PegaPet eu roubei da Simone Miletic.]

Continue lendo

Interrompemos nossa programação normal…

Quem acompanha este blogue há algum tempo deve ter percebido que evito comentar catástrofes, desastres, infortúnios e mesmo alguns desencantos. Em parte porque a proposta deste espaço é divertir e em parte porque acho que a exposição contínua apenas às durezas da vida embrutece o cerumano enquanto gente.

Só que tem horas que a coisa urge.

Advertência: a partir deste ponto o tema é chato. Se preferir, retorne amanhã, quando publicarei as Domingueiras antecipadas por conta do SAG Awards.

Se prefere continuar lendo, clicaí no “Leia o resto deste post.”

Continue lendo