The Four Yorkshiremen

Quando tudo o mais parece não ter solução, vá de Monty Python! Bom, esse sketch na verdade foi criado antes do Monty Python existir, mas o grupo de quatro humoristas que o encenou em 1967 tinha John Cleese e Graham Chapman no elenco. Eles depois incluíram o número nas apresentações ao vivo do Python em 1974 e 1982.

Quatro homens prósperos de Yorkshire estão bebendo vinho após a refeição e um deles comenta que ninguém imaginaria que um dia estariam ali, considerando-se a infância pobre que tiveram. Um a um, passam a tentar suplantar o outro nas agruras que tiveram de superar.

Incluí cinco vídeos no post: o sketch original de 1967, o ao vivo de 1982 [legendado em pt-br], uma apresentação especial que fizeram com Rowan Atkinson no baile de gala da AI em 1979, novamente num evento da AI em 2001 com elenco especial e o making of deste último número, com comentários de Eddie Izzard [The Riches]. O script em inglês está no final do post.

Divirta-se!

O sketch original “At Last the 1948 Show” [pré-Monty Python] 1967


Link http://www.youtube.com/watch?v=-eDaSvRO9xA
Tim Brooke-Taylor, John Cleese, Graham Chapman e Marty Feldman

Live at the Hollywood Bowl 1982

Continue lendo

Momento obsessivo-compulsivo: Harry Potter

Ainda falta muito tempo para a estreia da primeira parte do último filme da série Harry Potter, o que significa que a ansiedade começa a acumular – assim como as notícias do elenco. Este post é apenas uma válvula móde deixar um pouco da pressão escapar e não explodir a panela. ;)

“That was great,” he said, beaming. “When you’re an English actor and you get the ‘Harry Potter’ call– it’s like Batman, you know? You have a phone, you have a normal phone, and then you have one that is made out of wood. That’s the ‘Potter’ people. They call you up [and] you get your wand out, you put your cloak on and off you go. It’s a real honor. It’s like getting knighted or something.” [Rhys Ifans para a MTV sobre ser convidado para a franquia Harry Potter, 03/03/10]

Fiquei tão feliz quando ele foi chamado!

It’s like the call-up, and it’s so funny. You get on set and you see all these actors who you’ve either admired from afar or more often than not, actors you’ve worked with before, all sitting there, dressed up as wizards, having wand-offs, and then bitching about other actors who didn’t get the call-up. [Idem, para a ComingSoon, 27/02/10]

Oooh, isso é maldade… :lol:

“It came about simply because they asked me, finally, to be a wizard – I thought I was going to be the only English actor of a certain age who wasn’t in Harry Potter but now that turns out not to be the case,” he said. [Bill Night para Press Asociation, 12/02/10]

Ufa, escapou por pouco, né tio?

“Mostly saying goodbye to the wig was a very emotional experience,” he said, deadpan. “I don’t get to keep the wig. I don’t know, it might be on a traveling exhibit. I think it’s got a very good agent who’s got some more work lined up.” [Jason Isaacs revela a dor de se despedir da peruca para a MTV, 02/03/10]

Tadinho, só tem uma peruca? Deem-lhe uma cópia! Ou a bengala.

For Bonham-Carter, bringing Bellatrix to an end was an emotional experience given her investment in the creation of the character as she appears in the films. “Bellatrix wasn’t on the page,” she explained. “I did think, What can I do to make this interesting? She was just written as tall and gaunt, but I knew there was something I got attracted to — playing arrested development. You know, children. Bellatrix is another child — stuck and totally anarchic.” [Helena Bonham-Carter para o Rotten Tomatoes, 25/02/10]

E depois da Bellatrix de HP e da Rainha de Copas de Alice, Bonham-Carter recusou o papel de uma seial-killer vitoriana para evitar ficar presa num estereótipo. Pena. Ela é a melhor nesse tipo de personagem.

I think they just have to make that decision of who’s going to be there and who’s not. And it’s very much about the love interest now, it’s a little bit more serious… less silly characters like me! I miss it, I loved doing it. I would’ve liked to still be involved. [Shirley Henderson para a STV via The Leaky Cauldron, 25/02/10]

Deve dar uma dor no coração cortar personagens… Eu fico, pelo menos, quado leio que fulano ou fulana não participará [oi, Emma Thompson].

Hollywood’s 10 Most Eeeeevil Actors

O site MovieFone selecionou os dez melhores atores de vilões de Hollywood – não os dez melhores vilões, veja, e sim os atores que melhor interpretam vilões. São os opostos dos bons moços como James Stewart e Tom Hanks, por exemplo. Três atores da série Harry Potter estão na lista:

Continue lendo

Os 50 piores vilões do cinema

Angela Lansbury, Sob o Domíio do Mal

Angela Lansbury, Sob o Domínio do Mal

Às vezes tenho a impressão que o pessoal gosta mais dos vilões do que dos mocinhos, pela quantidade de listas e artigos dedicados a uns e a outros. Tá certo que um bom mocinho depende de um mau vlão, mas um pouco de equilíbrio é bom, né? ;)

A revista inglesa Times elaborou uma lista com os 50 melhores vilões do cinema. No artigo tem comentários e vídeos, mas eu trouxe apenas os nomes pra cá.

São eles:

50. Dr. Evil (Mike Myers) – Austin Powers: Um agente nada secreto [Austin Powers: International Man of Mystery] (1997)

49. Leatherface (Gunnar Hansen) – O massacre da Serra Elétrica [The Texas Chainsaw Massacre] (1974)

48. Ivan Drago (Dolph Lundgren) – Rocky IV (1985)

47. Agente Smith (Hugo Weaving) – The Matrix (1999)

46. Kevin (Elijah Wood) – Sin City (2005)

Continue lendo

Jane Austen para todos os gostos

Além da versão de 1940 de Orgulho e Preconceito no TCM [quinta, 23h45], o canal AXN exibirá Razão e Sensibilidade durante o mês de abril em diversos horários [v. a lista no site deles].

Eu confesso que fiquei meio surpresa caus que sempre associei o canal às séries e filmes policiais ou de ação, mas não tou reclamando, não! Qualquer oportunidade para rever Alan Rickman, Hugh Laurie e Hugh Grant tá valendo.

Em notícia do blog Jane Austen em Português, a Raquel informa que a BBC começou as gravações da minissérie Emma [cê sabe, As Patricinhas de Beverly Hills]. O papel de Mr. Knightley [que foi de Paul Rudd na adaptação moderna] deve ser de Jonny Lee Miller, ex-Eli Stone.

Já tou na fila!

Atualização
Razão e Sensibilidade também será exibido no canal VH1 no sábado, 18/04, às 22h.

Razão e Sensibilidade / Sense and Sensibility

sense_and_sensibility_465x290

Era uma vez um teste de personalidade que perguntava qual heroína de Jane Austen era você. O resultado da pessoa deu Elinor Dashwood, a irmã razoável da obra Razão e Sentimento [ou Sensibilidade, como ficou mais conhecida no Brasil]. Isso despertou na Titia Batata um Desejo e Reparação* de reler o livro e rever o filme quando, ao pesquisar na Internet, descobriu que a BBC lançou uma nova adaptação em 2008 em formato de minissérie.

. Ops. Autor errado.

Titia Batata lembra que adorou a versão da BBC para Orgulho e Preconceito / Pride and Prejudice, da mesma autora e do mesmo roteirista [Andrew Davies], por isso correu a baixar os três episódios mais do que disposta a gostar também dessa adaptação – inda por cima do seu livro favorito de Jane Austen, ora essa.

Continue lendo

Eles são maus feito pica-paus

Que que há com esse povo? O site Hollywood.com lançou a terceira lista dos piores melhores vilões do cinema em pouco mais de duas semanas [tem também a do MovieFone e a da rede de videolocadoras LoveFilm]. Há pouca diferença entre uma e outra, mas nesta do Hollywood.com eles acrescentaram uma frase-chave de cada vilão.

1. Darth Vader, da série Guerra nas estrelas [voz de James Earl Jones]
“Considero a sua descrença perturbadora.”

2. Hannibal Lecter, de O silêncio dos inocentes [Anthony Hopkins]
“Eu realmente gostaria que pudéssemos conversar mais tempo, mas… Tenho um velho amigo para o jantar.”
Continue lendo

Os piores vilões

Numa das primeiras reviews em português do filme “Batman – O cavaleiro das trevas” o jornalista Phelipe Cruz cita uma frase capital do Joker Heath Ledger:

Em um das cenas, quando o vilão mais temido de Gotham City tem a chance de matar Batman (Christian Bale), ele desiste da idéia: “Eu não quero matá-lo. Você me completa”, diz, justificando que precisa do herói para que sua maldade tenha algum sentido. [Papel Pop]

É uma relação simbiótica, a que existe entre vilão e herói. O site MovieFone pergunta o que seria do cara bonzinho sem um brigão que ameace a virtude, incomode os inocentes e frustre os melhores planos, não é mesmo, minha gente? Por isso eles fizeram uma lista dos 25 homens e mulheres que amamos odiar no cinema. O Coringa de Ledger nem estreou ainda e já está lá.

Continue lendo

HP & TDH

Alan RickmanHá muito tempo se diz que os atores Alan Rickman [na foto ao lado] e Robbie Coltrane eram os únicos a conhecer os destinos de suas personagens [Snape e Hagrid], contado pela própria autora J. K Rowling.

E foi parte por causa de algumas nuances da interpretação de Rickman, parte porque a narração dos livros é do ponto de vista de Harry, que eu acreditava no que a minoria dos leitores acreditava e que não vou contar aqui, hehe.

Continue lendo

Top 5 Vilões Fazíveis

Antes de apresentar o Top 1 Vilão Fazível, cabem algumas explicações. Esta série foi a resposta ao desafio que tio Nuno lançou assim que terminei a série Top 5 Heróis Fazíveis. Eu topei na hora, sem imaginar a dificuldade do projeto. Cinco nomes bastariam, mas durante semanas só tive bem claro quatro deles.

Quando me decidi por finalmente incluir este aqui já sabia que estaria quebrando um certo padrão caus que [1] ele não é um vilão de quadrinhos, [2] ele não é um vilão clássico e [3] ele não é nem mesmo um vilão, na minha humilde opinião. Porém isso quem vai dizer é tia Jo quando terminar o sétimo livro, previsto para 2007; por enquanto, então, ficamos assim: de meia em meia hora uma colher de chá.

Outro problema enfrentado foi que, por ser um personagem de livro, ele não tem uma face oficial. Não tem importância, Alan Rickman encarnou Seboso perfeitamente [existe uma lenda que reza que os atores Alan Rickman e Robbie Coltrane são os únicos que conhecem o destino de seus personagens. Será?].

* Contém spoilers do sexto livro.