Auxílio-moradia, três versões

Na Alemanha, o salário bruto de um deputado é de €7.668 [aproximadamente 21 mil reais no câmbio de hoje], mais €3.868 para despesas relacionadas à atividade parlamentar, sem necessidade de prestação de contas [R$10.500,00]. O salário dos assessores é pago pela administração parlamentar [€14.712 ou R$40mil]. Os gastos com as viagens até a região eleitoral e com a moradia em Berlim também correm por conta da administração. Esses valores altos, mesmo para a realidade européia, têm por objetivo diminuir as tentações do cargo. Mesmo assim…

Em 2002, tornou-se público que alguns parlamentares estavam fazendo uso privado de “milhas” de vôos oficiais feitos pela Lufthansa. Gregor Gysi, atualmente do partido A Esquerda, renunciou ao cargo de secretário de Economia de Berlim, enquanto o verde Cem Özdemir desistiu de seu mandato parlamentar. [Deutsche Welle, 09/06/09]

Na Inglaterra, entre salário e benefícios, um deputado recebe pouco mais de 31,2 mil dólares por mês [R$60.670,00 no câmbio de hoje], e a gente tá vendo as denúncias pipocando e derrubando políticos por lá.

Entre as denúncias estão a de parlamentares que usaram o auxílio-moradia para reformar a própria casa, pagar prestações de imóveis e cobrir gastos com jardineiro. Algumas dessas despesas foram feitas em residências que não são ocupadas pelos legisladores. [Estadão, 12/05/09]

Por isso fico meio ressabiada quando dizem que a solução pra corrupção no Brasil é pagar mais aos políticos. Embora uma análise antiga do Carlos Alberto Sardenberg [G1, 06/06/07] compare os ganhos dos políticos brasileiros com os dos britânicos – com vantagem para os brasileiros – ele apresenta o valor total, quando a questão que desperta a fúria popular são os valores adicionais, os auxílios, vales e benefícios extras.

Ou, como diz o Hélio Schwartsman, trata-se de uma questão de âncora moral.

Não estou, evidentemente, sugerindo que basta pôr três ou quatro políticos na cadeia para resolver todos os nossos problemas. Ao que tudo indica, porém, o grau de tolerância de um povo para com as estrepolias de seus políticos é em alguma medida determinado por essa âncora moral, que tem mais a ver com nossos hábitos e atitudes do que com caprichos cegos do destino. [Pensata, 28/05/09]

Post legal
Pagamento de Políticos na Europa, Coluna do blog da Lucia

Blog legal
Congresso Em Foco

Previsão do tempo

Chovendo cães e gatos. Ou só gatos, no estúdio de TV alemão niqui o apresentador das previsões Joerg Kachelmann foi distraído pela aparição de um gatinho, ao vivo. Lupin pertence a um colega de emissora que está de férias e fora da cidade, e ninguém entende como e por que ele apareceu no estúdio. Lupin passou a ronronar e se esfregar na pernas de Kachelmann, que o pegou no colo e apresentou o resto das previsões com o gato curioso.

“I noticed him when he rubbed against my leg and thought people might wonder what was happening. I figured it would be easier to control the cat by picking him up. Cats get annoyed if they feel ignored. So I made sure he didn’t feel ignored. [The Telegraph]

Momento awww!

Link http://www.youtube.com/watch?v=DjZfOygix4I

Só espero que não chova cães e gatos hoje à noite por aqui, senão não teremos Troféu PdUBT Golden Globe amanhã.

De rodas, bolas e bolhas

Um brasileiro vence a corrida no Texas, consolidando a primeira colocação no ranking da IRL e não tem notícia em nenhum dos grandes portais. O mundo é uma bola umbigal. Que seja, o berro que dei quando Sam Hornish Jr. deixou o motor morrer no último pit stop foi bem parecido com o que dei no gol de Drogba contra a Arrentina: era a falta de sorte que atingiu Helio Castroneves em Indianapolis fazendo uma visitinha ao Hornish [sou só eu ou mais alguém pensa besteira quando vê o nome do cara?].

Na IRL também tem a equipe Super Aguri [até onde eu saiba os pilotos não vestem a cueca por cima das calças] e, para manter a tradição, eles também contam com um kamikaze ao volante: o nome deste é Kosuke Matsuura e é totalmente pinel. Ele deu um totó no Vitor Meira que deixou a marca da roda estampada na lateral do carro do brasileiro. Corre o bastante para ser competitivo, só que é um perigo pra quem está do lado. Ou atrás. Ou na frente. Não demora muito e vai ter a licença para dirigir cassada igual quinem o Yuji Ide. A Super Aguri não aprende e já arranjou outro maluco pro terceiro carro que disputa a F1. Por que é que eles não desistem e ficam só no que são bons?

Continuar lendo

Baka!

Depois da estréia de FullMetal Alchemist na RedeTV [infelizmente num horário que não posso acompanhar], a Band traz OKTV a partir do próximo sábado, das 8h às 8h30 da manhã – por sorte num horário que posso assistir.

“O programa é apresentado por Kendi Yamai (ator) e Mário Ikeda (radialista), dois amigos, descendentes de japoneses que chamam a atenção pela descontração. A idéia deles é criar um link entre os dois países… E aproveitam para derrubar estereótipos.”

Made in Japan: “Uma vaca tentou fugir de um matadouro em Yokkaichi (Mie) no último domingo, atacando um funcionário e impulsionando uma perseguição envolvendo vinte policiais em viaturas e outros seis trabalhadores do estabelecimento.”

Continuar lendo

Time of our lives

olho-amarelo.gifA boy band lírica Il Divo ficou responsável pela canção-tema da Copa 2006, na Alemanha, com Time of our lives. O videoclipe mostra cenas de partidas antiiiiigas [tem até Pelé e, imho, um resgate justo da seleção de 82 representada por Sócrates] enquanto os quatro encaram o decote de Toni Braxton, boquiabridos [e quando as primeiras quatro violinistas desceram a arquibancada pensei que iam juntar as musicistas-modeletes também, mas não chegou a tanto]. Eu só achei dúbia a inclusão do gol de mão do Maradona em 86, mesmo tendo como gran finale do clipe o capitão Carlos Alberto levantando a Jules Rimet em 70 [pelo menos acho que era ele... nessa época eu era recém-nascida].

Continuar lendo