50 filmes em dezembro

A quarta edição de 50 Filmes Que Você Deveria Ver Antes de Morrer [porque depois fica um pouco complicado] começa no TCM a partir do dia 6 de dezembro [segunda-feira que vem] naquele esquema: dois filmes em sequência por dia a partir das 22h. A novidade é que os filmes serão apresentados por Rubens Ewald filho.

Esse ano foram poucos os que me animaram. Eis a programação:

A Ceia dos Acusados vontade eu tenho, oportunidade é que são elas
Título original: The Thin Man
Ano de lançamento: 1934
Gênero: Policial
Diretor: W.S. Van Dyke
Elenco: William Powell – Myrna Loy
Segunda 6 de dezembro, 22h l Reprise Terça 7, 14h

Johnny Guitar tem J. Cranford, né? provavelmente valha a pena
Título original: Johnny Guitar
Ano de lançamento: 1954
Gênero: Western
Diretor: Nicholas Ray
Elenco: Joan Crawford – Sterling Hayden
Segunda 6 de dezembro, 23h40 l Reprise Terça 7, 15h40

Laços de Ternura me acabo de chorar toda vez que assisto
Título original: Terms of Endearment
Ano de lançamento: 1983
Gênero: Drama
Diretor: James Brooks
Elenco: Shirley MacLaine – Debra Winger – Jack Nicholson
Terça 7 de dezembro, 22h l Reprise Quarta 8, 16h40

A Mosca só vi o remake com o cara lá de Law & Order: Criminal Intent
Título original: The Fly
Ano de lançamento: 1958
Gênero: Ficção Científica
Diretor: Kurt Neumann
Elenco: Vincent Price – Patricia Owens
Quarta 8 de dezembro, 00h30 l Reprise Quarta 8, 15h

Filme com tema “Divas” [QUEEN CHRISTINA, JEZEBEL, MILDRED ou SABRINA] escolhido pelo público votei em Jezebel. Bette Davis, sabe como é
Quarta 8 de dezembro,22h

Continuar lendo

Troféu PdUBT Oscar 2009

Hugh Jackman, o anfitrião

Hugh Jackman, o anfitrião

Post concluído em 24/02/09 às 12h.

A cerimônia de premiação do Oscar de 2009 foi a mais legal que já assisti – ou que me lembro, pelo menos. Nem os números musicais me aborreceram! Pela primeira vez, aliás, eu gostei dos números musicais – desculpa, Peter Gabriel, mas seis minutos da sua canção seria um porre, por mais que eu seja sua fã. Por outro lado, eu poderia aproveitar esse tempo pra ir ao banheiro… As apresentações musicais do Hugh Jackman também foram tão cheias de energia que nem a Beyoncé me tirou do sério desta vez.

Sim, senhor, quem diria, foi muito legal. Gostei da mudança da platéia, que foi pra bem perto do palco com o fim do fosso da orquestra. Tive um professor no colegial que fazia isso com a classe, mandava-nos arrastar as carteiras bem juntinhas em volta da lousa porque gostava de sentir o cheiro do gado. Nem um pouco lisonjeiro, é. A gente obedecia, na época ainda se respeitava o professor. Tem alguém que fez o colegial no Objetivo quando ainda era na Nove de Julho, em Marília, que se lembra desse cara? Foi no último ano antes do colégio mudar pro campus da Unimar.

Voltando ao assunto, Oscar, né? Adorei a novidade no anúncio das categorias de atuação: em vez o vencedor da categoria do ano anterior apresentar um clipe de cada indicado, cinco antigos ganhadores apresentam um testemunhal para cada indicado. Tornou a coisa toda mais íntima, mais emocional. Era normal ver olhos mareados nessas ocasiões. Quem apresentou cada categoria:

Continuar lendo

A Festa de Babette

Pôster do filme

Pôster do filme

Quando o filme A Festa de Babette [Babette's Feast ou Babettes gæstebud, França e Dinamarca/1987] foi lançado eu era uma chatolescente pentelha, mas fui assistir apenas há algumas semanas; não sou mais adolescente, apenas continuo pentelha.

Xeu só deixar uma coisa bem clara antes de continuar: eu gostei do filme. Não entrou na minha lista de TFF mas assistiria de novo eventualmente, sem problemas. Esclarecido isso, voltamos à nossa programação normal [chata].

A primeira parte da história é dedicada a construir o panorama da vila pesqueira na Jutland dinamarquesa no século 19, uma comunidade estrita comandada por um pastor protestante que fundou sua própria igreja, formada por normas rígidas disfarçadas sob um véu de caridade para os pobres.

Continuar lendo