A culinária creole

Os Creoles eram descendentes da aristocracia européia que, por não serem os primogênitos, não tinham direito à herança das terras da família no velho continente. Geralmente, eram fazendeiros ricos e sua cozinha tinha aspirações à grande culinária. Adotavam receitas francesas e espanholas tendo a seu serviço chefs desses países. O emprego da técnica européia no trato dos ingredientes locais gerou uma nova cozinha, a creole.

CAMARÃO À CREOLE

Ingredientes
1 colher (sopa) de pimentão em flocos
1 colher (sopa) de aipo em flocos
1 colher (chá) de cajun (*)
½ xícara (chá) de purê de tomates
1 colher (chá) de molho inglês
1 xícara (chá) de água
500 g de camarões grandes
salsa a gosto

Modo de Preparar
Numa panela, junte o pimentão, o aipo, a água e o purê de tomate. Leve ao fogo e espere ferver, mexendo. Acrescente o cajun e o molho inglês. Misture e deixe apurar. Tempere com sal a gosto. Quando o molho estiver encorpado, adicione os camarões e deixe-os cozinhar (eles ficam rosados). Sirva em seguida, polvilhando com salsa a gosto.
Rendimento para 4 pessoas.

(*) O Cajun é um tempero para peixe e frango. Composto por páprica, sal, estragão, alho, cebola, pimenta do reino, salsa, canela, tomilho e pimenta calabresa. Típico da cozinha Creola.

Chiquita bacana

Não permita, Deus, que eu morra antes de conhecer a Martinica.

TROPICALIDADE EM ALTA

A Martinica já se tornou famosa entre os caribenhos por sempre inspirar superlativos. Antes da chegada dos franceses à ilha, em 1635, Colombo já tinha falado sobre ela algo que passou para a história como “Esta é a melhor, mais rica, mais doce e mais charmosa ilha do mundo”.

Continuar lendo