A Cortina

Meus avós moravam numa granja [com essa epidemia de gripe do frango estariam tirando uma grana hoje em dia]. Do lado do quarto deles tinha uma despensa que a gente sempre evitou entrar, um medão de assombração que nunca vi. Pois num é que ontem dei de sonhar que minha vó tava trancada lá dentro, olhando pra mim pela porta de vidro [no sonho, que a real era de madeira] e pedindo pra fechar a janela móde a chuva não entrar?

Claro que até em sonho sou cagona e fui chamar minha mãe. A mulher diz que avisou a vó pra não abrir a janela e ta-ta-ta e que não ia fechar. Então fui eu, né? Mas no que abro a porta da despensa a vó não tá mais lá e é uma renda de teia de aranha que é impossível que alguém vivo tivesse passado ali nos últimos, digamos, 3 ou 4 anos. E umas roupas penduradas como se houvesse uma arara presa no teto batendo na cabeça.

Eu tento entrar e as roupas me empurram e eu caio de costas, umas várias vezes, até que elas começam a gritar “Você não pode entrar! Você não pode entrar! Aqui não é o seu lugar! Você não pode entrar!”. Dei um pulo pra trás que bati a mão na cabeceira da cama e dói até hoje.

Meu consolo é que não sou média, deve ter sido só um sonho ruim. Certamente foi só um sonho ruim.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s