Seqüestro telefônico

Interrompemos nossa programação normal para um pequeno serviço de utilidade pública.

A maioria dos jornais [TV, rádio, papel, Internet] já comentou sobre ligações telefônicas supostamente de alguma familiar próximo que foi seqüestrado, pedindo dinheiro para ser libertado. O rapaz/homem chora no telefone e fala pouco, apenas umas frases bem-escolhidas para afetar emocionalmente a pessoa do outro lado da linha. Se quem atendeu for mulher, chama de mãe, por exemplo, e diz que é “seu filho”. Geralmente a voz da vítima é masculina porque a ligação é feita por bandidos já encarcerados, usando celular com a opção de ocultar o número ativada. No BINA aparece como ID suprimido ou 1111111.

Continue lendo