*Roendo as unhas*

O ator mirim Will Shadley, de Dirty Sexy Money [Brian Jr.]Andrea, mãe de Brian Jr. [essa coisiquinha mais fofa e gostosa na foto ao lado], no episódio The wedding:

Eu vou levar Brian Jr. comigo para o Brasil.
Para a selva?! – pergunta Brian pai [eu lóvo ele cada dia mais].
Não… Para São Paulo.

Plis, plis, pliiis, Laura Palmer, não faça isso! Comé que vou agüentar perder Brian Jr.? Olha pra essa carinha… Tem coisa no mundo mais fofa? O personagem dele elevou o do pai para um outro nível, e ambos são responsáveis pelos momentos mais legais da série ultimamente [v. resenhas no Só Seriados de TV].

Ao contrário de Will Sadley, o ator que interpreta Brian Darling Jr., eu peguei birra da Chloe Moretz, que faz a filha de Nick e Lisa, a Kiki. No episódio piloto o papel foi de Elle Fanning, irmã de Dakota, também totalmente apaixonável. Essa que a substituiu não lhe chega aos pés, e ainda por cima transformaram a personagem num try-out de mercenária.

When I grow up, I’m going to live like this. No matter what it takes. No matter what.

Nem vou comentar a interpretação magistral de Donald Sutherland como o cada vez mais bêbado Tripp na cerimônia de casamento porque tenho certeza que a Si vai fazer-lhe muito mais justiça do que eu – mas não posso evitar de copiar o sermão de casamento mais lindo que já ouvi; de novo, na voz de Glenn Fitzgerald, o ator felomenal que faz Brian pai.

And so Karen, Freddy, I send you off into the mystery of marriage with three words that start with a letter C. First, confirmation. Married people provide confirmation for each other. When one person sees a shooting star or an aurora, then they have someone to turn to all the time, to whom to which to say “Did you see that? Did that really happen”. And in a life that’s full of amazing moments, it’s important to have confirmation. The second is consolation. Married people provide consolation for each other. When bad luck, death, or even the simplest sadness of the passing of beauty becomes hard to make it go on, then you have someone to turn to for a hand, for an embrace, for a kiss, for consolation. And last but not least, there’s joy. (mumbling from the guests) It’s not a C word but then life and love keeps surprising you. You may kiss the bride.

E depois Tripp cumprimenta-o pelo belo sermão, num comovente momento pai-filho.

There really is such a kind person buried deep down inside of you — deep, deep down inside you. Somewhere.

Anúncios

3 comentários sobre “*Roendo as unhas*

  1. Pingback: Desarmado e perigoso « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s