A sombra de uma dúvida

Como eu comentei com Sweet, tive um problema sério com as personagens femininas deste filme, principalmente com a mocinha. Por várias vezes minha vontade era encher-lhe a cara de bolachas e gritar “oi! acorda! pazza!”. Tenho uma birra enorme contra essas sonsinhas que nunca conseguem avaliar corretamente uma situação porque são autocentradas, não enxergam nada além de seu umbigo.

Por isso, quando Tio Charlie deu-lhe aquele esporro quase berrei “irrú! tomou na testa!”, mas era madrugada e todo mundo dormia.

You think you know something, don’t you? You think you’re the clever little girl who knows something. There’s so much you don’t know, so much. What do you know, really? You’re just an ordinary little girl, living in an ordinary little town. You wake up every morning of your life and you know perfectly well that there’s nothing in the world to trouble you. You go through your ordinary little day, and at night you sleep your untroubled ordinary little sleep, filled with peaceful stupid dreams. And I brought you nightmares. Or did I? Or was it a silly, inexpert little lie? You live in a dream. You’re a sleepwalker, blind. How do you know what the world is like? Do you know the world is a foul sty? Do you know, if you rip off the fronts of houses, you’d find swine? The world’s a hell. What does it matter what happens in it? Wake up, Charlie. Use your wits. Learn something.

Agora que a raiva passou posso dizer que gostei do filme A sombra de uma dúvida [Shadow of a doubt, EUA/1943]. A trama, especialmente, é bem interessante pra quem gosta de suspense, com um toque cômico concedido pelos personagens Joe [pai da sonsinha] e Herbie [um Hume Cronyn incrivelmente jovem! recém-casado com Jessica Tandy], dois fãs de histórias de detetive que praticavam um jogo no qual teriam que praticar o assassinato perfeito.

[Herbie] Well, if I was gonna kill you, I wouldn’t do a dumb thing like hitting you on the head. First of all, I don’t like the fingerprint angle. Of course, I could always wear gloves. Press your hands against the pipe after you were dead and make you look like a suicide. Except it don’t seem hardly likely that you’d beat yourself to death with a club. I’d murder you so it didn’t look like murder.

Outra personagem memorável é Ann, a irmã mais nova da sonsinha. Por ser uma menina inteligente, esperta, culta e com muito bom-senso, suas tiradas são espirituosas e engraçadas.

The ones that say they don’t want anything, always get more in the end.

Anúncios

2 comentários sobre “A sombra de uma dúvida

  1. Num vi.
    ou… vi e esqueci.

    A memória sempre foi de peixe, segundo o dito popular, e os 44 anos não ajudam em nadica nesta área.

    ah, sófis, por isso que eu apelo pro blog [antes disso, pras agendas]!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s