Plantas tóxicas

Uma das falácias mais difundidas e que mais me metem medo é a que diz “é natural, não faz mal” ou “um chazinho de ervas inofensivo”. Comigo não, violão. Só se minha mãe falar que pode, caus que ela conhece plantas; caso contrário não, obrigada. Cocaína e heroína também podem ser consideradas naturais e à base de ervas, se a gente aplicar o princípio da universalidade, nénão?

Assim, a iniciativa do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas – SINITOX , da Fundação Oswaldo Cruz, é muito boa: além dos alertas contra animais peçonhentos, agrotóxicos e envenenamento doméstico [produtos de limpeza e etc.], eles fazem um trabalho de prevenção contra o envenenamento de crianças por plantas tóxicas.

A lista das 16 plantas que mais causam intoxicação infantil no Brasil estão listadas abaixo. Vai que aparece outro chef doido a sugerir uma erva venenosa pra saladinha…

Medidas Preventivas

1 – Mantenha as plantas venenosas fora do alcance das crianças.

2 – Conheça as plantas venenosas existentes em sua casa e arredores pelo nome e características.

3 – Ensine as crianças a não colocar plantas na boca e não utilizá-las como brinquedos (fazer comidinhas, tirar leite, etc.).

4 – Não prepare remédios ou chás caseiros com plantas sem orientação médica.

5 – Não coma folhas, frutos e raízes desconhecidas. Lembre-se de que não há regras ou testes seguros para distinguir as plantas comestíveis das venenosas. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta.

6 – Tome cuidado ao podar as plantas que liberam látex provocando irritação na pele e principalmente nos olhos; evite deixar os galhos em qualquer local onde possam vir a ser manuseados por crianças; quando estiver lidando com plantas venenosas use luvas e lave bem as mãos após esta atividade.

7 – Em caso de acidente, procure imediatamente orientação médica e guarde a planta para identificação.

8 – Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicação de sua região.

Em caso de acidente com plantas tóxicas

Retire da boca o que resta da planta, cuidadosamente;
Enxagüe a boca com água corrente;
Guarde a planta para identificação;
Ligue para o Centro de Controle de Intoxicação.

Quando ocorrem as intoxicações

Geralmente, as intoxicações ocorrem nos horários que antecedem as refeições: das 10 às 12 horas e das 17 às 20 horas;
Também, quando a rotina da casa muda, por exemplo, durante as férias, mudança, quando há convidados, problemas na família.

Tinhorão

Tinhorão

TINHORÃO

Família: Araceae.
Nome científico: Caladium bicolor Vent.
Nome popular: tajá, taiá, caládio.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

Princípio ativo: oxalato de cálcio.

Comigo-ninguém-pode

Comigo-ninguém-pode

COMIGO-NINGUÉM-PODE

Família: Araceae.
Nome científico: Dieffenbachia picta Schott.
Nome popular: aninga-do-Pará.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

Princípio ativo: oxalato de cálcio, saponinas.

Taioba brava
Taioba brava

TAIOBA-BRAVA

Família: Araceae.
Nome científico: Colocasia antiquorum Schott.
Nome popular: cocó, taió, tajá.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

Princípio ativo: oxalato de cálcio.

Copo-de-leite

Copo-de-leite

COPO-DE-LEITE

Família: Araceae.
Nome científico: Zantedeschia aethiopica Spreng.
Nome popular: copo-de-leite.

Parte tóxica: todas as partes da planta

Sintomatologia: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

Princípio ativo: oxalato de cálcio.

Saia-branca

Saia-branca

SAIA-BRANCA

Família: Solanaceae.
Nome científico: Datura suaveolens L.
Nome popular: trombeta, trombeta-de-anjo, trombeteira, cartucheira, zabumba.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão pode provocar boca seca, pele seca, taquicardia, dilatação das pupilas, rubor da face, estado de agitação, alucinação, hipertermia; nos casos mais graves pode levar a morte.

Princípio ativo: alcalóides beladonados (atropina, escopolamina e hioscina).

V. também: Bruxa!

Aroeira
Aroeira

AROEIRA

Família: Anacardiaceae.
Nome científico: Lithraea brasiliens March.
Nome popular: pau-de-bugre, coração-de-bugre, aroeirinha preta, aroeira-do-mato, aroeira-brava.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: o contato ou, possivelmente, a proximidade provoca reação dérmica local (bolhas, vermelhidão e coceira), que persiste por vários dias; a ingestão pode provocar manifestações gastrointestinais.

Princípio ativo: os conhecidos são os óleos voláteis, felandreno, carvacrol e pineno.

Bico-de-papagaio

Bico-de-papagaio

BICO-DE-PAPAGAIO

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Euphorbia pulcherrima Willd.
Nome popular: rabo-de-arara, papagaio.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contato com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão;
a ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarréia.

Princípio ativo: látex irritante.

Coroa-de-cristo

Coroa-de-cristo

COROA-DE-CRISTO

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Euphorbia milii L.
Nome popular: coroa-de-cristo.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contato com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarréia.

Princípio ativo: látex irritante.

Avelós

Avelós

AVELÓS

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Euphorbia tirucalli L.
Nome popular: graveto-do-cão, figueira-do-diabo, dedo-do-diabo, pau-pelado, árvore de São Sebastião.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contato com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarréia.

Princípio ativo: látex irritante.

Urtiga

Urtiga

URTIGA

Família: Urticaceae.
Nome científico: Fleurya aestuans L.
Nome popular: urtiga-brava, urtigão, cansanção.

Parte tóxica: pêlos do caule e folhas.

Sintomas: o contato causa dor imediata devido ao efeito irritativo, com inflamação, vermelhidão cutânea, bolhas e coceira.

Princípio ativo: histamina, acetilcolina, serotonina.

Espirradeira

Espirradeira

ESPIRRADEIRA

Família: Apocynaceae.
Nome científico: Nerium oleander L.
Nome popular: oleandro, louro rosa.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão ou o contato com o látex podem causar dor em queimação na boca, salivação, náuseas, vômitos intensos, cólicas abdominais, diarréia, tonturas e distúrbios cardíacos que podem levar a morte.

Princípio ativo: glicosídeos cardiotóxicos.

Chapéu-de-napoleão

Chapéu-de-napoleão

CHAPÉU-DE-NAPOLEÃO

Família: Apocynaceae.
Nome científico: Thevetia peruviana Schum.
Nome popular: jorro-jorro, bolsa-de-pastor.

Parte tóxica: todas as partes da planta.

Sintomas: a ingestão ou o contato com o látex pode causar dor em queimação na boca, salivação, náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia, tonturas e distúrbios cardíacos que podem levar a morte.

Princípio ativo: glicosídeos cardiotóxicos.

Cinamomo

Cinamomo

CINAMOMO

Família: Meliaceae.
Nome científico: Melia azedarach L.
Nome popular: jasmim-de-caiena, jasmim-de-cachorro, jasmim-de-soldado, árvore-santa, loureiro-grego, lírio-da-índia, Santa Bárbara.

Parte tóxica: frutos e chá das folhas.

Sintomas: a ingestão pode causar aumento da salivação, náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia intensa; em casos graves pode ocorrer depressão do sistema nervoso central.

Princípio ativo: saponinas e alcalóides neurotóxicos (azaridina).

Mandioca brava

Mandioca brava

MANDIOCA-BRAVA

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Manihot utilissima Pohl. (Manihot esculenta ranz).
Nome popular: mandioca, maniva.

Parte tóxica: raiz e folhas.

Sintomas: a ingestão causa cansaço, falta de ar, fraqueza, taquicardia, taquipnéia, acidose metabólica, agitação, confusão mental, convulsão, coma e morte.

Princípio ativo: glicosídeos cianogênicos.

Mamona

Mamona

MAMONA

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Ricinus communis L.
Nome popular: carrapateira, rícino, mamoeira, palma-de-cristo, carrapato.

Parte tóxica: sementes.

Sintomas: a ingestão das sementes mastigadas causa náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia mucosa e até sanguinolenta; nos casos mais graves podem ocorrer convulsões, coma e óbito.

Princípio ativo: toxalbumina (ricina).

V. também: Ricina.

Pinhão-roxo

Pinhão-roxo

PINHÃO-ROXO

Família: Euphorbiaceae.
Nome científico: Jatropha curcas L.
Nome popular: pinhão-de-purga, pinhão-paraguaio, pinhão-bravo, pinhão, pião, pião-roxo, mamoninho, purgante-de-cavalo.

Parte tóxica: folhas e frutos.

Sintomas: a ingestão do fruto causa náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia mucosa e até sanguinolenta, dispnéia, arritmia e parada cardíaca.

Princípio ativo: toxalbumina (curcina).

About these ads

22 comentários sobre “Plantas tóxicas

  1. adrina, no caso da mamona o óleo não faz mal, a biotoxina não é solúvel em óleo [o próprio óleo de rícino, purgante, é inofensivo]. o veneno fica na pasta que sobra, o que eles chamam de torta.

    marco, a sorte é que dizem que deus protege loucos, bêbados e crianças, né?

    cassia, já usei muita mamona em estilingue!

  2. Menina, sabe que quase morri intoxicada por uma planta quando criança? Não lembro qual era a árvore, mas sei que ela dava umas vagens que lembravam feijão, só que a cor era verde, um dia, eu e uma amiguinha resolvemos fazer comida de verdade, pegamos tomates e cebolas em casa e misturamos com esses “feijões”. Vomitamos quase a alma, febre, dores, fomos parar no pronto-socorro. Maior pesadelo. O engraçao é que até hoje ao ver a combinação, feijão, cebola e pimentão me faz ter náuseas.
    Bjs

    • Olá Silvio, me chamo Rovani, moro em Governador valadares, MG e tenho bom conhecimento dessa planta alem de termos vários pés da mesma aqui na cidade. Se vc ainda tiver interesse pode me contactar. De acordo com alguns relatos, alguns na internet e um documentario na tv ela pode até controlar o cancer senão curar mas deve ser usada sob rigidas orientações mas não se engane ela é realmente venenosa. E tambem é usada para queimar verrugas. Um abraço, Rovani.

  3. Pingback: Conhecimento acumulado soluciona charadas « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

    • Planta da familia Euphorbiaceae Nome cientifico Euphorbia tirucalli, realmente é conhecida como pecado pelado no nordeste.
      Segundo reportagem que tenho lido, dizem que medicos se cientistas acham que poderão cercar os canceres do mundo, com o potencial de avelós(pecado pelado) tambem onhecido com este nome, ervas encontrada ou tipicas da região do nordeste, na busca de tratamento do cancer. Sua ação medicinal já era mencionada na cultura popular, o que motivou a industria farmaceutica a analisar sua ação em celulas em cultura e em animais. Os resultados foram bastantes promissosres. (copidesque do G1).

      Eu troxe recentemente ba bahia algumas mudas, pois na minha região tem bastante esta erva.
      abraço
      Mauro

  4. prezados senhores !

    tenho algumas variedades da planta tinhorão (caladium) gostaria de saber qual o outro meio de se fazer mudas , além das batatas ( touceiras ) ouvi certa vez alguém dizer que as mudas ,podem ser feitas também das sementes , só que eu ja tentei diversas vezes e não consegui , por favor me de uma ajuda !

    atenciosamente
    grato

  5. nossa que legal não sabia que tinha muitas pantas venenosas mas o site da dora e mais legggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaallllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll poque ela e nota 111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! thau!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!11

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s