Verde de Scheele

– Gostaria que Thomas Rice estivesse de pé e aqui para se encarregar disso. Isso me lembra, o que é Verde de Scheele?
– Verde de Scheele? – disse seu amigo franzindo a testa. – Algo que tem a ver com papel de parede, não é? Venenoso. Uma espécie de arsênico, acho eu. (Agatha Christie, Aventura em Bagdá, Ed. Nova Fronteira/2005, pág. 85)

Papel de parede com Sheele green

Papel de parede com Sheele green

Carl Willhem Scheele foi um químico alemão, nascido no século 18, que descobriu diversos elementos químicos (bário, manganês, tungstênio, cloro e molibdênio), além de vários compostos químicos (ácido cítrico, ácido lático e ácido prússico, para citar alguns). Ele trabalhava como farmacêutico em uma pequena cidade e tinha o hábito de experimentar pessoalmente as suas descobertas. Presume-se que esta foi a causa de sua morte prematura, com sintomas de envenenamento por mercúrio.

Durante sua carreira de cientista, Scheele desenvolveu a pigmentação verde que levaria seu nome pelo mundo: o arsenito de cobre ou CuHAsO3. Este pigmento foi utilizado em larga escala nos papéis de parede que decoravam as casas européias, para tingir velas de cera e tecidos e até como corante alimentar, dando cor a drinques e coberturas de doce.

O problema do verde de Scheele era que, em contato com ar, o verde escurecia. Com a umidade, criava um bolor que liberava trimetilarsina, um gás volátil muito tóxico. Muitas mortes acidentais aconteceram por causa deste pigmento, incluindo as de crianças envenenadas no Natal por causa das velas verdes e a de Napoleão Bonaparte, por causa do seu papel de parede.

A partir do início do século 20 o verde de Scheele passou a ser usado como inseticida, mas a descoberta da causa das mortes, quando o pigmento era considerado inofensivo, geraram um temor e um preconceito contra alimentos verdes como o absinto.

Nesta matéria da revista Superinteressante há boas informações sobre cinco venenos insuspeitos extraídas do livro The Elements of Murder – A History of Poison (“Os Elementos do Assassinato – Uma História do Veneno”), do inglês John Emsley*. As cinco escolhas de Emsley recaem sobre mercúrio, arsênio, chumbo, antimônio e tálio.

* Objeto de desejo.

Biografia de Carl [ou Karl] Sheele

Anúncios

6 comentários sobre “Verde de Scheele

  1. Pingback: Scheele Green « A Casa Torta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s