[TrueBlood] Nothing but the blood

begyourpardon

No fim de semana passado fiz uma maratona de True Blood para assistir à estreia da segunda temporada com tudo fresco na cabeça. E que estreia! Superou todas as minhas expectativas. Começou de onde parou no último episódio da temporada passada, isto é, Sookie, Andy e Tara descobrindo o pé com unhas esmaltadas no carro do detetive, estacionado no bar.

A partir daqui não vou reter spoilers, então prossiga por sua conta e risco. 😉


Eu estava certa de que sabia a identidade da pessoa não apenas porque li no livro [aparentemente, a segunda temporada de True Blood deve se basear no segundo livro Southern Vampires de Charlaine Harris – Living Dead in Dallas, 2002] mas também pelas pistas do ep anterior: mostraram Lafayette passando esmalte no pé enquanto assistia à entrevista do senador na TV e depois sendo atacado quando punha o lixo pra fora no Merlotte’s. Ora, óbvio, não é?

Nããão!

Os roteiristas deram um duplo twist carpado e mataram Miss Jeanette, a mulher que cobrou para tirar os demônios do corpo de Lettie Mae e de Tara. E mataram cruelmente, arrancando-lhe o coração. Isso de certa forma inocenta nossos amiguinhos vampiros por enquanto – ninguém disse nada sobre o assassino ter drenado seu sangue, certo? Não que isso seja prova conclusiva, como veremos.

Na verdade, isso só prova que qualquer vantagem competitiva de que pudesse dispor por ler o livro foi pros quiabos.

Veja o caso da Jessica, a vampira adolescente que foi a punição de Bill por matar Longshadow: ela não existe nos livros, é criação exclusiva da série de tv. Bill está tentando educá-la em sua nova forma de vida – o que é um pouco difícil depois que a abandonou sob os cuidados de tios permissivos que a deixavam fazer o que quisesse. Sim, estou falando de Eric e Pam.

Eles estão mais para aqueles tios que visitam de vez em quando e deixam a criança tomar refrigerante o dia todo e almoçar bolo e doce. Agora Bill tem que ensinar Jessica a separar o lixo reciclável e descobrir qual o sabor de TrueBlood ela tolera pra se alimentar. O que ele se esquece é que ela não passa de uma adolescente, apenas. Sookie consegue se comunicar com a garota demonstrando respeito por Jessica, mesmo chocada com a descoberta de que Bill agora é “pai”.

Sim, senhoras e senhores, parece que Sookie está de volta à sua persona depois da escorregada feíssima no episódio em que beijou o Sam: ela sabia que Bill estava encrencado por matar um vampiro para protegê-la e, em vez de se preocupar com ele, fica brabinha porque não está lá para segurar-lhe a mão? Ah, vá, né? Esse é o comportamento que esperamos de mocinhas dependentes do sexo masculino que acreditam que o sol nasce e se põe por ela, como a Arlene [e outras que não mencionarei aqui]. O Terry é bom demais pra Arlene. É sempre assim, as sonsas é que se dão bem, hunf.

Já a Sookie ainda está como olho roxo da surra que levou do Renee porque ela recusou tomar o sangue do Bill [poder curativo, lembra?]. Do mesmo modo que ela não quer ser transformada em vampiro porque quer viver a vida plenamente, ela também se recusa a permitir que Bill tome conta dos problemas dela. Tiveram outra DR quando Sookie descobriu que ele matou o Tio Bartlett depois que lhe contou sobre o abuso sofrido na infância. É por isso que ela é a heroína da historia, e não a mocinha.

Esta é a segunda vez que Bill comete assassinato sem deixar pistas de que foi obra de um vampiro, isto é, sem drenar o sangue. Da primeira vez que ele matou pela Sookie fingiu ser um ciclone [o casal de traficantes de sangue de vampiros]. Desta vez fingiu ser um acidente no rio que passa atrás da casa do Tio Bartlett.

Tem também a morte da família do Reverendo Newlin num acidente que não tem como ser ligado a um vampiro, mesmo sendo ele um opositor encarniçado da causa. Fico chateada com a mudança do roteiro em relação aos livros quando eles colocam o Jason Stackhouse na Felowship of the Sun, a seita religiosa de odiadores de seres sobrenaturais. Nos livros quem adere à seita é a Arlene, é tão mais fácil detestá-la…

Mas voltando a falar em abuso, uma das cenas que eu mais gostei neste ep foi o confronto entre Maryann e Lettie Mae, quando Maryann foi buscar Tara na delegacia após o depoimento na investigação da morte de Miss Jeanette. Depois dessa, eu sempre vou amá-la um pouco, sejam quais forem as revelações os roteiristas estejam preparando para o futuro.

Tara: Esta é minha mãe.
Maryann: Sra. Thornton, sou Maryann Forrester. Ouvi tudo sobre você. É uma oportunidade única. Sempre quis saber como seria olhar nos olhos de alguém tão privado de compaixão humana, que abandonaria a própra filha quando ela mais precisou de você.
Lettie Mae: O que…?
Maryann: Hm-hum. Assim como pensei. Vazio. Nada por dentro. É sempre algo de fora que leva toda a culpa ou o crédito, seja Jesus ou Jeanette.

Quando à natureza da Maryann, tivemos mais algumas pistas: as memórias de Sam, uma estatueta “micênica” de uma deusa grega [na verdade é egípcia], um mural na piscina representando Pã e sua amante. Significa que devemos procurar na mitologia grega? No livro ela é uma entidade sobrenatural que sei qual é, mas não sei se manterão a mesma identidade na tv.

Oh, e mais alguém achou fofo o beagle em que o Sam se transformava quando era adolescente?

E Lafayette que não morreu, afinal? Está acorrentado em um porão junto com outros prisioneiros, torturados em sistema de rodízio. Um de seus companheiros é o caipira que se feriu ao botar fogo no ninho de vampiros, o mesmo jeca que se meteu em briga com o próprio Lafayette por dizer que o hamburguer que ele fez tinha AIDS.

Na última cena, descobrimos que é Eric quem os capturou – Eric já tinha percebido que o redneck estava envolvido no incêndio quando impediu Pam de dar-lhe um passse para o Fangtasia. Isso leva a crer que sabem que Lafayette traficava V, o sangue de vampiro, mas então qual é a da roda e da tortura?

Decerto algo tão chocante quanto descobrir que o Eric faz luzes no cabelo.

Link http://www.youtube.com/watch?v=Jun_32vCpvM

Quase caí da cama de tanto rir!

Eu ♥ Eric cada vez mais.
Imagem: All Hail The Northman

Setlist [fonte: Loving True Blood in Dallas]:

“Bad Things” [música tema] – Jace Everett
“Butterfly By” – Extreme Music [Jason conhece os Newlins]
“Hello Walls” – Faron Young [Sookie toma café da manhã pensando na avó]
“La Vem A Baiana” – Jussara Silveira [Tara e Eggs na piscina]
“Back to the Crossroads” – Todd Snider [Sam conhece Daphne no bar]
“It’s All Good Lovin’ To Me” – Black Toast [Jason recusa a garota no bar]
“Leave All This Behind” – Black Toast [Sookie pede desculpas a Sam pelo beijo]
“All Night Through” – The Shaker Sisters [Sookie e Tara conversam no Merlotte’s]
“The Golden State” – John Doe with Kathleen Edwards [Eggs beija Tara]
“Nothing But The Blood” – Randy Travis [Sookie encontra Bill ao sair da cozinha do bar]

Posts relacionados
Southern Vampires / True Blood
Mais Eric

Anúncios

23 comentários sobre “[TrueBlood] Nothing but the blood

  1. Não vou nem comentar o beijo da Sookie com o Sam, pq para mim ela estaria com o Sam e não o Bill desde o início, mas…deixa quieto.

    Eu gostei bastante da estréia de True Blood, embora não tenha achado tão fantástica como todo mundo. Acho que teve elementos demais me irritando, como as atitudes da Sookie com o Bill (garota, ele é um vampiro! Já matou ‘n’ vezes. Quer que ele fique cheio de dedos agora?), a ligação da Maryann com o Sam ser tão pequena, mas principalmente o fato do Jason ter se metido com a Felowship of the Sun. Eu já não era fã do Jason, agora mesmo ele está mais na minha esquerda do que nunca!
    Mas a despeito disso, eu realmente gostei de ter novos episódios de True Blood para assistir. E, assim como achei a estréia da 1ª temporada meia boca e depois me apaixonei, tenho certeza que a 2ª irá melhorar episódio a episódio.

    • mica, muita gente torce pelo ship sam/sookie, né? eu adoraria que ele ficasse com a tara, acho um casal mais “funcional”… o problema com a sookie é que ela pode ouvir os pensamentos do sam, ela nunca ficaria totalmente relaxada com ele.

      com relação ao relacionamento dela com o bill, a impressão que eu tive é que ela não se aborreceu tanto com o fato de que ele mata pessoas, mas sim porque ele tomou a si uma responsablidade que ela não pediu, tratando-a como uma donzela em perigo. isso bateu de frente com a independência dela.

      na série ela está sendo levada pra esse lado por ações diferentes das dos livros e essa é uma da [raras] coisas que me incomoda.

      • É, vc tem razão.
        Ainda estou no meio do primeiro livro (leeerda. Mas também, com a lista interminável de coisas para assistir e ler, nem dá para me culpar muito), mas tive a sensação de que ela não consegue ler claramente os pensamento do Sam no livro.
        Muita gente torce por Sookie/Sam? Eu não sabia. Fora eu nao conheço ninguém.
        Não gosto dele com a Tara, mas isso é provavelmente devido ao fato de eu não suportar a Tara.

        Sobre as atitudes do Bill, eu fiquei com a impressão de que ele não agiu para ‘salvá-la’, mas sim como punição, castigo mesmo.
        Mas entendi seu ponto e acredito que vc esteja com a razão.

  2. Bom… Diante deste vampiro-gato, quem é que cai no vampirismo do Patrulhamento, do post lá em baixo? Que baixo astral que nada, dá é vontade de oferecer o próprio sangue de grátis… Aliás, me proponho ser seu banco de sangue, se ele quiser…

  3. Naomi,

    Eu zero o shotter bubble todos os dias. Depois que você pega as manhas fica fácil. 😀

    Foi ótimo este seu post, porque adoro vampiros. Dias atrás uma amiga comentou sobre esta série e fiquei curiosa. Li tudo e também o post anterior.

    Está passando aqui no Brasil, na HBO? Ou só baixando?

    Beijos

    • neiva, a hbo passou a primeira temporada [12 episódios] e anunciou a estreia da segunda pro mês que vem, então eu desconfio que não vão reprisar… o box já está à venda, no entanto.

      de qualquer modo, não tenho hbo e assisto no computador mesmo.
      🙂

  4. Eu tambem adorei a estreia dessa segunda temporada. Nao li todos os livros ainda, mas ja li o segundo e gosto como os roteiristas do seriado mudaram algumas coisas. 🙂 Eu tambem tinha certeza que ia ser o Lafayette, e fiquei aliviada, ele foi um dos personagens mais divertidos da temporada passada.

    E a tal irma do Andy? Vao mostrar ou nao?

    O beagle eh fofissimo! E cortaram o cabelo do Eric ou foi so impressao minha?

  5. Pingback: [TrueBlood] Keep This Party Going « Batata Transgênica

  6. Pingback: [TrueBlood] Scratches « Batata Transgênica

  7. Pingback: [TrueBlood] Shake and Fingerpop « Batata Transgênica

  8. Pingback: [TrueBlood] Hard-Hearted Hannah « Batata Transgênica

  9. Pingback: True Blood: Segunda temporada « Televisão é Magia

  10. Pingback: [TrueBlood] Behind Here Lies Nothin’ « Batata Transgênica

  11. Pingback: True Blood no SBT… em 2011 « Televisão é Magia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s