Jogando por pizza

Capa do livro

Capa do livro

A primeira vez que ouvi falar neste livro foi num jogo da temporada passada da NFL. Não me lembro exatamente quem foi, mas desconfio fortemente que foi o Paulo Antunes, caus que ele sempre indica filmes nas transmissões da ESPN. No início pensei que fosse de um escritor homônimo do John Grisham. Ora, reconhecia o nome por filmes densos como O Cliente, O Júri, A Firma e O Dossiê Pelicano, comé que poderia ser o autor de um livro esportivo? Mas era, é o mesmo cara.

A trama conta um período da vida do quarteback Rick Dockery, um jogador com um bom braço mas com desempenho irregular e com uma tendência indesejável para sofrer concussões. A história se inicia quando ele acorda de seu terceiro coma, depois de quase ser partido ao meio na última partida do Cleveland Browns, a melhor chance que o time tivera em toda a sua existência de chegar ao Super Bowl – e ele estraga tudo.

Um quarterback é o armador das jogadas, o cérebro do time. Um bom quarterback lê as intenções da defesa adversário e analisa qual a melhor jogada para superá-la, dentre as milhares disponíveis. Deve ter boa pontaria e a confiança dos companheiros de time. Alguns exemplos de quarterbacks que podem ser reconhecidos até por quem não acompanha o futebol americano são o Joe Montana [meu ídalo], que fez uma aparição num episódio do reality Snoop Dogg: Fatherhood; o Dan Marino, que apareceu no filme Ace Ventura do Jim Carrey; e o Tom Brady, aka Senhor Gisele Bündchen. Os três já foram homenageados em Os Simpsons também.

Já ouço alguém perguntar ali no fundo: “Titia Batata, não entendo nada de futebol americano, dá preu ler?”


Joe Montana em Os Simpsons S20E03

Joe Montana em Os Simpsons S20E03

Sim, pequeno gafanhoto, o essencial não se perde. Mal comparando, é como assistir House sem ser médico, ou assistir aos filmes do John Grisham sem ser advogado. É verdade que tem pedaços em que o neófito fica meio perdido: o autor descreve onze partidas mas cada uma leva o que, umas duas páginas, quatro nas decisivas, no máximo. E tem um glossário no fnal do livro, pra ajudar.

O essencial que eu digo é a jornada de autoconhecimento que Rick Dockery empreende na Itália, depois de ser rejeitado por todos os times profissionais nos EUA: seu empresário lhe arranja uma vaga num time de Parma, já que uma cheerleader move uma ação de paternidade de que Rick precisa fugir. O choque cultural, o contato com pessoas que agem por princípios em vez de pelo dinheiro, o amor ao esporte [“jogando por pizza”, capisce?] vão operando transformações na personalidade de Rick até o momento em que a gente se pega torcendo pra ele acertar o passe.

Além disso, tem as descrições culturais que são mais um atrativo. Eu gostei especialmente do capítulo 6, que é quando aparece o primeiro italiano na história.

Nino passou por uma porta lateral e atravessou o restaurante em passos rápidos. Deu um abraço apertado em Sam, depois um beijo ruidoso em sua face direita, outro na esquerda. Apertou a mão direita de Rick entre as suas e exclamou:
– Rick, meu quarterback, seja bem-vindo a Parma!
Rick apertou as mãos de Nino com firmeza, mas pronto pra recuar se houvesse a ameaça de beijos. [pág. 55]

Esse capítulo também descreve um jantar de quatro pratos que não fica nada a dever aos manuais hedonistas, que durou doze páginas. Até eu me senti empazinada quando terminei de ler! O restaurante – ou, antes, a trattoria, chama-se Café Montana, em homenagem ao Joe.

O grande trunfo deste livro é a honestidade do autor: é a visão da Itália contada por um americano. Ele não tenta enganar ninguém dizendo que é um mergulho na tradicional cultura italiana – mesmo porque algumas passagens parecem copiadas de um guia turístico, não de alguém que more lá. Mas só o fato dele não tratar o leitor como um burro já merece crédito.

O livro será adaptado para o cinema em 2010, com direção de Adam Shankman [Hairspray].

Jogando Por Pizza [Playing For Pizza, EUA/2007]
Autor: John Grisham
Editora: Rocco
Tradução: Pinheiro de Lemos
Ano: 2007
Edição: 1
Número de páginas: 292

Blog legal
O Quarterback

Posts relacionados
Memórias de Uma Gueixa – livro
Superbowl XLII
Superbowl XLIII

Anúncios

6 comentários sobre “Jogando por pizza

  1. “um jogador com um bom braço mas com desempenho irregular e com uma tendência indesejável para sofrer concussões” = Rony Weasley ?

    😛 (relendo Harry Potter 6, ingresso comprado para quarta, 22.07.2009)

  2. Pingback: Top5 livros lidos em 2009 [e o Bottom3 também] « Batata Transgênica

  3. Pingback: The Blind Side / Um Sonho Possível « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s