[TrueBlood] Hard-Hearted Hannah

Um vampiro na Belle Époque

Um vampiro na Belle Époque

[Alan] Ball, de True Blood, diz que os seus vampiros são parte de uma “história de pessoas tentando assimilar, tentando encontrar seu caminho no mundo. A ideia de que um grupo como os vampiros são temidos e incompreendidos, de que eles são estranhos, é mesmo muito interessante.” A hipersexualidade, junto com o perigo em potencial, provoca uma das mais improváveis saudades do abraço vampiro. Newsweek, 16/07/09]

O título deste artigo da Newsweek é “Porque as mulheres amam vampiros” e foi uma dica da @khisfrenzel [senquiu!]. Tem dois trechos que combinam direitinho com o sexto episódio de True Blood, na metade da temporada.

Nesta semana mostraram uma fase do passado de Bill, quando ele e sua maker Lorena ainda viviam juntos nos anos 20. A vida de um vampiro ainda era secreta, então; não existia o sangue sintético nem os hotéis exclusivos com serviço de quarto como o Carmilla. Mas sobre Bill e Lorena volto mais tarde.

A partir deste ponto há spoilers. Este lado para cima.

Das muitas coisas que aconteceram neste episódio [e como aconteceram coisas, fiu!] uma das que eu gostei mais foi finalmente mostrarem um pouco mais a tal da integração dos vampiros, a existência de um mercado inteiro de serviços dedicado a atender esses clientes. A companhia aérea Air Anubis e o Hotel Carmilla foram mostrados anteriormente, sim, mas parece que agora temos uma visão mais ampla do que significa reconhecer a existência deles na sociedade.

Contratar os serviços de uma fornecedora de sangue no saguão do hotel, por exemplo.

Stephen Moyer, Deborah Ann Woll ae Alexander Skarsgård - Comic-con, 25/07/09

Stephen Moyer, Deborah Ann Woll e Alexander Skarsgård - Comic-con, 25/07/09

Por falar em hotel, na semana passada esqueci de comentar o café da manhã continental da Sookie: n’A Casa Torta tem um poste que tenta explicar a diferença entre o café da manhã britânico e o continental.

Outra coisa que gostei foi que os diversos núcleos começam a interagir, se não entre todos, pelo menos em grupos maiores: Daphne + Sam + Maryann + Eggs + Tara + Andy, Andy + Terry + Lafayette + Pam, Eric + Lorena + Bill + Sookie + Isabel + a Fellowship of the Sun. Com isso, e ao separar Bill e Sookie, o ritmo deu uma boa melhorada e não fiquei com vontade de chacoalhar [muito] a mocinha. Ora, ela voltou ao seu comportamento normal de sorrir maniacamente e disparar a falar sem parar quando fica nervosa!

Daphne + Sam + Maryann + Eggs + Tara + Andy

Acertei uma, errei uma: Daphne é uma metamorfa, sim, mas está mesmo ligada a Maryann e sua entourage, afinal. Ela é a porca de Maryann – e, cara, você não imagina minha satisfação ao escrever isso, caus que antipatizei com ela desda primeira cena. P-o-r-c-a. Alguém passe um desinfetante na mesa de bilhar do Merlotte’s, por favor.

Ainda não captei qual é a motivação e o objetivo de Maryann, por enquanto nada tem a ver com o livro – e não tou muito preocupada om o que vem aí pro Sam.

Andy + Terry + Lafayette + Pam

O Andy é outro que voltou à sua persona dos livros, meu coração ficou apertadinho por ele. Ele é uma pessoa que luta por reconhecimento, menosprezado pela comunidade. Terry teve uma cena fantástica ao confrontá-lo quando ele abusava de um fragilizado Lafayette, e continuou maravilhoso ao confortar o amigo. De todas as diversas cenas ótimas deste episódio, foi a que gostei mais. Tem uma parte dela no vídeo Best of Eric, abaixo.

Quais as intenções de Eric ao exigir que Lafayette volte a traficar V?

Eric + Lorena + Bill + Sookie + Isabel + a Fellowship of the Sun

O plano brilhante de Sookie, infiltrar-se na igreja para descobrir paradeiro de Godric, afinal revela-se uma arapuca. O ódio dos fanáticos é tão grande e eles chegam a extremos tão absurdos que eu faço força para acreditar que é apenas liberdade criativa, que não é possível que existam pessoas assim de verdade. Infelizmente, quando o colega de Jason começa a explicar o *nível de gravidade* dos diferentes pecados percebo que não, pessoas assim existem de verdade e alguns realmente dirigem igrejas.

Os fanáticos sequestraram Godric para promover uma crucificação pública ao nascer do sol, uma demonstração do “amor de Deus”. Jason e Luke são os escolhidos para construir o patíbulo, enquanto Sookie e o humano de Isabel, a tenente de Godric, são presos no porão da igreja. Se os irmãos se encontrarão e descobrirão um sobre o outro é um ponto a aguardar.

Link http://www.youtube.com/watch?v=ey415AqdN-E

“Em termos de fantasia, a mística vampira é 90% sexual. É uma metáfora para sexo perigoso. Porque, se der errado, você morre.” Para o seu livro, Piercing The Darkness, [Katherine] Ramsland gastou vários anos pesquisando os fãs ávidos, aquelas pessoas que realmente agem como se vivessem dentro da fantasia do Drácula. […] O que surpreendeu Ramsland como especialmente estranho foi que a maioria das mulheres preferia ser a vítima em vez de caçadora. “Acho que é meio esquisito ser a empalada, a seduzida”, ela diz. “Há muitas mulheres que desejam perder o controle. E eu pensei que as mulheres já tivessem superado isso.” [Newsweek, 16/07/09]

Este é o segundo trecho do artigo da Newsweek que achei que tem a ver com este episódio: Bill é o vampiro feito pela caçadora, a vampira impiedosa e sexualmente agressiva retratada pela ótica de Alan Ball. Ele procura a companhia do extremo oposto de Lorena, a submissa e virgem [na época] Sookie. Até nas cenas de fornicação essa dicotomia fica aparente: com a Sookie é aquela conjunção carnal limpinha, praticamente sem fluidos [que o Bill não excreta, de qualquer modo]. Com a Lorena é violento, no meio de cadáveres ensanguentados.

Mesmo a adolescente Jessica é desinibida em sua forma vampira, embora tenha sido retratada como uma boa moça de família recatada quando era humana.

É uma manipulação descarada? Se não conhecesse a Sookie original da Charlaine Harris até diria que nah, queisso, afinal olha a Pam e a Isabel, vampiras, sofisticadas, controladas. E olha a Sarah Newlin e a Amy, em comparação. Mas nenhuma delas está a disputar a atenção dos vampiros-alfa, né mesmo?

Está tudo bem, eu também alucino com o Eric...

Está tudo bem, eu também alucino com o Eric...

E por falar em vampiro-alfa…

Comãssim Eric que convidou Lorena para afastar Bill e Sookie? *Pensando melhor* Deve ser a solução que encontraram para encurtar todo o processo de sedução que Eric empreende para cortejar Sookie. Compreendo a necessidade de adaptar isso para a TV, mas espero que não percam a personalidade exuberante dele pelo caminho.

Jessica e Hoyt continuam a proporcionar todos os Momentos Awww da série.

Por fim, o melhor diálogo deste episódio, pra mim, foi Sookie e Hugo trocando  figurinhas sobre seus vampiros, o que levantou um dilema moral que ainda não tinha sido debatido na série: Hugo ama Isabel e quer que ela o faça vampiro para que vivam juntos para sempre, e para sempre jovens e belos. Sookie nunca quis virar vampiro, ela disse isso quando Bill a fez beber seu sangue após o ataque dos Rats e até recusou uma nova dose quando foi espancada por Rene.

Hugo: Mas se eles fizerem perguntas, você tem certeza que conseguirá dizer o tipo de coisa que eles querem ouvir sobre vampiros?
Sookie: Hugo, eu não escuto apenas o que as pessoas odiosas dizem, eu escuto coisas tão odiosas que até as pessoas odiosas temem dizê-las em voz alta. Não se preocupe comigo, tenho muito material com que trabalhar. Eu ficarei bem.
Hugo: Bom.
Sookie: Engraçado, eu nem lhe conheço direito, mas você é a única outra pessoa que conheço que namora um vampiro e…
Hugo: O que quer saber?
Sookie: Tudo. Tipo, você e Isabel brigam?
Hugo: Oh, nós brigamos feito loucos. Mas já estive com mulheres com quem eu não brigava, antes, e descobri que, com cada uma delas, o único motivo para não brigarmos era porque eu não me importava o bastante para me dar ao trabalho.
Sookie: Oh, Hugo, isso é injusto.
Hugo: Talvez, mas é verdade.
Sookie: É engraçado, mas sempre que Bill e eu brigamos, mesmo quando estou gritando e com tanta raiva que nem vejo como vou parar, de alguma forma, no meio de tudo aquilo, de alguma forma percebo que estamos lutando pela nossa relação. Um pelo outro. Brigamos para ficarmos juntos.
Hugo: Você…? Esqueça.
Sookie: O que?
Hugo: Ultimamente, o motivo pelo qual Isabel e eu mais brigamos é porque, toda vez que trago à tona o assunto de ela me transformar, ela simplesmente se fecha, nem ao menos discute isso.
Sookie: Isso é algo que as pessoas fazem, mesmo? Porque isso nunca me ocorreu.
Hugo: Como pode não pensar? Por enquanto tudo está bom, mas daqui a 50 anos, quando eles ainda forem como eles são, mas nós estivermos nos nossos 70 ou 80 e estivermos corcundas e fracos e usando andadores? Vamos lá, como é possível que eles ainda nos amem?

Pelo que me lembro da série de TV, de todos os vampiros que nos foram apresentados apenas de quatro nós conhecemos a história da transformação: Eric, Bill e Jessica não tiveram escolha [escolher entre morrer e “viver” não foi bem uma escolha independente para o Eric]. O único que foi transformado por opção consciente foi o Eddie, o contador fã de Heroes desprezado pela esposa e filhos, porque ele queria viver uma vida mais livre e ter mais poder. E expressar sua sexualidade.

Mas no caso do Hugo, eu não sei, parece mais alguém que está a dançar em seu baile de formatura e reclina gentilmente a cabeça e diz “oh, meu verdadeiro amor eterno, estou pronta”. Há uma certa superficialidade nos motivos dele. Faça uma tatuagem com o nome dela, cara, pelo menos dá pra apagar ou desenhar um coração de mãe por cima..

Setlist das músicas do episódio no site TrueBlood.Net

Posts relacionados
[TrueBlood] Never Let Me Go
[TrueBlood] Shake and Fingerpop
[TrueBlood] Scratches
[TrueBlood] Keep this party going
[TrueBlood] Nothing but the blood
Southern Vampires / True Blood

Anúncios

16 comentários sobre “[TrueBlood] Hard-Hearted Hannah

  1. o episódio foi muito bom, mas a Sookie do Alan Ball continua deixando a desejar, não consigo imaginar ela como objeto da disputa de dois vampiros.
    Talvez seja influencia de Dexter não sei…, mas gostei muito do flashback do Bill, pela primeira vez em muito tempo não fiquei com raiva dele…, contraditório eu sei, até da Lorena gostei, O Eric continua ótimo apesar da cena curta
    resumindo gostei de tudo, menos das partes da Sookie

    • ai ai ai, chorei de rir da comparação com o dexter…

      vamos esperar que as partes da sookie melhorem daqui pra frente, né? porque esses extremos [sookie boa x lorena má, bill cruel x bill angustiado] são meio óbvios e démodé.

  2. Oi.

    Acho que a ideia do Eric é rastrear as pessoas que compram V e assim poder agir melhor contra elas, e para isso nada melhor que um fornecedor ja conhecido.

    Eu to achando muito enrolado essa hisotria da Sociedade do SO, e não gostei das mudanças no Eric. Se a Sookie ja da fica histericas pelo Bill ter matado um canalha pedofilio, acho dificil ela se aproximar de alguem que sequestra, tortura e mata pessoas por muito menos.

    Na serie não aparece nada da gentileza e do flerte com o Eric a trata nos livros, onde é ele quem se preocupa com que ela seja recompensada sobre sua ajuda aos vampirso de Dallas.

    E sobre a questão apresentada por Hugo eu tenho uma duvida que não vi ser esclarecida em nenhum dos livros.

    Como fica a questão legal de alguem que quer ser transformado em vampiro? será que transformar alguem é reconhecido por lei? tem alguma regra?

    Ops, acho que escrevi demais.

    Foi mais um otimo post.

    • anderson, boa sacada sobre o v, pode ser isso mesmo, afinal o eric é o xerife, né?

      uma das cenas que eu esperava ver é a que ele acompanha a sookie ao clube de sexo, até hoje choro de rir só de lembrar! infelizmente, parece que os 3 personagens principais tiveram sua personalidade virada do avesso.
      😦

      também não me lembro de ler nada a respeito dessa questão legal nos livros. a única coisa que se refere remotamente a isso foi dito pela charlaine numa entrevista, sobre a ligação pelo vínculo de sangue [eric e sookie, por ex.] e entre maker e criatura.

      a suckerforvampire traduziu essa parte lá no blog dela [link].

      ah, escreva à vontade!

  3. O Eric entediado (desse video que vc colocou) dizendo que não tem mais emoção foi uma das melhores partes para mim. A Dapnhe bitch! Não acho que a Maryann vá fazer alguma coisa com o Sam, mas aquele bacanal foi medonho.
    Jessica e Hoyt, fofura detected. 🙂
    Eu gosto muito do Terry, e gostaria que o Lafayette voltasse com o seu brilho.
    As vampiras mulheres tem um look menos, hum, branco cadáver que os homens.

    • kaká, é incrível como o alexander skasrgard rouba a cena – ou será que é porque adoramos o eric? 😆

      já pensou o lafayette em plena forma, junto com a pam? ninguém segura!

      xeu te contar, eu não tinha posto reparo nessa diferença no tom de pele das vampiras pros vampiros, mas é verdade, uia! pode ser explicado pq elas usam maquiagem?

      • Não. É que estamos acostumadas a ver mulheres hiper brancas (ou maquiadas a vontade) e não estamos acostumadas ao mesmo efeito em homens, por isso a estranheza é maior.
        Mas eu gosto da forma como o rosto do Eric é branco. Já o do Bill eu não gosto, mas acho que isso tem a ver com a flacidez da pele masculina, devido a idade dos atores que são vampiros (e as mulheres vampiras da série não tem pele flácida).

  4. Oi Naomi

    verdade, a orgia la em que a Tara original tb participava.

    Mas ta tudo tão diferente do livro que infelizmente acho que vamos ficar sim isso e sem o senso de humor do Eric e da Pam.

    E vc sabe se na cena do Bill ao piano, foi mesmo o ator que cantou?

    Pq se foi, oh, mais ponto p/ ele.

      • Cá entre nós, Bill deu um show nesse episódio. Ele estava mais bonito, mais sexy, mais interesse, mais tudo de bom lá em 1926 do que jamais esteve na época atual. Por mim o Bill ideal seria um mix do Bill de antes com o Bill de agora (com predominância do Bill de antes). Aquela cena dele fazendo sexo no meio do sangue foi fantástica.
        A Lorena é meio fake e isso irrita um pouco, mas conceitualmente eu gosto dela.

  5. Pingback: [TrueBlood] Release Me « Batata Transgênica

  6. Pingback: [TrueBlood] Time Bomb « Batata Transgênica

  7. Pingback: [TrueBlood] New World in My View « Batata Transgênica

  8. Pingback: [TrueBlood] I Will Rise Up « Batata Transgênica

  9. Pingback: True Blood no SBT… em 2011 « Televisão é Magia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s