[TrueBlood] Time Bomb

Bom menino!

Bom menino!

Tenho menos de 40 anos de idade, mas consigo lembrar do tempo em que o sul de Jim Crow ainda existia. Eram os anos 1970 e posso lembrar de perguntar à minha mãe por que as salas de espera no consultório do médico da cidade eram separadas. Quando nós éramos levados para exames, nos levavam para um lado do prédio, enquanto os pacientes de etnias diferentes ficavam sentados no outro lado do prédio e eram levados para salas de exames separadas de nós. Mesmo sendo uma criança pequena eu sabia que havia algo errado com aquilo. Conforme eu crescia, nunca vim a entender o motivo, mas aprendi que era assim que as coisas eram feitas e vi que seria preciso passar décadas antes que alguma diferença acontecesse. Eu era  Sookie, de certo modo. Se eu visse alguém que eu queria visitar ou conversar, eu fazia sem pensar duas vezes. Afinal, não estava fazendo nada de errado. Mesmo assim, eu era castigada, ameaçada, humilhada, me faziam sentir inferior como você nem pode começar a imaginar. É claro, estou me referindo às feias verdades sobre racismo. Era o meu vampiro. E exatamente como em BonTemps, havia sempre fundamentalistas cristãos que condenavam a amizade interracial e aqueles que tomavam parte dela, tudo em nome do Senhor. [Arlene Culpepper in Vampire Discrimination in True Blood, 07/08/09]

A citação de abertura deste post ficou muito maior do que o normal, mas o artigo todo é tão pertinente com o oitavo episódio de TrueBlood que foi uma dificuldade selecionar só um trecho em vez de colocá-lo inteiro. Esse Jim Crow a que a autora se refere é o autor de uma série de leis de segregação racial que vigoraram no sul dos EUA até 1965, quando foram declarados inconstitucionais pelo Ato de Direitos Civis.

Eu admito que via o prisma do preconceito, sim, só que não associei com a questão da cor da pele, pensava mais nas minorias do tipo portadores de HIV, por exemplo, mas esse artigo do site TrueBloodNet também é bastante adequado – mais ainda porque a Charlaine Harris,  autora dos livros niqui a série se baseia, é sulista, testemunhou essa Era Jim Crow e criou uma personagem que defende a igualdade de direitos e de tratamento para um grupo desprezado pela maioria WASP [white anglo saxon protestant].

A partir deste ponto há spoilers. Enriquecido com oito vitaminas e ferro.

Após impedir Gabe de estuprar Sookie, descobrimos que Godric deixou-se sequestrar pela Fellowship of the Sun em nome de uma convivência pacífica entre humanos e vampiros. Ele acha que é hora dos vampiros evoluírem e passarem a ver os humanos como seres iguais e não apenas a sua lata de Sustagem [tá, isso fui eu que inventei, você captou a ideia].

Ele convence Eric a salvar Sookie sem matar ninguém pelo caminho, convence seus soldados a soltarem os humanos capturados no santuário, libera Hugo vivo, diz a Jason que ele é seu amigo de fé seu irmão camarada… Em suma, Godric é mais um personagem descaracterizado na série e seu drama foi higienizado e superficializado para caber em 51 minutos, portanto não vou gastar mais linhas com ele.

Oh, sim, Jason não morreu. Sarah Newlin atirou nele com a arma de paintball e eu espero que a última bala o tenha deixado estéril porque deusmelivre que um cara tão burro se reproduza. Taí, essa é uma qualidade da série: a gente se pega detestando os personagens como se eles existissem de verdade! Especialmente os irmãos Stackhouse. Sookie&Bill voltaram a se reunir e ficaram um porre, outra vez. Se eles tiverem uma DR toda vez que aparecem em cena, te juro, eu mesma enfio uma estaca neles. Será que no relacionamento da vida real a Anna Paquin também é essa mulher carente e dependente do Stephen Moyer? Iuc.

Desta vez os núcleos paralelos me foram irritantes [leia-se: Maryann e Sam]. Cansou, né? Eu queria ver o circo pegar fogo lá na batalha [hahahahaha! que batalha teeensa, fala sério… não] e os empata-f*da naquela empatação. Ahn, tem hífen ainda? De qualquer modo, Eric, volta logo pra BonTemps e bota aquela macumbeira pra correr, kthks.

Agora, vem cá, um pouco de coerência seria legal. Como que cortam o cabelo do Eric e o hímen da Jessica “cresce” de volta? Tadinha, morri de pena. Do Andy Bellefleur também, por outros motivos, claro. Ser desacreditado toda vida, não é à toa que ele era o jerk da primeira temporada.

Faltam apenas quatro episódios pra terminar a segunda temporada e, se seguirem o padrão estabelecido anteriormente, já devem começar a abordar os acontecimentos do terceiro livro [Club Dead, de 2003] assim que finalizarem os pontos ainda abertos: Maryann, por exemplo.

Por fim, se eu disser que este foi meu episódio favorito apesar de tudo, só porque teve um monte de Eric [e até Eric sorrindo, nada menos!] você vai me achar vazia e superficial?

Bem, mas é verdade.

O ator Alexander Skarsgard teve uma interpretação ótima na cena da alucinação do Lafayette, uns ep atrás, mas desta vez ele se superou ao emular um daqueles caipiras fanáticos da FotS. Perceba como ele altera a expressão corporal, a voz… O cara tem domínio.

O melhor de Eric – Parte 1 de 2

Link http://www.youtube.com/watch?v=AjPuF1nIJZQ

Parte 2 de 2

Link http://www.youtube.com/watch?v=7NwazVxZb2k

Setlist das músicas do episódio no site TrueBlood.Net

Posts relacionados
[TrueBlood] Release Me
[TrueBlood] Hard-Hearted Hannah
[TrueBlood] Never Let Me Go
[TrueBlood] Shake and Fingerpop
[TrueBlood] Scratches
[TrueBlood] Keep this party going
[TrueBlood] Nothing but the blood
Southern Vampires / True Blood

Anúncios

21 comentários sobre “[TrueBlood] Time Bomb

  1. Huahuahuahua…eu concordo completamente com você (principalmente na parte do ter adorado por causa do Eric de montão ^_^).
    Pensei que só eu iria ficar irritada com a Sookie (e Bill) neste episódio. Mas fico feliz em ver que não fui a única.
    Entretanto eu adorei o Godric. Não dá para saber o que realmente ele pensa, quais as suas verdadeiras motivações e, embora eu creia em tudo o que ele falou, ele parece ter algo rolando naquela mente milenar que não deixou transparecer ainda.
    Fiquei irritada no início com a benevolência dele, mas depois fui me encantando, justamente por não enchergar exatamente bondade (ou a espécie de tolice amargurada e sem sentido que vemos em Bill, por exemplo), mas dubiedade e mistério. Quem é Godric de verdade? O que ele realmente pretende? (além, é claro, de um lugar merecido para os vampiros que, infelizmente, não evoluíram como ele o fez) Isso sem falar que ele é uma gracinha e fica maravilhosamente sexy naquele pijama, hahaha.
    Mas novamente você me deixou com dúvida. Descaracterizaram o Godric do livro, so….como era o Godric do livro? (enchendo o teu saco mais uma vez)

    • mica, tou pensando em escrever um post inteirinho apenas com as diferenças entre a sookie dos livros, que é mega querida, e essa coisa da série, de tanto ódio que tou pegando – mas teria que reler pra lembrar de uns detalhes, então não será para um futuro próximo, heh.

      o anderson já comentou num post anterior tb que o bill dos livros não tem nada dessa angústia da série, ele é um cara bem resolvido, bem mainstream.

      o godric, sim, carrega um fardo por causa de uma tara a que ele não consegue resistir [ele deseja encontrar o sol por causa disso]. em nenhum momento ele manifesta preocupação com a integração vampiros + humanos. é impiedoso com hugo e isabel – ele não os mata, a pedido da sookie, mas estabelece um castigo mais cruel do que a morte.

      tomara que nos próximos episódios esse personagem demonstre uma complexidade maior, tomara! se for do jeito que você comentou, vai se bem melhor 😉

  2. A propósito, o correto é enxergar, não? Desculpe pelo erro grotesco no texto aí de cima. Eu estava tão fora de mim hoje, que quando escrevi fiquei na dúvida e minha amiga disse “não, é com ch!” e eu alterei (tinha escrito com x). Mas fiquei encafifada o dia inteiro até que agora à noite cheguei a conclusão de que era com x mesmo. Sorry. (vergonha).

  3. Bomo, como eu não suporto Bill/Sookie, então nem tenho muito o que dizer, mas o Eric, oooh boy… não me canso dele.
    Engraçado eu gosto do arco Maryann/Sam 😉 talvez porque eu ame a Michelle Forbe, sei lá 😉
    Enfim, meudeoooz, dá para o Jason ser mais burro ou falta criatividade da autora? Meudeoooooz… como ele sobreviveu até agora, me diz?

    Beijos

    • chris, eu tb gosto, mas a série chegou num ponto em que o drama central atingiu o estágio mais tenso e denso. merecia mais tempo e um desenvolvimento mais detalhado na tela… em vez disso, eles cortam o tempo todo pro núcleo que tá nesse chove-não-molha!
      😆

      quanto ao jason, ele é extra dumb na série. nos livros ele é um pouco menos lento.

  4. Claro que o Eric aparecer de montão foi o melhor do episódio! 🙂 Também adorei o caipira que ele fez.

    O Godric também foi ao cabelereiro e rapou as madeixas que ele tinha no episódio que transformou o Eric. Eu não sabia se ficava com pena ou achava engraçado a Jessica ser a eterna virgem.

    O Godric da série é quase o Ghandi (alguém twittou isso, mas não lembro quem), world peace.

    A melhor frase foi a Sarah dizer para o Jason “Oh, grow a brain!”. hahahha!

  5. eu concordo com tudo que vc diz, mas ao mesmo tempo confesso que estou me afastando cada vez mais a série do livro na minha cabeça, acho q sim foi um bom episódio, como vc disse teve bastante Eric, e acho que em algumas partes principalmente durante a festa ele parecia realmente o Eric dos livros, a briga da Sookie com a Lorena até que não foi tão ruim…detesto ver briga de mulher por causa de um homem… tão patético!
    mas o que realmente não gostei, além da parte da Maryann que não tenho vontade nem de comentar, foi do Jessica…, credo parece castigo, não gostei achei meio misógino, ela será punida com dor toda vez que transar…
    neste ponto um pouco de coerencia vai bem, por uns mudam e outros não?

    • joelma, o alan ball disse numa entrevista que a tendência é mesmo a série se afastar mais e mais dos livros… e, sabe, muito legal vc levantar essa questão da misoginia, meio que confirma o rumo que ele deu para a sookie, por exemplo, né?

      • No caso da Jessica, acho que o sentido é o oposto. Ele está criticando o fato dela ainda ser virgem, e não por escolha própria, mas devido a forma como foi criada pelo pai. Com isso, foi tolhida dela a escolha de perder a virgindade, assim como o é de tantas mulheres, e que depois carregam as marcas pelo restante de seus dias.

  6. Oi, eu não gostei.

    Godric de Ghandi, Jess condenada a virgindade, Jason totalmente idiota (nos livros ele aparece muito pouco só que é melhor aproveitado), Eric diferente dos livros, Bill angustiado…

    E Sookie….ah…sera que Charlene Harris não chora de angustia toda vez que ve sua personagem principal agindo como uma tapada inutil?

    • anderson, vi numa entrevista que a charlaine disse ver a série como um universo totalmente separado dos livros – por sorte, ela disse também que a série de tv não vai influenciar em nada o que ela tem preparado para a sookie!

      \o/

  7. Naomi, decidi resolver meu problema de leitura e imprimi o que faltava de Morto até o Anoitecer e de Living Dead in Dallas. Agora eu leio esses negócios! (ler no notebook não estava rolando). Chega de me sentir por fora!

  8. Pingback: [TrueBlood] I Will Rise Up « Batata Transgênica

  9. Pingback: [TrueBlood] New World in My View « Batata Transgênica

  10. Pingback: [TrueBlood] Behind Here Lies Nothin’ « Batata Transgênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s