Rule, Britannia!

- Escute aqui, a que horas eu cheguei em casa ontem à noite?
- Lá pelas cinco, patrão.
- E… como é que eu estava, hein?
- Um pouco animado, patrão… mais nada. Disposto a cantar o Rule Britania.
- Que coisa incrível – disse Jimmy. – O Rule Britania, é? Não posso me imaginar cantando o Rule Britania nem mesmo sóbrio. Deve ter sido algum impulso de patriotismo latente provocado por… umas e outras. (Agatha Christie, O Mistério dos Sete Relógios, Ed. Record, 1987, pág. 77)

Rule, Britannia! é uma canção patriótica inglesa, muitas vezes confundida com o próprio hino nacional. Inicialmente era apenas um poema, composto pelo escocês James Thomson (1700-1748). Este poema foi musicado por Thomas Arne e fazia parte da mascarada Alfred, que comemorava a ascenção do Rei George 1º, em 1740. Alfred referia-se a Alfred O Grande, rei anglo-saxão que comandou a nação contra os vikings, estabelecendo o ponto de partida da supremacia naval que a Inglaterra viria a dominar futuramente.

Dentre os artistas que musicaram seus versos encontram-se Handel, Bethoven, Wagner e Strauss. Suas palavras refletem o orgulho de permitir mais ingleses livres do que outras nações. Nesta época estavam a desenvolver o sistema de monarquia constitucional após a Declaração de direito de 1689, enquanto o continente europeu ainda vivia sob o absolutismo imperial francês. Inglaterra e França eram países arquiinimigos.

Rule, Britannia!
a song by Thomas Augustine Arne, 1740

Continue lendo