Minha semana em série

Semana atropelada, quase nada das séries novas que acompanho, então vam’de mais Agatha Christie: além de Poirot, alguns episódios de Miss Marple com a Joan Hickson.

The Body in the Library, Miss Marple: Episódio triplo especial de Natal exibido em 1984 coa Joan Hickson no papel principal. Depois da Angela Lansbury, é a minha Miss Marple favorita. O roteiro é bem fiel ao romance Um Corpo na Biblioteca, os atores correspondem ao que eu imaginei quando li [exceto o que fez o Basil Blake, que é ainda melhor], os cenários também. Foi um ep confortável de assistir mesmo com a longa duração. Oh, sabe o ator que interpreta o Inspetor Slack? Ele é o Dr. Pavlov do filme dos 102 Dálmatas ca Glenn Close!

The Moving Finger, Miss Marple: Miss Marple tem bem menos histórias do que Poirot. A série estrelada pela Joan Hickson tem apenas doze episódios [e não achei todos], sendo a metade de especiais de natal. A Mão Misteriosa, romance niqui se baseia este ep duplo, eu só li recentemente e apenas uma vez mas, pelo que me lembro, foi adaptado fielmente também. Fiquei com a impressão de já ter visto a atriz que faz a Megan, só que o iMDB lista dois trabalhos dela e o outro tenho certeza que não vi. Só então me caiu a ficha: ela é a cara da Diana Spencer. Bem agradável de assistir, é uma série cosy, essa ca Hickson.

Problem At Sea, Poirot: Problema A Bordo [Os Primeiros Casos de Poirot], mais tarde desenvolvido no romance Spoiler –> Morte no Nilo <–, é outro caso em que o roteiro melhorou um conto não tão bom da Dama do Crime, dando-lhe mesmo um final mais adequado, na minha opinião. Não mudou a identidade da pessoa criminosa, apenas seu destino. Ponto alto: Poirot servindo de matchmaker para Hastings. Ponto baixo: a escalação de atores muito parecidos entre si e genéricos, e um Capitão Clapperton nada parecido com um homem que atrai as mulheres.

The Incredible Theft, Poirot: O Roubo Inacreditável [Assassinato no Beco] foi desenvolvido do conto Spoiler –> Os Planos do Submarino [Os Primeiros Casos de Poirot] <–. Afora uma pontinha da atriz Phyllida Law, nesse ep os personagens não foram tão bem apresentados quanto no livro. Mas testemunhar Hastings e Japp compartilhando uma cama e o sarcasmo de Poirot não tem preço. Este foi o primeiro ep em que apareceu uma mansão inglesa do jeito que eu imaginava quando lia os livros; de modo geral a arquitetura e a decoração do ambientes na série inteira parece moderna demais pra mim [muito cromado, alvenaria, muitas figuras geométricas, muito vidro, muita luz].

The King of Clubs, Poirot: Eu demorei, demorei pra lembrar que história era essa. Só ali pelo meio do episódio reconheci O Rei de Paus [Os Primeiros Casos de Poirot]. Tenho que tirar o chapeu pros roteiristas, conseguiram tirar leite de pedra nessa historia da atriz/noiva de um príncipe estrangeiro que se vê no meio da investigação do assassinato de seu produtor. Nos deram um motivo agathachristiano que nem Agatha Christie deu no livro.

The Dream, Poirot:  O conto O Sonho [A Aventura do Pudim de Natal] não é lá grandes coisas, mas o episódio até que ficou legal. Foi o último da primeira temporada e, exceto em Triangle at Rhodes e Problem at Sea, o Inspetor-Chefe Japp, a Miss Lemon e o Capitão Hastings participaram até dos episódios em que não aparecem no original literário. Nada grave, rende momentos divertidos como a paixão de Hastings por carros e esportes, uma Miss Lemon ligeiramente OOC [out of character] como neste ep em que ela pede uma máquina de escrever nova e um Japp amistoso.

Peril at End House, Poirot: Episódio duplo baseado no romance A Casa do Penhasco, adaptado com bastante fidelidade na estreia da segunda temporada. Tem imagens lindas do cenário [um balneário em Loomouth, fictício] e participação da Polly Walker no papel da Nick Buckley. Eu acho a Polly Walker linda com aqueles zoiões, mas depois de todos esses anos ela ficou meio que estereotipada num tipo de personagem. Claro que vinte anos atrás ainda não, ainda era bem jovem. Voltando à trama, li o livro umas 3 ou 4 vezes, mas só depois de assistir a este ep percebi que o plot foi aproveitado em Spoiler –> Convite Para Um Homicídio <–. O legal é perceber como a série usa um recurso que os roteiristas de House aprimoraram: a epifania. 😆

Red Saills in the Sunset – Bing Crosby

Link http://www.youtube.com/watch?v=vGIwSwAvp6o

The Veiled Lady, Poirot:  O conto A Dama de Véu [Poirot Investiga] / A Dama em Apuros [Os Primeiros Casos de Poirot] não é lá graaandes coisas [ops, tou me repetindo], mas o episódio ficou ótimo! Especialmente na parte em que Poirot vira criminoso, é uma comédia. Frances Barber depois interpretou a Hinchcliffe na versão Geraldine McEwan de Convite Para Um Homicídio [2005], que eu não curti. E, awww, tem um gatinho que ajuda a solucionar o crime!

Listagem completa dos contos de Agatha Christie na comunidade Agatha Christie Brasil
Guia de episódios Miss Marple no EpGuides

Anúncios

Um comentário sobre “Minha semana em série

  1. Pingback: Poirot, Miss Marple e muita Agatha no feriadão « A Casa Torta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s