Sabotage / Sabotagem / O Marido Era O Culpado [e etc.]

Pôster

Pôster

Na semana passada comentei que estava precisando assistir a uns filmes adultos [favor não confundir com “filmes adultos” sinônimo de X-Rated] e quase no mesmo dia consegui ver Sabotagem [Sabotage, não confundir com Saboteur] do Hitchcock. O universo, né? Ele conspiiira.

Antes vi um pedaço do documentário sobre o diretor que conta que ele começou a história de aparecer em seus filmes logo no primeiro trabalho, quando teve que substituir um extra que faltou no dia da gravação. Ele disse que programa suas aparições sempre para os primeiros dez minutos que é pra não obrigar o espectador a ficar procurando-o o tempo inteiro.

Bem, eu o perdi de vista.

Num filme de 70 minutos. Vamos não falar da minha capacidade de concentração, combinado?

Em todo caso, no mesmo documentário e em entrevistas posteriores, Hitch comentou que cometeu um erro ao adaptar uma cena fiel ao livro The Secret Agent de Joseph Conrad [No Coração das Trevas, Lorde Jim] e que essa cena provocou a rejeição da audiência. Tá no vídeo anexado ao pé deste post também.

Sabotagem

Acepções
1 ação ou efeito de sabotar
2 danificação propositada de estradas, meios de transporte, instalações industriais, militares etc., para a interrupção dos serviços

Etimologia
fr. sabotage (1904) ‘manobras, ações que têm por objetivo provocar o prejuízo de uma empresa’, de saboter


Fonte: Dicionário eletrônico Houaiss

Mr. Verloc (Oskar Homolka)

Mr. Verloc (Oskar Homolka)

O filme começa exatamente assim, mostrando a definição da palavra no dicionário [não o Houaiss, é claro]. Uma série de ataques na Londres pré-Guerra é alvo de investigação da Scotland Yard. O casal Karl Verloc [Oskar Homolka] e sua esposa Sylvia [Sylvia Sidney, a Juno de BeetleJuice – Os fantasmas se divertem] mantêm um pequeno cinema familiar. Eles residem nos fundos do cinema com o irmão caçula de Sylvia, Stevie. Ted Spencer [John Loder] é o ajudante de uma quitanda vizinha que demonstra um interesse fora do comum por Sylvia.

A trama é bem política e incrivelmente atual nestes tempos de terrorismo. Muitos críticos dizem que este é um Hitchcock menor [até Hitchcock dizia isso] mas vale a pena assistir caus que mostra bem a visão política do diretor, uma análise bem acurada dos fatos que levariam a uma Guerra que poucos perceberam. Em outras palavras, ele não tinha apenas o senso artístico apurado, mas uma visão da realidade também.

Quanto à tal cena, só digo que fiquei deprimida o resto da semana.

Steve (Desmond Tester)

Steve (Desmond Tester)

Ah, o título: no começo o filme foi lançado no Brasil como O Marido Era O Culpado. Sutil, né? Só depois virou Sabotagem. Mas lá fora teve tantos nomes que isso foi fichinha.

Ficha técnica
Sabotagem / O Marido era o Culpado
(Sabotage, Inglaterra, 1936)

Títulos Alternativos: The Hidden Power / I Married a Murderer / Sabotage / A Woman Alone
Gênero: Suspense
Duração: 76 min.
Tipo: Longa-metragem / P&B
Produtora(s): Gaumont British Picture Corporation, Shepherd
Diretor(es): Alfred Hitchcock
Roteirista(s): Joseph Conrad, Charles Bennett (1), Ian Hay (2), Helen Simpson, E.V.H. Emmett

Elenco
Sylvia Sidney – Mrs Verloc
Oskar Homolka – Karl Anton Verloc
Desmond Tester – Steve
John Loder – Ted Spencer
Joyce Barbour – Renee
Matthew Boulton – Superintendente Talbot
S.J. Warmington – Hollingshead
William Dewhurst – The Professor

Serviço
Download do filme [sem legendas]
Ficha no iMDB
Verbete no Alfred Hitchcock Wiki
Verbete no Wikipedia
Resenha do livro Agente Secreto por José Geraldo Couto

Alfred Hitchcock talks about SABOTAGE

Link http://www.youtube.com/watch?v=-dhbSUP9mhk

SABOTAGE Alfred Hitchcock An Interview with Desmond Tester

Linl http://www.youtube.com/watch?v=PzXsk9EdGRA

Anúncios

4 comentários sobre “Sabotage / Sabotagem / O Marido Era O Culpado [e etc.]

  1. Oi Naomi,

    Não vi o filme todo, mas já vi a cena do menino carregando o pacote em um documentário sobre o Hitchcock (não sei se é o mesmo que está passando no TCM), realmente a cena é um suspense só, a gente fica roendo as unhas de ansiedade.

    Gostei do primeiro vídeo, o Hitch era cínico que só ele, e realmente sabia seu ofício. Se você tem o DVD dos Pássaros, há um extra em que ele fala da crueldade dos humanos com as aves, o humor inglês está ali com toda sua sutileza, é muito bom.

    Beijocas!

  2. Muito bom, especialmente pelo rosto de Silvia Sidney como a esposa aterrorizada,e pelo ar de vilão-homem comum muito verossímil de Oscar Homolka, e devo dizer que o livro de que o filme foi extraído, “O agente secreto”, de Joseph Conrad, é excelente e, infelizmente, muito atual, ao abordar o terrorismo como uma espécie de niilismo irremediável na alma de um homem sem afeto algum por seus semelhantes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s