Desafio Literário | Avalon High [reserva]

Sinopse
‘Avalon High’ pode não ser exatamente o lugar onde Ellie gostaria de estudar, mas até que não é tão ruim assim. Uma escola americana normal, freqüentada pelos mesmos tipos de sempre – Lance, o esportista; Jennifer, a animadora de torcida; e Will, o presidente da turma, jogador talentoso, bom moço… e muito charmoso! Mas nem todos em ‘Avalon High’ são o que parecem ser… nem mesmo Ellie, como ela logo vai descobrir. Depois de um esbarrão durante uma corrida no parque, os destinos de Ellie e Will parecem estar irremediavelmente entrelaçados. Ela começa a notar uma série de estranhas coincidências entre o seu cotidiano e a lenda do Rei Arthur – nomes similares, triângulos amorosos, sociedades secretas – mas qual seria seu verdadeiro papel nessa história? Como em Camelot, estariam seus novos amigos fadados a um trágico destino? E pior, o que ela pode fazer para impedir que uma profecia milenar se cumpra mais uma vez? Misturando fantasia, história e romance, Meg Cabot acerta mais uma vez.

Capa da edição em inglês

Capa da edição em inglês

Já que eu desgostei da primeira opção de chick lit pro Desafio Literário [embora tenha lido inteiro e direito, não na diagonal] e porque dava tempo, resolvi ler o livro reserva também. Meg Cabot é outra primeira vez pra mim – só a conhecia dos dois filmes da série Diário da Princesa, que achei fofinhos e influenciaram na hora de montar a agenda de leitura. Avalon High entrou por causa do título mesmo, nem li a sinopse antes.

E, cara, que grata surpresa! Logo nos parágrafos iniciais eu já estava totalmente cativada pela personagem principal, uma adolescente de 16 anos que tem que se adaptar numa nova cidade nos arredores de Washington D.C., num novo colégio com novos colegas. Ela já não sentia-se enturmada em sua antiga cidade, sendo mais alta do que as outras garotas e filha de dois professores cujo objeto de estudo são as lendas arthurianas. Isso a tornou impopular nas festas temáticas da Idade Média, mas deu-lhe uma personalidade prática que sabia que não era nada romântico viver com dentes ruins ou infestada de piolhos e morrer de velhice aos vinte anos.

Por outro lado, ela tinha que conviver com o nome de alguém que se matou por causa de um amor não correspondido, o que ela desprezava.

I don’t care how beautiful the poem is about her. It’s not exactly cool to be named after someone who killed herself over a guy. I have mentioned this several times to my parents, but they still don’t get it.

Oh, e já mencionei que cada um dos vinte e nove capítulos inicia-se com uma quadra do poema A Dama de Shalott, do Tennyson? Fala sério! Qual livro juvenil cita Alfred Tennyson hoje em dia?

Leitor de Agatha Christie reconhece uns versos por causa de A Maldição do Espelho: “Fora a teia se abria e esvoaçava; / O espelho quebrou de lado a lado: / ‘A maldição se abateu sobre mim’, / gritou a Lady de Shalott.”

The Lady of Shalott, John William Waterhouse, 1888

The Lady of Shalott, John William Waterhouse, 1888

A trama me ganhou de verdade quando percebi que seria meio que uma modernização de uma história clássica, tipo As Patricinhas de Beverly Hills e Emma da Jane Austen, ou 10 Coisas que Odeio em Você e A Megera Domada do Shakepeare, tudo ambientado em colégio. Eu gosto dessas adaptações. A diferença é que no caso de Avalon High existem pessoas que conhecem a história original e percebem as coincidências.

Sem entregar muito, digo que a autora conseguiu combinar bem um thriller com romance adolescente [eu fiquei tensa na beira da cadeira do capítulo 24 em diante], criar personagens que cresceram psicologicamente no decorrer das páginas, um plot tão razoável que dá até pra acreditar, se quiser. Ah, esse é outro ponto positivo do livro: Meg Cabot não estabelece qual posição é real, a de Ellie, cética, ou a de Mr. Morton. Cada leitor escolhe a que gostar mais.

Eu li a edição em inglês, mas já tem tradução no Brasil lançada pelo selo Galera Record [trad. de Ana Ban, que é de onde saiu a sinopse que encabeça o post], que ficou com o mesmo título em português. O livro é o primeiro de uma série que continua com três mangás, que a Record também tem os direitos no Brasil. A Disney comprou os direitos para adaptar o livro num filme a ser lançado em novembro próximo, por enquanto sem elenco confirmado – mas há rumores de que Steve Valentine interpretaria Mr. Morton. Se isso acontecer eu vou adorar.

Ei, pessoal da Disney, que tal escalar o Ethan Peck no papel do Will? Ele é tall and dark e tem aquela voz de derreter goiabada. Só é meio magrelo pra convencer como quarterback, mas nisso dá-se jeito.

“That’s where you lose me,” I said. “Dark forces? Mr. Morton, come on. What are you talking about? Darth Vader? Voldemort? Give me a break.”

´The Lady of Shalott – Loreena McKennitt


Link http://www.youtube.com/watch?v=Vw_cZGrVFqw

Serviço
Ficha do filme no iMDB
Verbete no Wikipedia

Artigo Sir Lancelot and Elaine
Ensaio A Lenda do Rei Arthur e dos Cavaleiros da Távola Redonda
Livro Le Mort d’Arthur, de Sir Thomas Malory, no Project Gutenberg [parte 1 e parte 2]
Matéria Guy Ritchie vai adaptar lenda do rei Arthur para os cinemas
Poema A Dama de Shalott, de Tennyson, traduzido por Leandro Dias
Poema The Lady of Shalott, de Alfred Tennyson, em inglês
ProjetoThe Camelot, na Universidade de Rochester

Título: Avalon High
Título original: Avalon High [EUA, 2005]
Autor: Meg Cabot [megcabot.com]
Editora: HarperTeen
Idioma: Inglês
ISBN: 978-0060755867
Páginas: 304

Este post faz parte da blogagem coletiva Desafio Literário 2010 [v. lista de livros agendados], tema Chick Lit [livro reserva].

Blog do Desafio Literário

Posts relacionados
10 Coisas Que Odeio em Você
As Patricinhas de Beverly Hills
Desafio Literário | Casório?!

Anúncios

28 comentários sobre “Desafio Literário | Avalon High [reserva]

  1. Pingback: Blogagem Coletiva | Desafio Literário 2010 « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  2. Eu gosto da Meg Cabot, ou, pelo menos, gosto dos livros que já li dela; aliás, meu próximo livro na lista de coisas para ler é dela, também o reserva do Desafio…

    Já tinha lido Avalon High um tempo atrás, quando entrei numa meio febre de Cabot – não pelos Diários da Princesa, mas com “O Garoto da Casa ao lado” e “Garota encontra Garoto”, que são bem divertidos e leves.

    Aliás, foi na época de li Avalon High que saí atrás de descobrir Loreena McKennitt e acabei com toda a discografia dela no colo. Pontos para a Cabot!

  3. Vc me deixou com vontade de ler. ai, Senhor, estou com 4 livros começados e empacados por falta de tempo (também, quem mandou começar 4 ao mesmo tempo?) e cá estou eu, querendo ler mais um.
    Da Meg Cabot eu só li uma coleção (já te falei uma vez): A Mediadora, com 6 livros. Fiquei fascinada. É bem ágil, meio adolescente, mas tão gostosa de ler que não consegui parar antes de terminar o sexto livro.
    Avalon High irá para a minha listinha de precisam ser lidos. (credo, vc esta lendo um livro atrás do outro! Quero a sua organização do tempo, pq eu não estou me achando nas míseras 24horas. Esta noite dormi só três horas e ainda assim não fiz nada do que tinha que fazer).

  4. Que resenha excelente! Completíssima, e de brinde uma música linda dessas, estou ouvindo aqui no fone enquanto escrevo. Não conhecia a Loreena McKennitt, mas gostei da voz e do estilo dela.

    OK, disse no outro comentário que ainda bem que não escolhi um livro da Meg Cabot, mas esse parece que tem história, e bem interessante. Também gosto quando há referências a outros livros.

    Também quero saber como você dá conta de tantos livros, eu mal estou conseguindo ler um por mês. Que saudades da época em que eu devorava um livro atrás do outro… outros tempos.

    Beijos!

  5. Suas resenhas são uma delícia de ler. Se não fosse minha obsessão atual por livros históricos e autobiografias, ia mergulhas nesse aí. Dos chick lit até agora (dos que tive notícias) esse ai foi o que mais empolgou (amo histórias que, de alguma forma, remetem a Idade Média.

    • drika, brigadê pelo elogio 🙂

      é verdade, eu fiquei empolgada também pelo livro da meg cabot mas, por mais que outros participantes tenham gostado das escolhas deles para o mês, a temática dos livros não me chamou a atenção.

  6. Pingback: Cruel Intentions / Segundas Intenções « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  7. Pingback: The Mirror Crack’d from Side to Side / A Maldição do Espelho « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  8. Pingback: The Mirror Crack’d from Side to Side / A Maldição do Espelho « A Casa Torta

  9. Pingback: Retrospectiva Literária 2010, Top 5, Bottom 3 « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s