Feliz São João!

Capelinha de melão é de São João
É de cravo, é de rosa, é de manjericão
São João está dormindo
Não acorda, não
Acordai, acordai, acordai, João
[Cancioneiro popular]

Quando eu era criança achava que soltavam bombas no dia de São João pra ele acordar pra festa, mas aí disseram que não. Que apesar de S. Jão ser um santo festeiro [é por causa dele que existem as festas juninas ou joaninas] ele tinha que ficar dormindo no seu dia, caus que se ele visse as fogueiras em sua homenagem desceria do céu e se queimaria nelas. E eu ficava pensando “que bobos. Tem um monte de adulto aqui pra tomar conta dele”.

O tempo passou, Titia Batata perdeu as ilusões.

Mas não a curiosidade. Descobri, por exemplo, que se não fosse São João a gente não conheceria a escala musical do jeito que ela existe.

‘’Ut’’ queant laxis ~
“Re’’ssonare fibris
‘’Mi’’ra gestorum
‘’Fa’’muli tuorum,
‘’Sol’’ve polluti
‘’La’’bii reatum,
‘’S’’ancte ‘’J’’ohannes.

O ut foi depois substituído por dó. O si é constituído pelas letras iniciais latinas de Sancte Johanes (São João: o j lia-se como i). [Wikipedia]

Outro detalhe curioso é que São João é um dos poucos santos comemorados no dia de seu nascimento e não no de sua morte ou martírio.

A historinha da fogueira também é legal: Isabel e Maria [mães de JB e JC, respectivamente] eram primas e muito amigas. Isabel prometeu a Maria acender uma grande fogueira para avisá-la quando JB nascesse [não tinha SMS naquele tempo]. Na verdade esta é uma adaptação das fogueiras pagãs acesas na véspera do solstício de verão [Midsummer], em honra do sol.

Já as bombinhas se devem ao pai de JB: Zacarias recebeu a notícia de que Isabel estava grávida e ele ficou tão emocionado que emudeceu, só voltando a falar quando ele nasceu e perguntaram qual seria seu nome. Quando ele respondeu “João” todos bateram palmas. Tutu odeia essa parte.

O levantamento do mastro com as imagens dos três principais santos juninos [Antônio, João e Pedro] e o pau-de-fitas também são uma adaptação do catolicismo romano para uma tradição pagã, o Maypole, mastro de maio ou pau de maio, que simboliza Yggdrasil [a árvore que representa o eixo do mundo, na mitologia nórdica] e comemorada na Grã-Bretanha, EUA, Suécia, Grécia, República Tcheca… A “simbologia fálica” *cof* do mastro representa o senso de comunidade, juventude, celebração e a chegada do verão – no hemisfério norte, claro, onde nossos antepassados portugueses o levaram para junho.

Bah, por mim festa é festa e celebração da vida é celebração da vida, venha de qual hemisfério vier.

E se tiver comida e bebida melhor ainda!

Vinho quente
Tempo de preparo: 20min
Rende: 10 porções

Ingredientes
1 copo de açúcar
Canela em rama
Cravo
1 l de vinho tinto seco
1/2 l de água
1/2 maçã (verde ou vermelha) descascada e cortada em fatias
1 pedaço de gengibre fatiado

Modo de Preparo

1. Queime a metade do açúcar com o cravo e a canela
2. Acrescente o vinho, já misturado com a água
3. Junte a maçã, o gengibre e o açúcar restante
4. Deixe cozinhar um pouco e sirva bem quente.

Evite servir em recipiente metálico.

Outras coisas

Se preferir a bebida dos deuses nórdicos: receita de hidromel [a tradicional alcoólica e a suave não-alcoólica].

Dica do jornalista Jairo Marques na Folha de SP: arraiá acessível para cadeirantes e festa junina beneficente.

Ação social para ajudar as vítimas das enchentes de Alagoas e Pernambuco: Copa Solidária.

E, só para lembrar, tradição boa é tradição que não provoca problemas nem tragédias. Que tal criar uma nova tradição de esquecer de soltar balões e evitar incêndios? 😉

Anúncios

9 comentários sobre “Feliz São João!

  1. Boa, Naomi! Que sejam preservadas as boas tradições, as que não machucam, que não viram tragédias!
    Hoje é mais especial ainda, para todos nós, da minha família.
    Mamãe completou 88 anos.
    E, ainda faz a felicidade de um montão de gente, que a ama!
    Só que a gente não faz mais festa, há muito tempo, para preservar a qualidade de vida dela.
    Que dorme cedo e acorda cedo, adora frio e não gosta de barulho e confusão.
    😉

    Beijocas na Dona Mãe!
    Que deve ter preparado quitutes!
    🙂

  2. Vinho quente não, mas cachaça a gente bebe muito por aqui…

    Nossa culinária junina/joanina (a primeira primeira palavra vem de Juno, a deusa…) é a base de milho: Canjica (curau pra vocês, mas feita com leite de coco); Munguzá (canjica de vocês) e Pamonha, e milho assado ou cozinhado, além de uma obra de arte chamada Pé-de-moleque (que não tem nada a ver com o pé-de-moleque de vocês do centro sul) que é feito, mais ou menos, assim:
    http://www.livrodereceitas.com/tipicas/nordestina/nord1539.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s