Seed cake / Bolo de sementes

Caraway seed cake, bolo de cominho

Caraway seed cake, bolo de cominho

Lady Selina engoliu o último pedaço amanteigado e olhou vagamente em redor. Henry logo apareceu. Não rápida nem apressadamente. Parecia ter surgido ali de súbito.
- A senhora deseja mais alguma coisa? – E sugeriu atenciosamente: – Bolo, por exemplo?
- Bolo? – Lady Selina pensou nisso, hesitante.
- Estamos servindo um ótimo bolo de cominho que eu recomendo à senhora.
- Bolo de cominho? Faz anos que eu não como bolo de cominho! É bolo de cominho de verdade?
- É, sim, minha senhora. O cozinheiro usa essa receita há não sei quantos anos. A senhora vai gostar, tenho certeza.
Henry olhou para um dos seus ajudantes, e o rapaz disparou em busca do bolo de cominho.
[Agatha Christie, O Caso do Hotel Bertram, trad. Rachel de Queiroz. 7ª edição. Rio de Janeiro: Record, 2001]

Levanta a mão quem lê livro ou assiste série/filme e fica de olho no que os personagens comem. o/

Antontem eu finalmente terminei de ver a segunda temporada de Poirot, que se encerrou com a adaptação da primeira aventura do detetive de Agatha Christie [O Misterioso Caso de Styles] e é claro que acabei com vontade de comer um dos quitutes mencionados: desta vez foi seed cake, um simples bolo “temperado” com sementes típico não apenas na Inglaterra, mas também na Terra Média, apreciado por humanos, hobbits e anões igualmente.

- Um pouco de cerveja me cairia melhor, se não lhe fizer diferença, meu bom senhor – disse Balin, agitando a barba branca. – Mas eu não recuso um pouco de bolo… bolo de sementes, se você tiver.

- Um monte! – Bilbo se viu respondendo, para sua própria surpresa; e se viu também correndo até a adega para encher uma caneca de cerveja, e depois para a despensa para pegar dois belos e redondos bolos de sementes que fizera aquela tarde para petiscar depois do jantar. [J. R. R. Tolkien, O Hobbit, trad. Lenita Maria Rímoli Esteves, Almiro Pisseta. 2ª Edição. São Paulo: Martins Fontes, 1998]

Continue lendo

[TrueBlood] Todos os Truebies & Newbies

Eu pensei que todo mundo já tivesse visto todos os vídeos de apresentação dos novos personagens de True Blood, mas pelo que vi da reação no Twitter foi novidade pra bastante gente. Então reuni os que saíram até o momento, divididos em com e sem legenda em português. Estão fora da sequência de lançamento e ordenados do meu mais preferido ao menos favorito. ;)
Continue lendo

[TrueBlood] I Got a Right to Sing the Blues

A noiva de Franklin

A noiva de Franklin

Eu a-do-rei este episódio!

Pela primeira vez em muito tempo, as partes que gostei superaram as que me deixaram indiferente [oi, Jason; oi, Crystal] e as que me deram raiva. Por onde começo…? Bom, na dúvida, pelo começo, né?

A partir deste ponto há spoilers

Continue lendo

Domingueiras

Não chore sobre o leite derramado, a equipe de limpeza está aqui

Não chore sobre o leite derramado, a equipe de limpeza está aqui.

Uma coisa boa de sobrinho é que ele experimenta de tudo e come de quase tudo, não é enjoado. Mas anturdia a vó estava refogando um pouco de jabá [de alcatra, supermacia e saborosa] e ele pediu um pedaço. Mastigou, mastigou, pensou e perguntou “Vó, queisso?”. A vó respondeu que era carne-seca, ele pensou mais um pouco e disse “não curti, você faz carne molhada pa mim?”.

Tutu tirou os pontos ontem e já voltou à sua rotina, um pouquinho mais redondinha por ficar trancada no quarto durante 11 dias.

E acabo de encontrar o curativo que ela arrancou antes de voltar à vet grudado no fundilho da minha calça.

Momento House: se você bater a cabeça não durma em seguida, aguarde pelo menos uma hora acordado, aplique gelo no galo e fique atento a tonteira, enjoo ou sonolência – se um destes sintomas se manifestar, procure um médico. Senquis pelas dicas, @patriciadaltro!

Tem um encurtador de url que vem no HootSuite e é um saco: quando arrente clica no link ele não mostra a url de origem na barra do navegador e ainda enfia mais uma barra pra ele mesmo. Já deixei de clicar em tuitadas amigas quando via o ht.ly. O @emersonpardo deu a dica: basta selecionar a opção “sempre desativar a barra social de ow.ly” [aparentemente são a mesma coisa] que aparece ao pousar o cursor do mouse no X pra fechar a barra intrusa. Assim que a social bar fecha a url real aparece. Valeu, rapaz que ficou mais velho essa semana!

Continue lendo

It’s caturday! 2 em 1

A mamãe do coelhinho Bubbles morreu quando ele tinha uma semana de vida. Snaggle Puss tinha acabado de parir uma ninhada de gatinhos e o adotou.


Link http://www.youtube.com/watch?v=04RZrf3-Mgo

A ONG Alliance for Human Actiion pegou a música Help, dos Beatles, e criou uma campanha para a castração dos bichinhos. Ficou fofo.


Link http://www.youtube.com/watch?v=CMzW3LIkNLA

Parece incongruente botar os dois vídeos juntos, mas, hey, quais são as chances reais de você encontrar um bebê coelho órfão ao mesmo tempo em que sua gatinha tem uma ninhada? Foi só pelo elemento de fofura mesmo. Já a castração é assunto sério.

The Secret Life of Bees / A Vida Secreta das Abelhas

Sinopse:
Carolina do Sul, 1964. Lily Owens (Dakota Fanning) é uma garota de 14 anos atormentada pelas poucas lembranças que tem da mãe falecida em um trágico acidente causado por ela. Decidida a fugir da solidão e do relacionamento complicado com o pai, T. Ray (Paul Bettany), Lily foge de casa com sua empregada Rosaleen (Jennifer Hudson) e segue a única pista que pode levar ao passado de su mãe numa pequena cidade do interior. Lá ela conhece August (Queen Latifah), a mais velha das irmãs Boatwright, dona de um tradicional apiário da cidade e que também conhece alguns segredos do passado de sua mãe.

Capa do dvd

Capa do dvd

A Vida Secreta das Abelhas é um filme que não precisa de efeitos especiais milionários, elenco com cachês idem nem apelar para carinhas bonitas – mas bem que podia gastar um pouco mais de caraminguás na divulgação, caus que é um filme que vale a pena prestar atenção e assistir no mínimo duas vezes.

É baseado no livro homônimo da escritora Sue Monk Kidd e se passa no sul dos Estados Unidos, logo após a instituição do Ato dos Direitos Civis de 1964. Tanto o livro quanto o filme são uma ótima referência complementar para quem curte os livros da Charlaine Harris e a série True Blood porque tratam do mesmo tema praticamente na mesma região geográfica: a intolerância racial e a difícil convivência numa sociedade intolerante e dividida. Claro que também é indicado para quem não curte as histórias de vampiros, porque não tem nada de sobrenatural ali.

Bom, quase nada, pelo menos.

Existe alguma referência à religiosidade, é verdade, mas trata-se de uma religiosidade quase particular e decididamente sincrética. Jada Pinkett-Smith [Matrix] é a produtora-executiva, e seu marido, o ator Will Smith, também faz parte do time de produtores. Ambos são engajados em projetos de direitos civis, especialmente naqueles destinados a promover a causa negra.

Zach Taylor: Miss August me disse que você estaria aqui pra ajudar. Ela não comentou nada sobre você ser branca.
Lily Owens: Talvez ela não tenha percebido.

Continue lendo

Global Voices: de Cala boca Galvão a serendipity

Como Ethan Zuckerman ligou o fenômeno de ativismo virtual “Cala boca Galvão” à iniciativa internacional Global Voices, um grupo de voluntários que escolhem artigos na blogosfera e no noticiário local e os traduzem para o maior número de idiomas possível.

O vídeo dura quase vinte minutos, mas carrega rápido e é muito interessante.

Link http://www.ted.com/talks/lang/eng/ethan_zuckerman.html

O vídeo só tem opção de legenda em inglês por enquanto [clique no subtitle ali na parte de baixo do player], mas isso já ajuda um bocado se o seu listening é meio maluco feito o meu.

serendipity
s. capacidade de fazer descobertas importantes por acaso
Fonte: Babylon

Site do Global Voices em português

* Agradeço à Diana Pádua pela dica!

[TrueBlood] Trouble

Eu teeenho a fooorça!

Eu teeenho a forçaaa!

Uma das coisas que eu mais curti na primeira temporada de True Blood e que é constante nos livros da Charlaine Harris é o lado cômico, o bom humor. É um jeito de lidar com temas sérios sem afastar o espectador/leitor. Infelizmente, de uns tempos pra cá os roteiristas da série mudaram a fórmula, canalizando o humor em personagens burlescos [quando não ridículos]. Dois exemplos são o Jason Stackhouse e o Andy Bellefleur, que viraram caricaturas do caipira ignorante e preguiçoso e do policial paspalho.

A partir deste ponto há spoilers

Continue lendo

[TrueBlood] 9 Crimes

Franklin e Tara

Franklin e Tara, mais um relacionamento abusivo.

Janice Herveaux sobre Debbie Pelt e Alcide: Ela foi o primeiro amor da vida dele, ele nunca tinha conhecido alguém tão cheia de vida, aquela m*rda toda. Mas quantos tiros você tem de levar por alguém, quanta coisa ruim tem de acontecer com você e com quem você ama antes de você perceber que sentir-se vivo não é o suficiente?

Sookie está/é tão obcecada pelo seu relacionamento com Bill que não consegue ver as coisas em perspectiva. É o primeiro relacionamento amoroso da vida dela, e é justamente com um ser a quem ela não consegue ler as intenções ou ouvir os pensamentos. Ser telepata pode não ser grande coisa, afinal, pois a tornou dependente desse dom para conhecer as pessoas ao invés de torná-la consciente dos sinais que enviam pelo comportamento. Tudo tem que ser desenhadinho.

A partir deste ponto há spoilers.

Continue lendo