[TrueBlood] Hitting the Ground

Quem não tem glitter se vira com... Tinkerbell!

Quem não tem glitter se vira com... Tinkerbell!

Hahahahaha!

Cara, desculpa, não consigo parar de rir. Este episódio de True Blood foi pura comédia, e o melhor é que dá a impressão de comédia involuntária provocada pela tosquice. Essa impressão foi reforçada porque, entre personagens submetidos ao ridículo, rolaram litros de sangue cenográfico e gosma vermelha e pelo menos cinco cadáveres.

A partir deste ponto há spoilers.

“Who/what are you?”

Mais cedo ou mais tarde, algum Supe sempre pergunta isso pra Sookie [Supe = ser sobrenatural não-humano, de supernatural, gíria dos livros de Charlaine Harris]. Desta vez foi Lorena, que atacou a garçonete quando ela tentava salvar Bill das correntes de prata. Lorena subjugou Sookie sem dificuldade até que Bill interferiu e incitou Sookie a acabar com sua maker.

Dois comentários aqui: a frieza com que Bill arquitetou a segunda morte, a morte definitiva de Lorena. Nós sabemos que ele foi transformado contra a vontade, que o relacionamento entre eles era sado-sádico, e ele sabia que se Lorena sobrevivesse tanto Bill quanto Sookie estariam em perigo constante, mesmo assim essa determinação dele me incomodou um pouco. Vou creditar a falta de crises de consciência ao excesso de tramas paralelas pra dar conta em poucos episódios; já passamos da metade da temporada e logo, logo chega aquela fase em que o arco da temporada seguinte começa a se desenhar.

O segundo comentário é sobre a aceitação de Lorena para o que viria a seguir, que me soou estranha na hora que assisti, mas fez sentido quando lembrei do diálogo entre os dois no ep anterior naquela cena incrível de revelações. Lorena tinha o potencial para ser uma boa pessoa e foi moldada por vampiros numa sociedade ainda secreta, odiada pelos humanos, numa vida dura em que ela tinha de atacar primeiro pra sobreviver. Assim como Bill, ela sabia que se sobrevivesse teria de matá-lo e isso ela não suportaria. Então, eu acho que ela o amou, sim, e morreu por amor a ele.

É um amor distorcido e perturbado, mas é. Tanto que ganhou o postmortem desta semana. Resquiat In Pace, Lorena.

Cadáver 1: check.

Tá, não sobrou assim um cadáááver, cadáver mesmo, caus que vamps explodem em sangue e gosma e… Péra. Eu te contei que foi a Sookie quem deu a estacada na Lorena? Pois foi. Relutantemente, mas foi. Voltando. Sookie e Bill estavam lá no paiol de Russell, cobertos com o sangue e a gosma da Lorena quando Alcide e Tara chegam com o veículo de fuga. Os três discutem o resgate de Bill [que desmaiou de novo e eu esperando que a tonta da Sookie fosse checar a pulsação dele, hehe] pra dar tempo de serem flagrados pela Debbie [“Hm, burrito de vampiro!”], assistir a uma DR entre uma Debbie doidona de V e Alcide e serem flagrados de novo pelo Coot. Bang, bang, Coot está no chão.

Cadáveres 2 e 3: check [Alcide atropelou outro Were na fuga].

Depois de se cortar pra dar sangue ao vampiro moribundo, Sookie sofre um ataque do inconsciente Bill e acaba no hospital, onde descobrimos que ela não tem um tipo sanguíneo e seu corpo rejeita as transfusões. Em coma, a alma/espírito de Sookie vaga até a porta para outro mundo e… Mmmpfmbwahahahaha! Entra no mundo das fadas da Barbie!

*Pausa pra Titia Batata rolar no chão num ataque de gargalhadas”

OK, é uma passagem importante pra descobrirmos o que é a Sookie, qual o segredo que até ela desconhece, fomos apresentados à Claudine, mas, gente, foi tosco demais da conta… Parece que os caras estão dizendo “não leve a gente tão a sério!”

De novo, vale notar a força da Tara – e não tou falando do fato da personagem de Rutina Wesley carregar o corpo de Stephen Moyer sozinha até o furgão. 😉

Em todo caso, eu tou tentando de toda maneira lembrar qual livro sobre empoderamento feminino menciona homens que “roubam o vento” da mulher [sem piadas escatológicas sobre peidos, por favor]. Lembra? A Monica citou em Friends, muito tempo atrás, chegou a ser bestseller de autoajuda na época. Lembrei disso quando a Claudine implora pra Sookie não permitir que ele roube sua luz.

Sabiá lá na gaiola fez um buraquinho, voou, voou, voou, e a menina que gostava tanto do bichinho chorou, chorou, chorou.

Sabiá lá na gaiola fez um buraquinho, voou, voou, voou, e a menina que gostava tanto do bichinho chorou, chorou, chorou.

Eric está no caminho de descobrir a verdadeira natureza de Sookie. Para isso ele usou de chantagem e ameaças contra Hadley, a preferida de Sophie-Anne. A rainha está engaiolada e não cede, mas Hadley – que também se sente traída pela atitude da amante e, portanto, desobrigada de manter o segredo – sucumbe e conta a ele. Cartas na manga, você tem de tê-las nesse jogo de poder da política dos vampiros. Saber usá-las vem no pacote e eu tenho a sensação de que Eric saberá. Nesse meio tempo, ele precisa riscar outra pendência na agenda que é salvar Pam.

A escritora Charlaine Harris disse na Comic-Con 2010 que tem dois atores que são exatamente do jeito que ela imaginou quando escreveu: o Chris Bauer [Andy Bellefleur] e a Kristin Bauer van Straten, a Pam. O Chris Bauer fez um trabalho tão bom de composição do personagem que permitiu ao telespectador “enxergar” o ator na cena em que o Jason imita os trejeitos dele na cena em que visita o traficante preso. E a Kristin Bauer, céus, ela aparece pouco mas quando aparece, detona!

Ela tem uma presença tão impactante e carismática que era para ter participação mínima e acabou entrando pro elenco fixo. A sequência em que ela está acorrentada na masmorra do Fangtasia é incrível: ela está sendo torturada pelo Magistrado mas é ela quem domina. Ironia, sarcasmo, wit, é por isso que a Pam é uma das minhas personagens favoritas. Eric interrompe o Magistrado quando ele ia perfurar a pálpebra de Pam com um brinco de prata [Elsa Perretti Teardrop, 295 dólares o par – “How’d you know I was a Tiffany’s girl?”] e daí segue-se um diálogo muito bom entre o Magistrado e Russell.

Se você capta inglês, pode ler no script no final do post, da linha 797 aos 42min até a linha 887 aos 47min, vale a pena. Foi a parte sócio-política do episódio [e o casamento real, de quebra]

Cadáver 4: check [pena, final da participação de Zeljko Ivanek].

A única parte realmente sombria deste ep foi o subnúcleo do Sam, que foi resgatar Tommy da rinha de cachorros. Eu tava torcendo para que muita gente sofresse, apanhasse e quem sabe até morresse, mas infelizmente a única vítima fatal foi um cão – cão mesmo, não shifter.

Cadáver 5: check.

Shapeshifter ou shifter = metamorfo, tipo de Supe ou ser sobrenatural que pode se transformar em qualquer animal.

Werewolf ou Were = lobisomem, tipo de Supe ou ser sobrenatural que só se transforma em lobo. Apenas lobisomens chamam-se pelo diminutivo Were; os outros Supes que se transformam em apenas um outro animal não têm direito ao diminutivo, como o Wererabbitt de Wallace & Gromit. Os lobisomens acham que são superiores aos outros Wereanimais.

Xeu ver, que mais…? Jason quer saber mais sobre Crystal, blablabla, procura Lafayette para comprar metanfetamina pra trocar por informações com o primo da garota, mais blá [não, os diálogos são engraçados]:

Lafayette: Da última vez que você veio até mim todo trêmulo deste jeito, você queria comprar V.
Jason: O que? Não, não, eu te disse, aquela m*rda ficou pra trás. Eu só preciso de um pouco de metanfetamina.

Resumo da ópera até agora? Esta temporada trata de traição e de humor, voluntário ou não.

Post mortem season 3 episode #7


Link http://www.youtube.com/watch?v=sknqQtgOroQ

Sookie no hospital com Claudine


Link http://www.youtube.com/watch?v=cxd_g0SjQZw

Posts relacionados
Beautifully Broken
Bad Blood
It Hurts Me Too
9 Crimes
Trouble
I Got a Right to Sing the Blues

Anúncios

17 comentários sobre “[TrueBlood] Hitting the Ground

  1. que bom que eu não foi a única a pensar “wtf, alan ball!” vendo esse epi. wtf claudine com esse papo hippie e “não roube o vento da sookie” (btw, ótima lembrança. hahaha).
    ahn?

    sei lá, tenho medo do que vão fazer com o plot dos livros. as histórias envolvendo a política vampírica são super dignas, mas outras coisas me dão uma sensação estranha. espero que a sookie ñ fique mais nesse “mimimi beeeeeal”. nhé.

    no mais, adoro seu blog e as suas resenhas de true blood. ;D

  2. ah Naomi! eu fiquei super desapontada com essa tosquisse do mundo das fadas e dessa Claudine, muita gente achou ridicula mesmo – disseram que parecia comercial de higiene feminina / margarina. O que me atraiu primeiramente nos livros foi a ideia dos seres sobrenaturais viverem entre nós quase normalmente (donos de lojas, bares, empresários, quase normais, isso que é diferente nos livros, não essa droga de cliche que qualquer fanfic por aí pode fazer) quer dizer a Claudine e esse mundo da fadas foi tão tão cliche, essa Claudine toda delicada dando mensagem em sonho PQP! Eu gosto dela nos livros por ser alta, forte, dona de loja, morar em um apartamento, e seu irmão striper. “suspiro”
    Nada dessa história de “roubar a luz”, aposto que os escritores se acharam suuuuper originais.

  3. Fairyland foi muito cafona, pareceia uma filial hippie das festas da Maryann. Argh.

    Mas, eu achei uma boa sacada o sangue da Sookie deixar o Bill um pouco imune ao sol. (eu li até o livro 8 e nada disso acontece né?) Acho que pode render uma boa história aí, porque existem vampiros como o Rei Russell que querem dominar os humanos.

    Eu até achei que o Jason ia poder doar sangue para ela, afinal ele também deveria ter um pouco de sangue especial.

    Rei Russell rules. A Pam é boa demais!!

    Senti falta da Jessica. E achei a ameaça da Debbie digna de noites sem sono: ‘vou te farejar, te procurar e te caçar até a morte’.

    Aquela idéia do Eric de que “the only vampire a vampire can trust is the vampire he made” não se aplica ao Bill e Lorena.

    • o sangue autoimune [oi, é lúpus!] foi bem pensado mesmo, no livro não tem disso, não… a série tem uns lances legais, sim, só é pena que se perdem no meio de umas tosqueiras abismais, mesmo pra quem não leu os livros.

  4. Mais um episodio de True Blood que eu não consegui gostar.

    Total fake a fairyland e o ALcides ainda não disse ao que veio.

    E notei uma falha.

    Na segunda temporada quando menciona Godric, Eric diz que ele é o vampiro mais velho do novo mundo e agora sabemos que Russel é ainda mais velho.E ai?

    E não gostei do casamento feito nas coxas. Nos livros, as uniões são cuidadosamente calculadas, feitas com esmero, elegância, glamor até.

    Não esta tendo nada disso na serie. Pelo contrario ta tudo muito seco, muito vulgar. Não me agrada.

    Mas fiquei com duas duvidas:

    Primeiro, quantos sonhos eroticos a Tara vai ter com o Frank depois daquela quantia absurda de sangue engerido? Talvez por isso ela tenha conseguido carregar o Bill.

    Segunda: Quem afinal é a autoridade que o Magistrado tanto fala?

    Quem o escolheu p/ a posição e quem decidiu que os vampiros tinha que sair dos caixões?

    • as inconsistências na série são gritantes até pra quem não lê os livros, anderson. naquela cena da iniciação da debbie, por ex, ficava iaginando o pack inteiro taradão no russell. 😆

      mas essa questão da autoridade é bem interessante, né? também fiquei curiosa.

      • heheheh,

        Bem, revendo a cena e o comportamento da alcateia, eu não duvido nada.

        Toda aquela devoção e intusiasmo com a chegada do chefe…

  5. Pingback: [TrueBlood] Night on the Sun « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  6. Pingback: [TrueBlood] Everything Is Broken « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  7. Pingback: [TrueBlood] I Smell A Rat « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  8. Pingback: [TrueBlood] Fresh Blood « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  9. Pingback: [TrueBlood] Evil Is Going On « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s