The Replacements / Virando O Jogo

Capa do DVD

Capa do DVD

Eee começou a pré-temporada 2010-2011 da NFL! [Eu estava contando os dias, deu pra perceber?] O primeiro jogo transmitido na TV brasileira foi Baltimore Ravens versus Carolina Panthers, ontem à noite. O Ravens é o time nonde joga o Michael Oher, que teve sua trajetória de vida contada em The Blind Side/Um Sonho Possível. O estádio do time foi usado nas filmagens de outro filme de futebol americano do gênero Feel Good Movie, o Virando O Jogo [não confundir com o filme homônimo de 2006 cujo título original é Big Spender, com o Casper Van Dien].

Títulos genéricos provocam essas confusões e, neste caso, entregam o final da história também.

The Replacements [“os substitutos”, em tradução livre] baseia-se vagamente num fato real, a greve dos jogadores profissionais da Liga Nacional de Futebol em 1987 que durou três semanas. Para quem não acompanha o esporte aqui vai uma informação: cada time joga dezesseis partidas na temporada regular [uma por semana] e os quatro primeiros de cada divisão [norte, sul, leste e oeste] seguem para os playoffs, que é mata-mata e tem duas divisões [leste e oeste]. O vencedor de cada divisão vai para o Super Bowl.

[É um pouquinho mais complicado do que isso, mas é o básico.]

Por isso, perder três partidas por falta de jogador significa dar adeus às chances de seguir nos playoffs. O dono do Washington Sentinels [Jack Warden, em seu último trabalho] chama o antigo técnico Jimmy McGinty [Gene Hackman, a cara do Felipão Scolari, fiquei incrível] para montar um novo time em uma semana. Ed O’Neil demitira McGinty porque o quarterback titular Martel [Brett Cullen] se recusava a seguir as orientações do treinador [qualquer semelhança com personagens reais…].

A sorte é que McGinty há anos mantinha um olho atento em jogadores-promessa, gente que por um motivo ou outro não teve chance na liga profissional.

Jimmy McGinty: Sabe o que separa os vencedores dos perdedores?
Shane Falco: O placar.
Jimmy McGinty: Não, é subir de volta no cavalo depois de levar um chute nos dentes.

Jon Favreau e Rhys Ifans

Jon Favreau e Rhys Ifans

Foi assim que ele acabou reunindo Shane Falco [Keanu Reeves, numa interpretação realmente convincente e no intervalo da trilogia Matrix], um quarterback talentoso mas medroso, que pipocava em situações de tensão e atualmente limpa o casco de iates de luxo; o kicker Nigel Gruff [Rhys Ifans], dono de um pub, jogador galês de soccer que consegue chutar a bola de um extremo para o outro do campo enquanto pita um cigarro; o linebacker Danny Bateman [Jon Favreau], capitão do time defensivo, policial da SWAT com problemas de interrelacionamento e que é praticamente um psicopata em campo; e o widereceiver Clifford Franklin [Orlando Jones], repositor de estoque num mercadinho muito rápido nas corridas mas mão-furada.

A defesa ofensiva [NT: os jogadores encarregados de defender os jogadores do time atacante e o quarteback] é formada pelos irmãos Jamal e Andre Jackson, que só jogam bem quando estão no mesmo time e são guarda-costas de um rapper, e por Jumbo Fumiko, sumotori. Outros jogadores são Walter Cochran, pastor evangélico; Earl Wilkinson, condenado à prisão por agredir um policial; e Brian Murphy, um excelente jogador universitário recusado na liga profissional por ser deficiente auditivo.

O filme dedica boa parte do tempo mostrando como pessoas tão diferentes se adaptam no mesmo ambiente quando têm um objetivo comum. Esse objetivo não é o dinheiro, não é a fama [mulheres, dinheiro, iates], não é um contrato permanente com um time profissional, é mais o sentimento de realização pessoal, de fazer algo grande que os redima de erros passados ou da vidinha medíocre que levam.

Shane Falco: Por que eu?
Jimmy McGinty: Eu olho para você e vejo dois homens: o homem que você é, e o homem que você deveria ser. Um dia os dois se encontrarão. Dará um tremendo jogador de futebol.

Orlando Jones e David Denman

Orlando Jones e David Denman

Eu escrevi que o filme baseia-se vagamente num fato real, não foi? Em 1987, o Washington Redskins venceu as três partidas da temporada regular que disputou com os jogadores substitutos – inclusive contra o maior rival Dallas Cowboys, passou para os playoffs [já com os titulares] e venceu o Super Bowl. O filme concentra-se nas três partidas com os substitutos, claro, e mudou todos os nomes dos times. Mesmo as jogadas tiveram um bocado de licença artística.

O lance é não se prender muito às tecnicidades quando for assistir, a história é sobre superação pessoal com um toque de comédia e até um pouco de romance, o que é um argumento válido pra convencer sua namorada que não curte futebol americano a assistir. A direção é de Howard Deutch, o mesmo de A Garota de Rosa-Shocking, Alguém Muito Especial e Amigos, Amigos, Mulheres À Parte. Daí já dá pra perceber que o filme tem um olhar mais acurado sobre os relacionamentos pessoais.

Além disso, a trilha sonora é deveras cool! 😉

O narrador esportivo e o comentarista de TV que aparecem no filme são reais e trabalharam juntos por 21 anos. O fã brasileiro conhece o nome de John Madden por causa do jogo pra PlayStation e por causa da Madden Curse [Drew Brees, cuidado aí, meu filho]. Keanu Reeves fez uns lançamentos muito bons nas cenas de jogo, inclusive um de 69 jardas – tão bons que o Ravens ofereceu a ele uma chance de fazer testes pra entrar pro time. Nani desuka! [“O que é isto?”]

O filme saiu direto em DVD no Brasil, sem passar pelas salas de cinema. Neste mês o canal Maxprime está exibindo na sua programação.

Pat Summerall: É a segunda vez nesta noite que um jogador do Washington é nocauteado pelo próprio colega de time!
John Madden: Você sabe, existe uma regra nos esportes. “Não faça nada grande se não consegue dar conta dos cumprimentos,”
Pat Summerall: Existe?
John Madden: Yep.

The Replacements – Trailer


Link http://www.youtube.com/watch?v=QNpb9H703tg

Ficha técnica
Título original:The Replacements
Gênero: Drama
Duração: 01h45min
Ano de lançamento: 2000
Estúdio: Warner Bros. / Bel Air Entertainment
Distribuidora: Warner Bros.
Direção: Howard Deutch
Roteiro: Vince McKevin
Produção: Dylan Sellers
Música: John Debney
Fotografia: Tak Fujimoto
Direção de arte: Gary Kosko
Figurino:Jill M. Ohanneson
Edição: Seth Flaum e Bud S. Smith

Serviço

Ficha técnica no iMDB
Verbete na Wikipedia
Regras básicas da NFL no site da ESPN
Artigo The football strike of 1987: a question of free agency
The Madden Curse

Posts relacionados
The Game Plan / Treinando O Papai
The Blind Side / Um Sonho Possível
The Replacements – Virando o jogo [trilha sonora]

Anúncios

4 comentários sobre “The Replacements / Virando O Jogo

  1. Juro que não lembro de The Replacements… 2000 ? Vixe.

    Momento nada a ver: recomendo “A Casa do Lago”, também com Reeves e a tchu-tchuquíssima Sandra Bullock. Pra chorar.

    Aí depois você vê “A Origem” e (sem chorar) pira logo de vez. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s