Banned Books Week

O slogan deste ano para a campanha da Semana dos Livros Banidos da Associação Americana de Bibliotecas [EUA] é “Pense por si mesmo e deixe que outros façam o mesmo” [em tradução livre]. O objetivo da iniciativa é combater o cerceamento/retirada de alguns livros das bibliotecas escolares e públicas.

É uma resposta a pais que exigem a exclusão de títulos da biblioteca em que o filho estuda por motivos que variam da inadequação etária ou “incentivo à homossexualidade” [!!], ou aos grupos que condenam o ‘incentivo à prática de bruxaria”, o ponto de vista de outra religião ou o conteúdo sexual de outros livros e exigem sua exclusão das bibliotecas do município ou condado.

Durante uma semana, a associação incentiva a leitura pública dos livros que tiveram maior número de reportes pelo país como forma de protesto contra a censura [em 2010 é na semana entre 25/set e 2/out]. Cá entre nós, eu achei o slogan deste ano perfeito também para a atual situação midiática brasileira, niqui alguns militantes políticos acham que só se pode falar bem de um candidato e falar mal de outro, e que o jornal/veículo de imprensa que fala mal do seu candidato deve ser boicotado – ou, ainda, os diversos movimentos Cala a boca, Fulano.

Começa de brincadeira.

Em 2009 os dez livros com mais reclamações foram:

1. TTYL; TTFN; L8R, G8R [série], Lauren Myracle
Motivos: nudez, sexualmente explícito, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária, drogas

2. And Tango Makes Three Peter Parnell e Justin Richardson
Motivos: homossexualidade

3. As vantagens de ser invisível [The Perks of Being A Wallflower] Stephen Chbosky
Motivos: homossexualidade, sexualmente explícito, antifamília, linguagem ofensiva, ponto de vista religioso, inadequado à faixa etária, drogas, suicídio

4. O Sol é para todos [To Kill A Mockingbird], Harper Lee
Motivos: racismo, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária

5. Série Crepúsculo [Twilight] Stephenie Meyer
Motivos: sexualmente explícito, ponto de vista religioso, inadequado à faixa etária

6. O apanhador no campo de centeio [Catcher in the Rye], J.D. Salinger
Motivos: sexualmente explícito, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária

7. Uma prova de amor [My Sister’s Keeper], Jodi Picoult
Motivos: sexismo, homossexualidade, sexualmente explícito, linguagem ofensiva, ponto de vista religioso, inadequado à faixa etária, drogas, suicídio, violência

8. The Earth, My Butt, and Other Big, Round Things, Carolyn Mackler
Motivos: sexualmente explícito, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária

9. A cor púrpura [The Color Purple], Alice Walker
Motivos: sexualmente explícito, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária

10. The Chocolate War, Robert Cormier
Motivos: nudez, sexualmente explícito, linguagem ofensiva, inadequado à faixa etária

E na lista dos cem mais questionados entre 2000 e 2009:

1. Série Harry Potter, J. K. Rowling
8. Fronteiras do Universo [His Dark Materials], Philip Pullman
14. As Aventuras de Huckleberry Finn [The Adventures of Huckleberry Finn], Mark Twain
23. O Doador [The Giver], Lois Lowry
28. Ponte para Terabítia [Bridge To Terabithia] Katherine Paterson
36. Admirável Mundo Novo [Brave New World] ,Aldous Huxley
46. Matadouro-5 [Slaughterhouse-Five], Kurt Vonnegut
49. Um Estranho no Ninho [One Flew Over the Cuckoo’s Nest], Ken Kesey
50. O Caçador de Pipas [The Kite Runner], Khaled Hosseini
69. Fahrenheit 451, Ray Bradbury
88. O Conto da Aia [The Handmaid’s Tale] Margaret Atwood
97. A Casa dos Espíritos, Isabel Allende

Ah, as imagens no topo do post são frente e verso do marcador de páginas para imprimir, cortesia da ALA.

Posts relacionados
Recordes e censura
Semana dos livros banidos

Anúncios

13 comentários sobre “Banned Books Week

  1. Por que será que a lista de livros banidos tem sempre coisas tão interessantes?

    Acho que quem quer ver coisas impróprias em um livro, encontrará até nos textos mais improváveis. E quem simplesmente aprecia o texto nem percebe se ali há algo impróprio ou não. Tudo está na cabeça de quem lê…

    Btw, se os pais têm alguma restrição a algum livro para a faixa etária do seu filho, isso é entre eles e a criança, mas nunca banir o livro da biblioteca.

    Beijocas!

  2. Pois!
    No blog da Glória Perez, ela postou sobre o alcorão, e contou que havia uma cena na qual o livro era usado pelo personagem, em O Clone, para advertir a transgessora. Ocorre que por lá, o livro é O próprio! Lógico que, ao entender a visão do maometano, ela mudou a cena. E, por estas e outras advertiu sobre a seriedade, com relação ao propósito do americano, que ameaçava queimar exemplares do próprio.
    Nem tanto ao mar. Nem tanto à terra.
    Radicalismo sempre nos tolhe a vida.
    tsc tsc tsc

    Minha flor! Cai no engodo do msn… Migrei para o wordpress, com garantias que meus posts iriam junto… Até agora, nada! Fica meu alerta, faloris?! Zerou tudinho! Muito louco!
    Tô rindo da minha credulidade! E do meu desapego! Muitio loco, sô! 😆

    • alexandre, tenho visto esse impulso de querer censurar o livre pensamento por estas bandas de cá também – algumas vezes disfarçadas pelo discurso politicamente correto extremista. a diferença é que aqui não a censura se aplica muito seja porque os responsáveis não querem aplicá-la ou porque as pessoas não a obedecem 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s