Desafio Literário | O Coração das Trevas

Sinopse
Novela que deu origem ao fillme Apocalypse Now, obra-prima de Francis Ford Coppola, Coração das trevas é uma joia literária. Marlowe, o protagonista, é enviado à selva africana para resgatar o enigmático Kurtz, comprador de marfim cujos métodos civilizatórios põem a nu a selvageria da exploração colonial.

Capa

Quando montei a lista pro DL2010 mantive em mente que os últimos meses do ano são sempre corridos, então escolhi livros mais curtos na esperança de facilitar a leitura e cumprir o compromisso. Tolinha, os dois últimos títulos foram justamente os mais difíceis de ler mesmo sendo pequenos [em extensão].

O Coração das Trevas foi publicado pela primeira vez em 1899 numa revista, dividido em três partes. Seu autor Joseph Conrad é polonês, nascido na Ucrânia, que se naturalizou britânico aos 30 anos de idade, antigo marinheiro a serviço da Coroa Belga do rei Leopoldo 2º durante a colonização do Congo. A trama do livro baseia-se na experiência pessoal do escritor e em pessoas que conheceu nessa fase de sua vida.

A estrutura narrativa lembra Wuthering Heights/O Morro dos ventos Uivantes de Emily Brontë, com uma narrativa em primeira pessoa dentro de outra narrativa em primeira pessoa e muita matutação num clima opressivo e, bem… escuro. Não porque se passe à noite [boa parte transcorre sob o sol da África], mas porque mostra o lado escuro do homem.

Os ideais iluministas dos colonizadores pretendiam “civilizar” o povo bárbaro. Como o protagonista de Conrad relembra antes de começar a contar sua história, essa é uma prática que vem de muito antes: não foram os romanos que fizeram a mesma coisa quando invadiram a Bretanha? Londres não era, então, tão escura quanto as vilas africanas invadidas pelos belgas e britânicos agora?

Os bons ideais dos colonizadores começa a ceder ao se darem conta do caráter explorador e econômico do governo. Kurtz, a figura idealista cuja lenda é apresentada aos poucos ao protagonista Charles Marlow, revela-se enfim um homem transformado pela realidade.

O livro foi adaptado para o cinema em 1979 pelo diretor Francis Ford Coppola em forma de alegoria contra a Guerra do Vietnã no filme Apocalypse Now com Marlon Brando no papel de Kurtz, mas, como metáfora, achei que serve para muitas outras situações também.

Conrad critica a soberba branca europeia no livro, a julgar que sua pretensa civilidade seja superior à cultura africana. Coppola faz o mesmo em seu filme, adequando a visão americana sobre o modo de vida vietnamita. Na História, o Cristianismo missionário mostrou a mesma intolerância e imposição de ideias, escondidas pela mesma soberba. E o que dizer da prática de parte da militância política brasileira testemunhada bem recentemente [pouco mais de um mês atrás, apenas!]?

Em comum, todos demonstram desprezo e desrespeito por aquele que pensa diferente, que acredita em coisas diferentes, que se guia por ideais diferentes. Todos acreditam no paternalismo, na tutelagem, acreditando que o sujeito deve ser protegido de si mesmo e de sua cultura e crenças ancestrais, guiado pela mão por um benfeitor para que aprenda a acreditar nas coisas certas – as coisas em que crê o seu benfeitor.

O colonizador, o soldado, o missionário, o militante, podem até iniciar a jornada com boas intenções e altos ideais de justiça e civilidade, porém são apenas marionetes de um sistema que deseja mais marfim, mais impostos, mais dízimo, mais votos: são marionetes da ganância. Em sua jornada acabam cegados pelo objetivo e tornam-se cada vez mais desumanos.

Kurtz afinal revê os seus atos e reconhece o que deles resultou:

O horror! O horror!

Um livro para reler.

Apocalypse Now – trailer


Link http://www.youtube.com/watch?v=Tt0xxAMTp8M

Para saber mais
Cópia em PDF pronto para imprimir [em inglês, domínio público]
Ensaio ‘Heart of Darkness’ and late-Victorian fascination with the primitive and the double – novel by Joseph Conrad
Resenha de Nemo Nox
Verbete na Wikipedia

V. obras de Joseph Conrad em domínio público no Project Gutemberg


Nota: 5

(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Este post faz parte da blogagem coletiva Desafio Literário 2010 [v. lista de livros agendados], tema Livro com a palavra “coração” no título, e Desafio de Férias 2010/2011 [v. post].

Blog do Desafio Literário e Desafio de Férias 2010/2011

Título: O Coração das Trevas
Título original: Heart of Darkness [Reino Unido/1899]
Autor: Joseph Conrad [pseudônimo de Józef Teodor Konrad Korzeniowski]
Tradução: Celso M. Paciornik
Coleção: Clássicos Abril
Editora: Abril
Ano: 2010
Páginas: 164

Desafio Literário 2011

As regras e a lista de temas para o Desafio Literário 2011 já estão disponíveis e as inscrições acontecem de 15/10 a 15/12. Se você curtiu a ideia mas não conseguiu participar em 2010, dê uma espiadinha lá.

Apresentação e regulamento

Temas e agenda

Dicas de leitura para DL2011

Autores regionais

Formulário de Inscrição

Siga @DL_2011 no Twitter.

Anúncios

12 comentários sobre “Desafio Literário | O Coração das Trevas

  1. Faz tempo que vi “Apocalipse Now”. Não é um filme simples. A cena do soldado (não lembro qual era a patente dele) passando por uma fila de soldados moribundos com um gravador executando a “Cavalgada das Valquírias” do Wagner é antológica. Lembrando, as Valquírias eram filhas de Wotan com Erda, 9 no total, que recolhiam os heróis mortos em batalhas para serem a guarda de elite do Walhala (O anel dos nibelungen). Não fosse a fila de livros que eu ainda tenho pra ler eu baixava esse. 🙂

  2. Pingback: Tweets that mention Desafio Literário | O Coração das Trevas « Pensamentos de Uma Batata Transgênica -- Topsy.com

  3. Pingback: Blogagem Coletiva | Desafio Literário 2010 « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  4. Pingback: Desafio de Férias 2010/2011 « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  5. Sensacional!

    Ah, quando eu crescer quero fazer resenhas assim… inteligentes e críticas!

    Ainda não li o livro nem vi o filme, mas já sabe, né? Gostei muito da sua análise sobre colonizador/colonizado, a História sempre se repete. É a natureza humana, infelizmente. O respeito pela cultura e crenças alheias passa longe, e sempre há o desejo de converter o colonizado para a “nossa” verdade, que é a “única” certa.

    Parabéns pela ótima resenha e por completar o Desafio com honras! 🙂

    Beijos!

  6. Pingback: Retrospectiva Literária 2010, Top 5, Bottom 3 « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  7. Pingback: Rato de Biblioteca » Blog Archive » Semana do Rato

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s