Domingueiras

O 12º Doutor: Nunca é cedo demais para o teste de elenco, não é?

Imagem: ROFLRazzi

Sobrinho curioso com a bolsa que ganhei poucas horas antes me questiona: “Tia, por que a sua bolsa tá vazia? Você tem que encher de coisas!” Coisas, assim, no plural.

Para ele, o Venom é o “Homem-Alanha que morde”.

O maior super da cidade fez uma reforma nas instalações físicas que quase duplicou o espaço disponível e trocou quase todos os funcionários por “jovens bem-apessoados” trazidos de Marília: bonitos, sim, mas antipáticos e descorteses, que nunca sabem responder às dúvidas e sequer saem do caminho dos clientes, obrigando-os a desviar com o  carrinho. E o espaço foi tomado por marcas de segunda ou terceira linha, frutas e hortaliças podres, carnes cheias de nervo e sebo, sem contar a inexistência de produtos novos.

Com isso, um outro super investiu num novo gerente que realizou um trabalho interessante de capacitação e motivação profissional, logística, CRM e envolvimento com a comunidade que aumentou o faturamento da loja em 350% em 18 meses. Só não aumentou mais porque o espaço físico ficou limitado e ele não consegue expor toda a variedade de produtos que deseja. Curiosamente, ambos supermercados são do mesmo dono.

Essa eu esqueço de comentar toda semana: cê viu que a União reeditou o livro de receitas e colocou à venda no catálogo da Avon? Com dois códigos de barras de produtos diferentes sai por dérreal [nove e noventa e nove, na verdade], mas dá pra comprar sem os códigos de barra – daí sai por R$16,00. Dona mãe tinha um, acho que se perdeu numa das mudanças…

Oh, e eu contei que finalmente ganhei a caixa Agatha Christie da Avon de natal? 🙂 Água mole em pedra dura.

Outdoor desenhado a mão em Dubai [agência: Leo Burnett]

Continuar lendo