Desafio de Férias 2010/2011 | The Viscount Who Loved Me

Capa britânica

Tão logo terminei de ler The Duke and I já corri providenciar o segundo livro da série Bridgerton Family. Desta vez a autora Julia Quinn dedica-se ao primogênito da família, o Visconde Anthony Bridgerton. Anthony é o melhor amigo do Duque de Hastings, seu companheiro de farras da juventude em jogos, bebedeiras e mulheres. É um libertino – mais do que isso, é O Libertino em sua essência, de acordo com a colunista de fofocas da sociedade londrina Lady Whistledown. Ela afirma em uma de suas colunas que as Ambiciosas Mamães casamenteiras devem desistir da ideia de que o Visconde de Bridgerton seja o Bom Partido do Ano, agora que o Duque de Hastings encontra-se casado [com a irmã do Visconde, não menos]: segundo a opinião de Lady Whistledown, não será dessa vez que Anthony Bridgerton cairá nas armadilhas do matrimônio.

Lady Whistledown costuma acertar sua previsões com bastante frequência, mas o que ela não sabe é que Anthony decidiu assentar-se agora que está perto do trinta anos e providenciar um herdeiro para o título. Isso, é claro, demanda a existência de uma esposa adequada: adequadamente bem-nascida, adequadamente atraente, adequadamente inteligente e, o mais importante, alguém por que ele não corra o menor risco de se apaixonar.

Na verdade Anthony já escolheu uma noiva: Edwina Sheffield, a mais nova das irmãs Sheffield. De família empobrecida, ela e Katharine debutam juntas em Londres para economizar e a beleza e as maneiras graciosa de Edwina a elegem A Incomparável do Ano. Para além disso, ela tem um temperamento ameno e gentil, incapaz de malícia.

Continuar lendo