Desafio de Férias 2010/2011 | Abrangência

Sinopse
Em Abrangência, Marcelo Batalha é, como sua persona internética, impregnado de sensibilidade, sinceridade e sentimentos que passeiam pela afetividade, pelo erotismo, pela paternidade e pela perplexidade humana diante das infelicidades comezinhas. [Carla Cíntia Conteiro]

Capa

Comentar um livro de poesias é complicado para mim porque se trata de uma obra mais emocional do que racional. Como atribuir valor num caso desses? Como medir a qualidade? Estava a me debater com essas questões quando a resposta bateu na minha cara: ora, justamente pelo impacto emocional.

Marcelo Batalha, o autor, é conhecido há mais de uma década na Internet – e não estou querendo dizer que eu o conheça há mais de uma década na Internet*, e sim que você ou um amigo seu conheça no mínimo um texto de autoria dele: provavelmente esse texto seja “Amigo, Um Ensaio”, que começou a correr os emails em 1996.

Difícil querer definir amigo. Amigo é quem te dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que você precisa, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.

Em 2010 ele reuniu parte dos poemas que compôs e lançou Abrangência, um livro publicado de forma independente. O título é extremamente feliz porque não é apenas o título de um de seus poemas mas, principalmente, é o contexto do conjunto de poesias: algumas são a voz do homem, outras do pai, do amante, do artista, etc.

O livro está à venda via contato por email diretamente com o autor [batalha.m.rj at gmail.com], o que garante ao leitor que receberá um exemplar autografado igual ao meu. :) E que venha o volume 2!

* Embora eu realmente o conheça há mais de uma década na Internet.

Página pessoal do autor

http://marcelobatalha.wordpress.com/


Nota: 4

(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Este post faz parte da blogagem coletiva Desafio de Férias 2010/2011 [v. post].

Desafio de Férias 2010/2011

Ficha bibliográfica
Título: Abrangência
Autor: Marcelo Batalha
País: Brasil
Ano: 2010
Páginas: 100

Miss Universo 2011 no Brasil

Donald Trump, Ximena Navarrete e João Carlos Saad

O Brasil será o país anfitrião da 60ª edição do concurso Miss Universe, a ser realizado no dia 12 de setembro no Credicard Hall em São Paulo. O anúncio oficial foi feito pelo dono dos direitos do concurso, o empresário norte-americano Donald Trump [v. vídeo no final do post].

A organização ficará a cargo da Band, emissora de TV que tem os direitos de transmissão. O evento é transmitido para 200 países. Vinte e dois países já selecionaram suas representantes [v. lista]. A data do concurso Miss Brasil 2011 ainda não foi definida porque os concursos estaduais estão em andamento, mas a previsão é de que a candidata brasileira seja escolhida entre maio e agosto.

Esta é a primeira vez que o país sedia o Miss Universo.

“O Brasil está se transformando rapidamente numa economia poderosa e é um ótimo lugar para negócios. Nessa década, o Brasil será sede dos três maiores e mais vistos eventos do mundo: a Copa do Mundo, as Olimpíadas e agora o Miss Universo”, disse Trump.

As mais de oitenta candidatas ao título devem permanecer no país por cerca de um mês, realizando atividades ligadas ao concurso, como ensaios e participação em eventos sociais. [Folha 18/12/2010]

Anúncio de Donald Trump


Link http://www.youtube.com/watch?v=Ixox0WE_vmw

Site oficial Miss Universe http://www.missuniverse.com/

Site oficial Miss Brasil http://missbrasiloficial.uol.com.br/

Domingueiras

O 12º Doutor: Nunca é cedo demais para o teste de elenco, não é?

Imagem: ROFLRazzi

Sobrinho curioso com a bolsa que ganhei poucas horas antes me questiona: “Tia, por que a sua bolsa tá vazia? Você tem que encher de coisas!” Coisas, assim, no plural.

Para ele, o Venom é o “Homem-Alanha que morde”.

O maior super da cidade fez uma reforma nas instalações físicas que quase duplicou o espaço disponível e trocou quase todos os funcionários por “jovens bem-apessoados” trazidos de Marília: bonitos, sim, mas antipáticos e descorteses, que nunca sabem responder às dúvidas e sequer saem do caminho dos clientes, obrigando-os a desviar com o  carrinho. E o espaço foi tomado por marcas de segunda ou terceira linha, frutas e hortaliças podres, carnes cheias de nervo e sebo, sem contar a inexistência de produtos novos.

Com isso, um outro super investiu num novo gerente que realizou um trabalho interessante de capacitação e motivação profissional, logística, CRM e envolvimento com a comunidade que aumentou o faturamento da loja em 350% em 18 meses. Só não aumentou mais porque o espaço físico ficou limitado e ele não consegue expor toda a variedade de produtos que deseja. Curiosamente, ambos supermercados são do mesmo dono.

Essa eu esqueço de comentar toda semana: cê viu que a União reeditou o livro de receitas e colocou à venda no catálogo da Avon? Com dois códigos de barras de produtos diferentes sai por dérreal [nove e noventa e nove, na verdade], mas dá pra comprar sem os códigos de barra – daí sai por R$16,00. Dona mãe tinha um, acho que se perdeu numa das mudanças…

Oh, e eu contei que finalmente ganhei a caixa Agatha Christie da Avon de natal? :) Água mole em pedra dura.

Outdoor desenhado a mão em Dubai [agência: Leo Burnett]

Continuar lendo

Heathcliff 2011

James Howson

Graças a um comentário de Aibell [brigadê!] fiquei sabendo que o próximo Heathcliff não será aquele ator de Gossip Girl. Ufa,hein? O escolhido da diretora Andrea Arnold é o iniciante James Howson, o primeiro ator negro a interpretar o nosso atormentado favorito.

The casting is in line with Brontë’s conception of the character – “lascar” is a 19th-century term for sailors from India. Arnold reportedly sought out actors from the Romany community for the role but was unable to find an appropriate candidate. Producers also held open auditions and even walked the streets of Leeds looking for their Heathcliff. In the novel, the character is found abandoned as a baby at the slave port of Liverpool by Mr Earnshaw, who adopts him, so his ethnicity is uncertain. [The Guardian, 23/11/2010]

A maior parte do elenco, aliás, é desconhecida e/ou inexperiente. A roteirista tem poucos trabalhos [o mais conhecido é Moça Com Brinco de Pérola], assim como a própria diretora. A mais experiente e conhecida é a atriz que interpreta Cathy, Kaya Scodelario [Skins, Fúria de Titãs]. Tenho a impressão que será interessante.

No iMDB.

Adicionei vídeos de diversas versões para cinema e TV neste post, acho que só faltaram as de 1920, 1948 e 1962. Alguns são trailers, outros são trechos curtos e alguns são fanvids, cenas do filme com a música da Kate Bush por cima.

Versão de 1939 com Laurence Olivier


Link http://www.youtube.com/watch?v=Ob_WMxEhSHs

Abismos de Pasión, adaptação mexicana de 1954 [do espanhol Buñuel] com Jorge Mstral
Continuar lendo

Desafio de Férias 2010/2011 | Nanny Ogg’s Cookbook

INCLUDING RECIPES, ITEMS of Antiquarian Lore, Improving Observations of Life, Good Advice for Young People on the Threshold of the Adventure That is Marriage, Notes on Etiquette & Many Other Helpful Observations that will Not Offend the Most Delicate Sensibilities.

Capa

Pense numa pessoa que chegou a ficar com soluço de tanto rir ao ler um livro. Mais ainda, um livro de receitas!

Agora pense numa pessoa inchada de orgulho ao perceber que tenta descrever receitas no mesmo estilo da Tia Ogg de Terry Pratchett e você chegará à mesma pessoa: Titia Batata.

Gytha Ogg é uma das bruxas de Lancre, reino localizado nas montanhas Ramtops no Discworld. Ela representa a face da Mãe* no coven que inclui Esmerelda Weatherwax e Magrat Garlick – se bem que Magrat Spoiler –> tirou um sabático pra ser rainha <– Fim do spoiler. Este livro foi escrito depois dos eventos de Lords and Ladies. Na verdade, Nanny Ogg’s Cookbook é posterior a Maskerade, que inda não li.

* Além de Mãe, Tia Ogg também é Sogra. ;)

O livro reúne algumas receitas mencionadas nos livros regulares da série Discworld, como a sopa primordial [A Cor da Magia], o molho Wow-Wow [O Senhor da Foice], o gumbo clarividente da Senhora Gogol [Quando as Bruxas Viajam], o pão com água de Lord Vetinari [Guardas! Guardas!] e receitas que não foram mencionadas, como as da Sargento Angua, de Lady Sybill Vimes [kedgeree, que aproveitarei numa próxima coluna do TeleSéries], etc., comentadas por Tia Ogg.

Todas são exequíveis e comestíveis, graças ao trabalho dos editores. Eles retiraram os ingredientes potencialmente perigosos [baiacu, arsênico, sapo desidratado], afinal não é boa propaganda se as pessoas começam a morrer depois de provar suas receitas. Além disso, pessoas mortas não costumam comprar mais livros.

Continuar lendo