#RW2011 Um brinde [ou dois]

Publicado originalmente no TeleSéries.

Este é um post companion à review de Tati Leite para o episódio Earthquake [S02E03] de Modernn Family.

Mitchell: Não consigo acreditar que já saiu com ele.
Cameron: Foi um encontro. Eram os anos 90, tínhamos acabado de perder a Princesa Diana. Eu estava à deriva!

Oh, eu entendo o que você quer dizer, Cam. Nós meio que somos órfãos da Princesa Diana, mesmo que ela não fosse tecnicamente mais princesa na época em que morreu. Lembro do dia em que ela se casou, a cerimônia transmitida pela TV, os nascimentos dos filhos, os problemas e, por fim, a musiquinha do plantão do Jornal Nacional…

*Enxuga uma lagriminha.*

Mas anime-se, em breve um dos meninos dela estará se casando! [No dia do meu aniversário, inda por cima.]  Com alguma sorte ainda veremos William ser coroado rei! Essas ocasiões podem servir de desculpa para outras escorregadas sentimentais, não?

Falando sério, adorei ver a participação especial de Nathan Lane nesse episódio porque adoro a dinâmica Gaiola das Loucas entre Cameron e Mitchell – e Nathan Lane participou do remake norte-americano deste filme interpretando justamente o equivalente do Cam no casal, contracenando com Robin Williams.

Cameron: Não precisava deixar a sua festa para ver como estávamos. A propósito, linda fantasia.
Pepper: Esta não é a minha fantasia, só vesti isso pra ajudar vocês a limpar a casa.
Cameron: Bem, sobre a sua festa…
Pepper: Não se preocupe por não ir. Pelo menos vocês têm uma desculpa, ao contrário de Stephen e Stefan. Disseram que estavam gripados, mas acabei de vê-los andando de bicicleta.
Mitchell: Oh, Pepper, isso é horrível. Vou te preparar uma bebida.
Pepper: Querido, não quero dar trabalho. Quero apenas um Kir Royal.

Pepper é uma pessoa que tem muita consideração pelos outros: o Kir Royal é uma bebida muito simples de preparar, desde que se tenha os ingredientes certos. O nome Kir deve-se a Félix Kir, padre, herói da Resistence francesa na Segunda Guerra Mundial, prefeito de Dijon e grande bebedor.

Alguns dizem que ele inventou o drinque para alavancar a venda do vinho branco produzido na região, outros dizem que ele misturou licor de cassis ao vinho que era muito ácido. Em defesa desta última teoria está o fato de que a proporção original é de 1 parte de licor doce para 2 de vinho.

O Kir Royal é preparado com champanhe no lugar do vinho e a proporção moderna varia entre 1:5 e 1:10. A fruta cassis [groselha] é rica em vitamina C, que previne a gripe e é antioxidante. Félix Kir viveu mais de noventa anos.

A receita – Kir Royal

Ingredientes
15 a 30 ml de Licor de Cassis
150 ml de champanhe ou outro vinho espumante, gelado
1 cereja em calda [opcional]

Modo de preparo
Numa taça tipo flûte coloque o Licor de Cassis e depois despeje o champanhe por cima – este é um caso em que a ordem dos fatores altera o resultado. Densidades diferentes, coisa e tal, se despejar o licor por último ele assenta no fundo do copo ao invés de se diluir no espumante. Acrescente a cereja.

Pepper: Meu Deus, se eles não queriam ir à minha festa era só dizer. Eu sou adulto, posso aguentar.
Cameron: Bom, já que mencionou, Pepper… Nós também não queríamos ir à sua festa.
Pepper: O que??
Cameron: Você sabe que amamos você, mas elas estão dando tanto trabalho com o passar dos anos e…
Mitchell: Estamos sem licor de cassis.
Pepper: Não consigo suportar isto!
Mitchell: Vou preparar um Bellini.

Esta foi a consciência pesada de Mitchell falando. Um Bellini preparado corretamente é mais trabalhoso do que um Kir Royal. O Bellini foi inventado por Giuseppe Cipriani, dono do Harry’s Bar em Veneza, na Itália, provavelmente nos anos 1930. O nome é uma homenagem ao pintor renascentista italiano Giovanni Bellini, porque a cor da bebida lembra a cor da toga usada pelo personagem de um de seus quadros.

A receita – Bellini

Ingredientes
3 pêssegos frescos maduros
100 ml de Prosecco ou outro espumante, gelado

Modo de preparo
Coloque os pêssegos e uma taça tipo flûte no congelador por pelo menos meia hora. Descasque e descaroce os pêssegos e bata no liquidificador. Coloque esse puré na taça, adicione o Prosecco e misture delicadamente.

A empresa Harry’s Bar vende a base de pêssego pronta, mas na falta dele e das frutas pode-se usar suco industrializado [aquele tipo néctar, mais espesso].

Titia Batata Adverte

Pensei em abrir mão deste aviso porque, com o preço dos espumantes nas alturas, não dá pra encher a cara de Kir Royal ou Bellini. Porém, consciência é consciência: se beber, não dirija.

6 comentários sobre “#RW2011 Um brinde [ou dois]

  1. Da coluna de Ancelmo Gois, O Globo, ontem [25.04.2011]:

    “Kate Middleton, a noiva do príncipe William, além de gostar e usar roupas da estilista brasileira Daniela Helayel, adora sucos dos trópicos. A futura rainha da Inglaterra é vidrada no suco de… maracujá. Eu também!”

    [O “Eu também” é por conta do colunista]

  2. Pingback: Casamento Real: Coberturas de todo tipo « Televisão é Magia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s