Domingueiras

E então o que? O que aconteceu a seguir? Por que você parou a leitura?

Imagem: I can has cheezburger

Anturdia estava brincando de Póua Rangers com sobrinho [eu sempre sou o vilão, ele que escolhe] e numa hora falei “socorro, socorro!”. Dona mãe depois contou que Tutu saiu correndo pra me defender, mas voltou quando viu que era de mentirinha.

Miss SP: tava torcendo pela Piracicaba mas ela perdeu na fase das perguntas. Não gostei da resposta da Marília, só que ela demonstrou autoconfiança e convicção, e isso é o que conta. No mais, cadê a tal da diversidade da mulher paulista, tão proclamada pelo repórter? Tinha uma negra, meia dúzia de louras e as demais pareciam clones da mesma matriz.

Fiquei boquiabrida: uma editora brasileira usou o retrato de Charlotte Brontë na capa de Razão e Sensibilidade de Jane Austen.

Confesse sua culpa em prazeres de leitura.
Histórias de detetive ou mistério, especialmente da Era de Ouro – Christie, Sayers, Allingham e Marsh. Embora, se eu for sincera, não me sinto culpada por lê-los. Ler revistas inúteis me faz sentir mais vergonha de mim mesma. [J.K. Rowling via Potterish]

Uma ideia simples e genial, daquelas que a gente bate a mão na testa e se pergunta “por que eu não pensei nisso antes?”: use um pacote de feijão para manter o livro aberto [blog da Cia das Letras]. Dica útil para leitores compulsivos, que leem em todo lugar.

Um post útil  da Cris no Rato de Biblioteca explica como doar as notas e cupons fiscais para entidades de assistência social e saúde pelo programa Nota Fiscal Paulista, muito legal.

Duas versões para a suposta carta que George W Bush teria escrito para Barack Obama na transição de poder: segundo o Frank [Ideia Fix] e segundo Henderson [Depokafé]. Qual você acha que é a real? 😉

Se você se emocionou com os aposentados japoneses que se voluntariaram para a limpeza de Fukushima, reforce seu estoque de lenços para ler a história dos três herois de Chernobyl [Ceticismo Aberto].

Continuar lendo