Lista de desejos | Agatha Christie’s Murder in the Making – Stories and Secrets from her Archives

Capa

Na sequência de Agatha Christie’s Secret Notebooks, o arquivista e especialista na obra de Christie John Curran conduz o leitor através das seis décadas da carreira de Agatha como escritora, revelando algumas pistas extraordinárias para o seu sucesso e alguns trechos dos seus arquivos e contos nunca publicados antes.

Iniciando suas investigações pelos anos 1920, John Curran examina os costumes convencionais dos romances de detetive como eram na época e revela como o editor de Agatha Christie a convenceu a alterar o final do seu primeiro livro, O Misterioso Caso de Styles, uma ação que quase certamente mudou os destinos não apenas da carreira dela mas também do futuro da ficção policial. Pela primeira vez, este livro publica o final original de Agatha, dolorosamente transcrito do rascunho escrito à mão em um de seus cadernos de notas mais antigos.

Assim como revela mais de uma dúzia de ideias de livros não publicados, Agatha Christie’s Murder in the Making contém dois contos nunca vistos dos seus arquivos – The Man Who Knew e um rascunho inicial de Miss Marple, The Case of the Caretaker’s Wife.

[Tradução livre de post no site oficial.]

Os livros serão a minha ruína financeira.

Post relacionado
Desafio Literário | Agatha Christie’s Secret Notebooks: Fifty Years of Mysteries in the Making

Palestra | Mario Sergio Cortella: Não nascemos prontos

Compartilhando minha nova fixação, vídeos de palestras e entrevistas do filósofo e professor Mario Sergio Cortella [PUC-SP], provocada pela Ana Peluso ao divulgar o vídeo “Você sabe com quem está falando?” [Youtube] no FB. Eu reconhecia o nome no mundo das palestras corporativas e de gestão, mas não conhecia as ideias dele sobre ética e educação.  Agora quero ler os livros do cara.

Pela re-pamonhalização da vida!

Mario Sergio Cortella – Não nascemos prontos parte 1/4 [construir uma personalidade ética]


Link http://www.youtube.com/watch?v=89BMhivvRFE

Continue lendo

Desafio Literário | The Importance of Being Earnest

Sinopse
O humor caracteristicamente britânico está presente do início ao fim da peça: a frivolidade dos personagens aparece em cada quadro, em cada cena, em cada ato. A peça destaca-se por sua leveza e crítica sutil da sociedade inglesa do século passado.

Frances O'Connor, Colin Firth, Rupert Everett, Reese Witherspoon

ALGERNON. The truth is rarely pure and never simple. Modern life would be very tedious if it were either, and modern literature a complete impossibility!

Já que comecei o DL do mês dos namorados falando de uma paixonite, prossigo com o tema e desta vez apresento duas paixonites que motivaram a leitura da peça teatral The Importance of Being Earnest, de Oscar Wilde: Colin Firth e Rupert Everett. O filme adaptado em 2002 não chega a figurar na minha lista de Top Favoritos Foréva, mas mesmo assim eu tenho em DVD [com o péssimo título nacional Armadilhas do Coração]. Vi o filme, agora é hora de ler o livro.

A peça é uma comédia naquele estilo inglês falsamente sério e empolado e que ri de si mesmo e da reação que provoca nos outros com a cara mais limpa do mundo enquanto profere as coisas mais nonsense. Ao contrário do que o filme de 2002 faz imaginar, seus personagens principais não são Jack e Gwendolen, e sim o almofadinha Algernon e Titia Lady Bracknell: ambos têm as falas mais absurdas e engraçadas.

John Worthing é um abastado e respeitável proprietário de terras no interior, guardião da jovem Cecily Cardew; Algernon Moncrieff passa os dias indolentemente pensando em novas formas de tirar Tia Augusta e a sociedade londrina do sério. Contra todas as expectativas, ambos são bons amigos – mas não sabem disso porque Algy pensa que conhece Ernest, um camarada que está a cortejar sua prima Gwendolen, e não Jack Worthing.

ALGERNON. Yes, but you must be serious about it. I hate people who are not serious about meals. It is so shallow of them.

Continue lendo

Real Genius / Academia de Gênios

Capa do VHS (!!)

Este post é dedicado à Luciana Pimentel, a.k.a. Loulou Brega.

Muito antes da série The Big Bang Theory ser gerada eu já era fã desse cRássico da Sessão da Tarde e dos filmes nerds, lançado em 1985 – essa data é importante para se ter em mente quando [ou se] for assistir por causa da tecnologia que, se hoje é vintage, na época era topo de tecnologia. Estamos falando de mais de um quarto de século arás!

Foi com esse filme que desenvolvi uma paixonite pelo ator Val Kilmer [de novo, lembre-se que isso aconteceu mais de 25 anos atrás!].

A trama baseia-se livremente em casos reais ocorridos na CalTech e, embora concentre-se no humor, trata de uma questão moral quando o personagem de Jon Gries [Lazlo Hollyfeld] aparece: até que ponto o cientista é responsável pelo uso das suas descobertas?

O jovem Mitch Taylor entra para a faculdade aos 15 anos, levado para a equipe do Dr. Hathaway. [Não, apesar de parecer muito, o ator que faz o Mitch não é a Sarah Jessica Parker disfarçada.] Ele divide o quarto com o veterano Chris Knight [Kilmer], que tenta ajudá-lo a desenvolver suas habilidades pessoais porque vê no adolescente uma versão do pária que ele mesmo foi um dia. Sob a tutoria de Chris, Mitch descuida do projeto do Professor Hathaway, um laser químico potente e estável.

A concorrência e as sabotagens de um colega invejoso, junto com a ajuda do grupo de amigos gênios, fazem Mitch e Chris conseguirem sucesso, mas a comemoração logo vira um plano de vingança. O filme traz uma mensagem – se não pacifista – no mínimo de responsabilidade moral e ética. Ou, como os personagens principais mencionam em momentos diferentes, do imperativo moral.

Um filme para adolescentes que cita Kant, tá bom ou quer mais?

Real Genius – trailer

Continue lendo

Domingueiras

Infográfico Doctor Who

Imagem: I can has cheezburger

Série especial sobre sustentabilidade na TV Tem, você viu?

I have diabetes and 2 years ago I inherited my mom’s cat, Coco, when she died. A few weeks ago, Coco woke me up in the middle of the night yowling VERY pathetically. When I awoke, he started pushing my blood glucose meter around on my bedside table. I figured he wanted me to test, so I did. My level was down to 54. Normal, according to my doctor, is between 70 and 120. My doctor told me that had Coco not awakened me, I may never have awakened at all! Having my cat save my life MMD!

Na Copa anterior algumas meninas lançaram uma tag no Twitter pedindo a volta dos uniformes justinhos dos anos 80, animadas com as camisas da Puma. Agora a Adidas põe a sua versão nos campos – quem sabe até eu volte a acompanhar? ;)

Artigo 42 da Lei das Contravenções Penais:

“Perturbar (…) o trabalho ou o sossego alheios:
I – com gritaria ou algazarra;
II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda”

Continue lendo

A defesa do castelo

Uma tampa de caixa da avó faz a fundação do castelo. Uma lata de chá e um cubo mágico meus são a torre de vigia, e o guarda é uma tartaruga ninja de cera, brinde de Kinder Ovo. Na cozinha do castelo tem um ovo e uma espiga de milho de plástico, sobreviventes de um joguinho da irmã mais velha, e uma boneca vestida de baiana sobre uma plataforma de madeira onde se lê “Lembrança de Salvador/BA”. As paredes do castelo são erguidas com blocos de encaixar coloridos. A carruagem é um caminhãozinho de madeira e tem um Póua Rangers de motorista. Ele ajuda a lutar contra o vilão, um ursinho de pelúcia, e a proteger a princesa – um aerador de água de plástico cor-de-rosa do Japão.

Eu tenho uma certa bronca contra brinquedos que já vêm prontos e roteirizados.

Regular Ordinary Swedish Meal Time | Cozinhando à moda viking

Swedish Chef, Vila Sésamo (Muppets)

Um grupo de amigos, colegas de universidade na Suécia, encontra-se de bobeira um dia no apartamento de um deles. Bate a fome. Alguém sugere espaguete a bolonhesa. Outro liga a câmera. Em 6 de janeiro de 2011 surge o primeiro vídeo do ROSMT, o Spaghetti Explosion.

Com trilha sonora épica e uma atitude, errr… macha, os caras se inspiraram no canadense Epic Meal Time para criar essa série culinária. Só não me pergunte quem limpa a bagunça depois. ;)

Eles têm um canal no Youtube, no iTunes, no Android Market, perfis no Facebook e no Twitter.

Inseri só três vídeos no post [são mais de vinte]; nenhum tem legenda, mas eles falam um Swenglish que dá pra entender quase tudo. Dá pra entender melhor que o Swedish Chef, pelo menos!

Regular Ordinary Swedish Meal Time – Spaghetti Explosion

Continue lendo

Desafio Literário | Grandes Esperanças

Sinopse
A vida de Pip, órfão criado pela irmã num ambiente de pobreza, é radicalmente alterada quando um misterioso benfeitor lhe doa uma fortuna. Sua mudança para Londres, o esforço para tornar-se um cavalheiro, as grandes esperanças e certos dilemas morais tornam este romance de Dickens leitura inesquecível.

Capa

Este post está um pouquinho atrasado: era pra sair em março dentro do tema Romance Épico do DL mas, graças a Zeus e Thor, só agora tive ânimo pra sentar e escrevê-lo.

Grandes Esperanças conta a história de Philip Pirrip, ou simplesmente Pip, desde que ele tinha seis anos e cometeu seu primeiro crime: ajudar um fugitivo a escapar dos guardas nas charnecas. Pip é órfão e vive na casa da irmã mais velha, casada com o ferreiro do vilarejo. São pobres, mas não miseráveis – porém, o que aflige Pip e seu cunhado e único amigo Joe Gargery é a truculência com que são tratados pela Sra. Joe, que inferniza a vida de todos que a cercam.

Por intermédio de um tio, Pip consegue emprego na mansão na Srta. Havisham como garoto de companhia; lá, conhece Estella, filha adotiva da Srta. Havisham, o advogado Mr. Jaggers, Herbert Pocket e outros parentes da velha senhora. Ela o dispensa quando ele entra na puberdade. Logo após Pip deixar os serviços da Srta. Havisham, Mr. Jaggers o informa que um benfeitor anônimo financiará sua educação em Londres para torná-lo um cavalheiro e que este benfeitor deixará sua fortuna para Pip, que passa a contar então com grandes esperanças ou expectativas.

Esta é a primeira das três partes do livro narrado pelo próprio Pip. O leitor acompanha o processo de descoberta do mundo e as dúvidas inerentes junto com o protagonista, a sua ascenção social, degeneração e redenção – porque, se Charles Dickens é um dos maiores escritores de todos os tempos, certamente é o maior da Era Vitoriana, época em que a rigidez moral fazia moda.

Continue lendo