Jane Eyre [1997]

Ciarán Hinds e Samantha Morton - Jane Eyre 1997

Eu sou paixonada pelo ator irlandês Ciarán Hinds desde a série Roma, quando ele interpretou o imperador Júlio César. Há tempos estava ansiosa para ver essa versão de Jane Eyre em que ele dá vida a Edward Rochester ao lado de Samantha Morton [Minority Report]. Assim como aconteceu na versão 2011, Hinds e Morton tinham idades compatíveis com as de seus personagens literários na época do lançamento do filme [44 e 19, respectivamente].

O filme feito para TV estreou no canal A&E nos EUA apenas um ano depois da versão feita para o cinema dirigido por Franco Zefirelli [aquele com William Hurt e Charlotte Gainsbourg]. Com apenas 108 minutos de duração, o roteiro corta muitas passagens do livro que nem são mencionadas e toma outras liberdades.

A partir deste ponto há spoilers

A cena do banquinho

Apesar de curta, a passagem de Jane por Gateshead e seu relacionamento hostil com Mrs. Reed é bem retratada. O material que não coube em filmagem é mencionado na narração em primeira pessoa, um artifício usado no livro e que não costuma se repetir muito em outras adaptações. Já a passagem por Lowood soou um pouco perfunctória [uia!], uma formalidade.

Não gerou indignação pelas condições insalubres da escola, embora tenham sido mostradas; não criou empatia pela Jane criança sofrendo a crueldade de Mr. Brocklehurst – aliás, esse foi provavelmente o Brocklehurst mais fraco dos que vi até agora. Ele enfraqueceu até a menção feita mais à frente quando Mr. Rochester pergunta sobre as credenciais de Jane.

Mr. Rochester, Miss Ingram, Jane Eyre

Ciarán Hinds criou um Rochester bem singular. Conforme ele mesmo declarou numa entrevista à época das filmagens, o ator não tem certeza se deve sentir-se honrado quando é convidado para o papel de um heroi literário tão conhecido quanto este “because he’s quite a complex character as well apart from that and somewhere inside his psyche his soul has been deeply hurt, but it manifests itself in different ways, like moodiness and different mood swings”, identificando-o como um inglês arrogante e chauvinista.

[Parêntese: Dois anos antes, Hinds interpretou outro desses “herois literário bem conhecidos”, o Capitão Wentworth de Persuasão, adaptado de Jane Austen.]

Para começar, o Rochester de Hinds gosta de Adèle, trata-a com um carinho brincalhão e fala com ela em francês [nós sabemos que o personagem fala bem o francês, ele morou um tempo em Paris, tinha uma amante francesa]. Ele é também o mais bruto e mal-educado das encarnações de Rochester, o que eu acho mais válido do que alguns Rochesters taciturnos e melancólicos – ainda mais porque ele ainda tem senso de humor, daquele humor seco e inteligente e não involuntário.

St. John Rivers (Rupert Penry-Jones)

Samantha Morton era ainda bem jovem quando ganhou o papel de Jane Eyre. Não estou bem certa se eu gostei da interpretação dela porque em alguns momentos achei que Jane estava forçando sua posição ao insistir diversas vezes para que Mr.Rochester dispensasse Grace Poole, mas aí fico matutando se não seria um problema mais do roteiro do que da atriz. De modo geral, a impressão que ficou é que Morton fez uma Jane fofa.

Agora, um diferencial desta versão é a participação de Gemma Jones [O diário de Bridget Jones] no papel de Mrs. Fairfax. Na maioria das adaptações a personagem fica perdida e a audiência, em dúvida: ela sabia da existência de Bertha? Por que ela temia o casamento de Jane e Edward? Nesta versão, essas dúvidas têm respostas.

Por outro lado, a personificação de St. John não faz muito sentido: a seu modo, St. John e Mr. Brocklehurst representam a mesma crueldade cristã. A única diferença é que Mr. Brrocklehurst é um fariseu e St. John acredita no que diz – e isso é o que o torna mais terrível do que Mr. Brocklehurst. Nesta versão essa face é substituída por um homem bonito e piedoso que Jane rejeita de forma egoísta. Não me admira que existam pessoas que torçam para que fiquem juntos!

Jane, Mr. Rochester e filhos

[Parêntese 2: Rupert Penry-Jones e Ciarán Hinds interpretaram o mesmo Capitão Wentworth em duas versões diferentes de Persuasão, de Jane Austen, em 2007 e em 1995. Gemma Jones e Samantha Morton também contam com papeis austeneanos em seus currículos.]

O roteiro tem algumas falhas como utilizar uma linguagem mais simples e moderna nos diálogos, eliminar a sutileza e adotar uma textualidade didática, privilegiar o romance e descartar as questões sociais e religiosas do texto. Com isso em mãos, o trabalho dos atores até que foi bom.

Não acho que chega a ser um filme indispensável [a não ser que seja muito fã de algum dos atores ou esteja numa fase de assistir ao máximo de versões de Jane Eyre que conseguir].😉

No iMDB

Jane Eyre (1997)_ Farewell and return of Jane


Link http://www.youtube.com/watch?v=G7ETDm4WdEk

Título: Jane Eyre
Título original: Jane Eyre
• Direção: Robert Young
• Roteiro: Charlotte Brontë (romance), Richard Hawley, Kay Mellor, Peter Wright (roteiro)
• Gênero: Drama/Romance
• Origem: Inglaterra
* Ano: 1997
• Duração: 1h48min

Elenco
Deborah Findlay … Mrs. Reed
Laura Harling … Young Jane
Joanna Scanlan … Bessie
Ben Sowden … John Reed
Barbara Keogh … Miss Abbot
David Gant … Mr. Brocklehurst
Emily Joyce … Miss Temple
Gemma Eglinton … Helen Burns
Ruth Mitchell … Miss Scatchered
Dominique Belcourt … Anna
Samantha Morton … Jane Eyre
Gemma Jones … Mrs. Fairfax
Timia Berthome … Adele (as Timia Berthomé)
Hermione Gulliford … Sophie
Ciarán Hinds … Edward Rochester (as Ciaran Hinds)
Abigail Cruttenden … Blanche Ingram
Richenda Carey … Lady Ingram
Richard Hawley … Richard Mason
Val McLane … Grace Poole
Kay Mellor … Mrs. Cooper
Sophie Reissner … Bertha Rochester
Peter Wight … Clergyman
Rupert Penry-Jones … St John Rivers
Elizabeth Garvie … Diana Rivers

Posts relacionados
Jane Eyre [1983]
Jane Eyre [1970]
Jane Eyre [2011]
Uma nova Jane Eyre
10 livros em 10 dias | Livro que gostei mais
Heathcliff e Edward Rochester
Os 10 herois românticos da literatura
Jane Eyre – série [2006]
Top Letrinha Fazível – Mr. Rochester

8 comentários sobre “Jane Eyre [1997]

  1. esse ainda não vi, só uma cena no YouTube. Sua resenha ficou ótima, uma boa análise do filme. Aliás, o Ciarán está quase irreconhecível como Aberforth, sabe que achei que era o próprio Michael Gambon fazendo o papel do irmão?

    Mas que maratona de Jane Eyre, não?🙂

  2. Pingback: Jane Eyre [1949] « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

  3. Pingback: Jane Eyre [1934] « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s