It’s fun to stay at the…

Y M C A!

Imagem: HSX

[Outra imagem com a mesma temática “blasfema” no Flickr de Vincent J. Brown]

YMCA é a sigla de Young Men’s Christian Association [Associação Cristã de Moços, no Brasil], uma organização sem fins lucrativos que teve origem em 1844 na Inglaterra, espalhou-se pelo mundo e atualmente tem sede na Suíça. Seu objetivo é oferecer entretenimento e atividades físicas para ocupar o tempo dos jovens, baseado na crença de que a ociosidade é a mãe de todos os males.

Foram membros da YMCA que inventaram esportes como o basquete, o vôlei e o futsal, que se podia praticar nos pequenos salões fechados da Associação. As instalações também costumam contar com uma piscina e, até os anos 1970, era proibido entrar na água vestindo qualquer peça de roupa. Como dizia o Bronco da Família Trapo, o cara nadava peladão, peladão, peladão. Isso só mudou quando as mulheres passaram a se admitidas.

O grupo musical Village People surgiu em 1977, oriundo da cena gay norte-americana. Seus membros apresentavam-se fantasiados de ícones do estereótipo gay [o policial, o motoqueiro, o pedreiro, o índio, o cowboy, o soldado] e suas canções dançantes ficaram famosas pelas letras de duplo sentido, como é o caso de [It’s fun to stay at the] YMCA, de 1978.

A canção é considerada um dos hinos gays e continua popular até hoje. O sistema de som dos estádios nos EUA costuma tocá-la nos intervalos porque os espectadores, ao fazer a coreografia que forma as letras [foto acima], aproveita para alongar os músculos [estamos falando de um país cujos esportes populares têm jogos que duram 3, 4 ou 5 horas]. Em 2008 o Guinness registrou o recorde de “mais pessoas na coreografia de YMCA” obtido durante o Sun Bowl, mais de 40mil pessoas comandadas pelo próprio Village People.

Tudo isso sem contar as centenas de paródias, referências na cultura pop, imitações… 😉

Letra e tradução

Village People – YMCA 1978

Continuar lendo

Domingueiras

Suas intenções são boas e aprecio seu zelo missionário, mas não tenho interesse no seu dogma.

Imagem: I can has cheezburger

Sobrinho ajuda Titia Batata na dieta e come as duas trufas guardadas para emergência de TPM… 😆 É bom porque, quando a pessoa que me deu os chocolates voltar, vai repetir ‘puxa, você emagreceu!”

O Marcus agora publica o Saturday Personal Log no Canoa Furada, boralá?

Um post muito legal de Carol Bensimon no blog da Cia das Letras questiona eventos de decoração [como a Casa Cor] que apresentam ambientes hostis para quem lê livros. É pra se pensar.

[A propósito, eu curto muito esse blog da Cia, os posts são interessantes e não se resumem a divulgar lançamentos ou perfis dos autores publicados pela editora.]

A dona de um escritório de seguros no Kentucky, EUA, tem um projeto paisagístico diferente: em vez de plantas ornamentais, ela cultiva uma horta na frente do escritório e qualquer um pode passar e pegar o que quiser.

Mais ou menos o que dona mãe faz no jardim aqui de casa, só que não voluntariamente. Semanas atrás andaram afanando nossas berinjelas, tomates-cereja, mamão, coentro… Como eu disse pra ela, tomara que tenham feito bom proveito. 🙂


Continuar lendo

Jane Eyre [1983]

Jane Eyre 1983

Eu costumo gostar das adaptações que a BBC faz de obras literárias porque mantém o máximo de fidelidade à letra e ao espírito do livro, com alterações mínimas. Além disso, o próprio formato minissérie é mais adequado no caso de histórias extensas como Jane Eyre, da escritora inglesa Charlotte Brontë.

No caso da adaptação exibida em 1983, por exemplo, foram onze episódios totalizando quatro horas. Isso deu tempo suficiente para abordar todas as fases da vida da órfã Jane desde a morte do tio e guardião Mr. Reed em Gateshead Hall, passando pelo período em Lowood, em Thornfield Hall e em Moor House, até chegar a Ferndean.

Personagens e fatos excluídos de outras adaptações encontram espaço no roteiro de Alexander Baron e por enquanto essa foi a versão mais fiel que assisti [lembrando que só vi as de 1944, 1970, 1983, 1996, 2006 e 2011 – e estou com as de 1949, 1973 e 1997 na fila].

A partir deste ponto há spoilers

Uma cena icônica: Jane Eyre de castigo no banquinho

Continuar lendo

Feliz Dia do Rock!

Geologia: Quais são os três tipos de rocha (rock)? R: Clássico, Punk, Hard.

Imagem: Urlybits

A data escolhida refere-se à primeira edição do Live Aid, evento musical simultâneo na Inglaterra e nos EUA que reuniu bandas e cantores dispostos a conscientizar a população em relação às crianças famintas da Etiópia no dia 13 de julho de 1985.

Fonte: Especial Dia Mundial do Rock [TeleSéries]

Joan Jett & The Blackhearts – I Love Rock’N’Roll

Link http://www.youtube.com/watch?v=M3T_xeoGES8