The Tenant of Wildfell Hall / A Inquilina de Wildfell Hall [1996]

The Tenant of Widfell Hall (1996)

A misteriosa Mrs. Graham muda-se para um vilarejo com o filho pequeno. Ela aluga a propriedade Wildfell Hall [eu adoro essa história das casas terem nome!] e, para garantir sua privacidade, ela é seca com os novos vizinhos, chegando a ser antipática e até rude. A austeridade de Mrs. Graham em relação ao pequeno Arthur também choca a sociedade local: ela exerce uma vigilância constante sem permitir-lhe a menor liberdade.

Gilbert Markham,  proprietário da fazenda vizinha, a princípio fica intrigado com a obsessiva reclusão de Mrs. Graham. A mãe dele, boa alma, se desdobra em mimá-lo, literalmente: ela própria o mima e ainda obriga a filha a fazer o mesmo, contra a vontade. A filha do pároco da aldeia, Eliza Milward, está interessada em Gilbert e o cobre de atenções. Assim, conhecer uma mulher que faz de tudo para afastá-lo acaba atraindo o fazendeiro.

Gilbert é uma boa pessoa, mas é ingênuo. Suas visitas constantes à casa da viúva, bem como as do senhorio Mr. Lawrence, provocam maledicência contra Mrs. Markham. Os ciúmes fazem Gilbert acreditar nas fofocas e acusar a viúva de conduta inaceitável e isso finalmente a faz romper a barreira que impôs: ela entrega seu diário para que Gilbert leia.

O Morro dos Ventos Uivantes much?

É aí que o espectador fica sabendo dos motivos para o comportamento de Mrs. Graham, aliás Mrs. Huntingdon – mas para mim já era tarde demais. Eu posso racionalmente compreender Helen, porém não consigo estabelecer uma conexão emocional com ela. Posso lamentar o que ela teve de enfrentar sem contudo sentir empatia. Posso aplaudir sua coragem e princípios éticos e morais e mesmo assim não conseguir torcer por ela.

A minissérie adaptada do livro de Anne Brontë tem ainda outro problema: a atriz que interpreta Helen é Tara Fitzgerald, que em 2006 foi a malvada Tia Reed em Jane Eyre, na mesma BBC. Eu até tentei não associar as duas personagens, mas a atriz é muito boa em ser ruim.

Falando em BBC, essa adaptação de David Nokes é bem mais saidinha do que o que costumo ver relacionado à BBC: tem mais pele e cenas eróticas, quase num estilo ITV de fazer televisão – tem até sugestão de violência sexual. De positivo tem um olhar mais crítico sobre a sociedade da época [entre a Regência e a Era Vitoriana], entre o dissoluto e o puritanismo, moralidade e hipocrisia.

Agora, de positivo mesmo é que é estrelada por Toby Stephens [Jane Eyre 2006], Rupert Graves [Uma Janela para O Amor e Sherlock] e James Purefoy [Roma]. Não importa que tenha de suportar uma personagem antipática se, em troca, eu tiver qualquer um desses três em cena quase o tempo todo.


Link http://www.youtube.com/watch?v=4MJ5xLQ4gJo

Para saber mais
The Tenant of Wildfell Hall 1996 no iMDB
The Tenant of Wildfell Hall, livro de Anne Brontë em domínio público no Project Gutenberg
The Tenant of Wildfell Hall, book report no blog Caderninho da Tia Helô

Título: A Inquilina de Wildfell Hall
Título original: The Tenant of Wildfell Hall
Roteiro: Anne Brontë (romance), David Nokes (roteiro)
Gênero: Drama/Romance
Origem: Inglaterra
Ano: 1996
Duração: 2h39min

Elenco
Toby Stephens – Gilbert Markham
Tara FitzGerald – Helen Graham
Rupert Graves – Arthur Huntingdon
Sarah Badel – Rachel
Jackson Leach – Master Arthur Huntington
Sean Gallagher – Walter Hargrave
Jonathan Cake – Ralph Hattersley
Joe Absolom – Fergus Markham
Kenneth Cranham – Reverend Millward
Pam Ferris – Mrs. Markham
Cathy Murphy – Miss Myers
Paloma Baeza – Rose Markham
Aran Bell – Richard Wilson
Miranda Pleasence – Eliza Millward
James Purefoy – Frederick Lawrence
Kim Durham – Benson
Dominic Rowan – Lord Lowborough
Beatie Edney – Annabella Wilmot, Lady Lowborough
Janet Dale – Mrs. Wilson
Susannah Wise – Millicent Hargrave
Karen Westwood – Jane Wilson

8 comentários sobre “The Tenant of Wildfell Hall / A Inquilina de Wildfell Hall [1996]

  1. Na Inglaterra todas as casas tem nome (pelo menos nas cidades menores). O endereço é o nome da casa, a rua e um CEP.🙂 O nome da casa da vó Sheila é Somerton.

    Achei essa série bem fiel ao livro. A Helen do livro também é muito antipática. Como você disse, a gente entende os motivos dela mas não dá para torcer por ela. Ainda mais no final (SPOILER) do livro quando ela faz o Gilbert esperar ainda um ano para ficarem juntos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s