Primeiros episódios | Homeland, Prime Suspect US, Charlie’s Angels 2011, Unforgettable, The Body Farm

Homeland

Comecei a ver por causa do Damian Lewis apesar de ser protagonizado pela Claire Danes [antipatizo coela]. Ele está bem no papel do soldado suspeito de virar a casaca e estar a serviço da Al-Qaeda num plano de novo atentado terrorista em solo norte-americano, mas aí entra o grande MAS, pra mim.

A série é uma adaptação ianque de outra série israelense e seu ponto de vista me pareceu prejudicado pelo preconceito e pelo próprio ódio racial histórico. O timing da estreia [no mês em que se completam 10 anos dos ataques do 11 de setembro] reforça minha desconfiança em relação aos objetivos do roteiro e dos produtores [os mesmos de 24 Horas].

E eu não costumo empatizar com a personagem intensa que luta contra o descrédito geral e OOOH olhe como eu sou intensa e eu SEI que o que estou dizendo a verdade e vou passar por cima da autoridade dos outros porque sei que estou certa e… Cansei. Muito densa.

Prime Suspect US

Outra adaptação de série, desta vez o original é britânico.  A protagonista é a atriz portuguesa Maria Bello, que me pareceu excessivamente agressiva na sua “luta” pra ser tratada igual aos colegas homens. Para que a gente sinta empatia por ela, os detetives aparecem como grandes porcos chauvinistas e isso me incomodou por demais.

Senti que forçaram a barra e antipatizei de cara com a personagem. Isso não aconteceu quando vi a primeira hora da série original com a Helen Mirren, que baixei depois de ver a adaptação. É incrível como os britânicos dominam a arte de criar ambiente, contexto, background sem ter de soletrar ou usar de histeria. Se a nova série não baixar o tom, vai pra minha lista de abandonados logo, logo.

Charlie's Angels 2011

Remake da série As Panteras dos anos 1970 produzida por Drew Barrymore, que também produziu e estrelou as duas adaptações para o cinema. O roteiro é raso e cheio de furos, o trio de atrizes tem o carisma de um pé de rúcula [se somar as três] e nem ao menos é tão trash que chegue a ser cult, mas aqui entre nós te digo que é a série que com mais probabilidade seguirei, desta lista.

Uma das razões é o humor involuntário, a outra é puro saudosismo. Além disso, é a que tem mais chance de ser cancelada, não me acorrentaria a dezenas de episódios.

Unforgettable

OK, chegamos ao verdadeiro motivo d’eu escrever este post: se não anotasse em algum lugar eu esqueceria dessa série. Irônico, se se considerar que o título dela é “inesquecível”, né? A premissa parece legal: mulher que sofre de uma condição clínica que não a deixa esquecer de nada colabora com investigações policiais [hipertimésia].

Problema 1: ela só resolveu o caso do episódio piloto porque testemunhou o crime, morava no mesmo prédio que a vítima. Como  essa hipermemória a ajudará nos outros casos? A condição só dá supermemória autobiográfica, ou seja, a pessoa só lembra bem de eventos que estejam relacionados a ela, ao contrário da memória eidética .

Problema 2: a técnica utilizada para mostrar como se processa a mente dela [que também não é original, quem viu o piloto de Sherlock vai se lembrar] corre o risco de se tornar cansativa no decorrer da série. Bom, eu achei cacete já na metade do episódio e só tinha 43 minutos…  Sem contar que toda aquela intensidade de sofrimento pela morte da irmã é mais um fator que desgasta demais.Mas vam’ver no futuro.

The Body Farm

Procedural britânico estrelado pela Tia Reed de Jane Eyre 2006 e pelo pai da cantora Lilly Allen. A personagem dela dirige uma fazenda de corpos [quem assistiu às primeiras temporadas de CSI sabe o que é] em que pesquisam deterioração, insetos, decomposição etc. É uma série que não tem pudor em mostrar vísceras e gosma e é da BBC.😉

A fazenda é de iniciativa privada, mas a polícia contrata os pesquisadores e seu equipamento para ajudar na investigação de patologia forense. Parece legal, apesar da insinuação de que a protagonista é mais uma mulher atormentada por [insira qualquer motivo aqui], provavelmente do seu passado [do futuro é que não pode ser, dã] já que TBF é um spin-off de Waking the Dead, onde ela trabalhou por quatro temporadas. É a série que tem mais chance de eu continuar acompanhando – o fato de ter só seis episódios ajuda.

2 comentários sobre “Primeiros episódios | Homeland, Prime Suspect US, Charlie’s Angels 2011, Unforgettable, The Body Farm

  1. Assisti Body Farm e Prime Suspect US, mas só devo seguir a primeira. Vontade de ver a versão original de PS, mas com tantas na fila, cadê tempo?
    Gostei muito de Field of Blood (britânica, 2 epi), ambientada nos anos 80, vale a pena🙂

  2. Eu assisti os primeiros 5 minutos de Charlie’s Angels e achei que não valia a pena ver o resto.
    Pensei em vc. Assisti Two And A Half Men e fiquei em choque com o Hotch de Criminal Minds fazendo gracinha!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s