Pequenas atitudes

Três quadrados, amigo, três quadrados! (Novo dispenser "verde" de papel higiênico garante menos desperdício)

Imagem: I Can Has Cheezburger

Roubei a “pauta” deste post da Sam Shiraishi, mas tenho a impressão que ela não vai ficar brava. 😉 A ideia é compartilhar atitudes sustentáveis que podemos adotar em casa no dia a dia, praticamente indolores. A Sam fotografou três que a família dela adota lá em SP/Capital:

1. carregar sacolas retornáveis [as ecobags];

2. não descartar óleo de cozinha usado na pia;

3. reduzir o consumo de descartáveis.

Os detalhes estão lá no post dela, valem uma lida.

Aqui em casa usamos as três dicas já faz um tempinho: além de ecobags e furoshikis, sempre que possível usamos o serviço de entrega a domicílio dos supermercados, isso diminui a quantidade de sacolas plásticas. As sacolas destinadas ao acondicionamento de alimento são obrigatoriamente feitas a partir de matéria-prima virgem, não podem ser feitas a partir de reciclagem, então quanto mais se evitar melhor.

O óleo eu já comentei, né, que vira sabão caseiro, mas além disso a prefeitura recolhe junto com o lixo reciclável. Quanto ao uso de descartáveis, dona mãe nunca apreciou-os muito mesmo…

E para compartilhar aqui vão minhas três contribuições ao debate:

1. sempre que possível, optar por produtos que tenham refil: em cosméticos, higiene e limpeza está ficando mais fácil achar produtos com embalagem refil, que usam menos matéria-prima e são recicláveis [além de baratear o orçamento, hehehe];

2. reusar: um dos três Rs [reduzir, reutilizar e reciclar] da sustentabilidade. Uma parte do lixo reciclável de casa vai pra oficina de artesanato do Centro de Assistência Psico-Social da cidade [e depois a gente ainda compra o artesanato deles, hahahaah!], uma parte da sacolas plásticas vai pra horta do Centro Espírita [por mais que economizemos, ainda sobra mais sacolas do que usamos para descartar o lixo];

3. evitar imprimir documentos: o provedor de inFernet que uso passou a emitir fatura eletrônica [assim como a SKY já faz], o que permite pagar online sem usar nenhum pedaço de papel. [Tá certo que quem for imprimir vai gastar duas folhas de papel por causa da configuração comercial do boleto, mas já dei a dica lá e parece que vão corrigir pro próximo mês]. E quando faço o pagamento online salvo o comprovante em PDF ao invés de imprimir.

É pouco? É. Vai resolver o problema do mundo? Nem de longe, mas fico com as palavras de Ryan Hreljac [grifo meu]:

“Eu adoro ouvir mais exemplos de pessoas que apenas fizeram o que elas queriam fazer e não ligaram se não iriam resolver o problema todo ou não iriam fazer o maior impacto sobre o mundo, mas foram ingênuas o suficiente para fazer o que eu fiz quando eu tinha seis anos. E é incrível o que pode acontecer ao longo do tempo.” [Ryan Hreljac, via Papo de Homem]

#BAD2010 | Blog Action Day 2010: Water [Água]

 

O Blog Action Day é uma mobilização global de blogueiros que se unem todo dia 15 de outubro para divulgar uma causa – social, ecológica, econômica, política ou tudo isso junto. Em 2010 o tema é a escassez de água potável, algo que Guilherme Arantes já chamava a atenção há quase trinta anos.

“Access to clean water is not just a human rights issue. It’s an environmental issue. An animal welfare issue. A sustainability issue. Water is a global issue, and it affects all of us.”
Blog Action Day 2010: One Day. One Issue. Thousands of Voices.

Blog Action Day – site oficial

Planeta Água – Guilherme Arantes

Segundo lugar no Festival MPB Shell em 1981.


Link http://www.youtube.com/watch?v=nrhu-7jDuGw

Planeta Água
Guilherme Arantes
Composição: Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão…
Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população…
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos…
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d’água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão…
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação…
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra…
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água…
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão…
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população…
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra…
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água…(2x)

Momento obsessivo-compulsivo: sacolas plásticas

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

A rede de pizzarias paulitana 1900 esá a abandonar o uso de sacolas plásticas nas entregas. Em 2008 eles adotaram essa solução simples, barata e genial para carregar garrafas de água, suco ou refrigerante: uma alça feita de papel kraft  que se adapta a qualquer garrafa. As sacolas de papel não são ideais para essas garrafas porque a condensação de água provocada pela bebida gelada pode rasgar o papel, mas para a entrega de outros produtos a empresa já está a substituir as de plástico também, desde o ano passado.

Anturdia vi uma reportagem sobre um supermercado carioca que começou a trabalhar com sacolas plásticas mais reforçadas para evitar ter que colocar uma dentro da outra [uso dobrado] e com informações em letras enormes para evitar o abuso. Mesmo assim, a repórter flagrou uma mulher colocando sua comprinha em duas sacolas. A mulher disse que colocar uma dentro da outra é mais confortável pra carregar. Quando a repórter perguntou “e o meio-ambiente?” a mulher fez uma cara de “f*da-se o meio-ambiente” que tive vontade de socar-lhe a fuça.

[Mas as palavras que lhe saíram da boca foram “fazer o quê, né?”]

Comé aquele ditado mesmo? Quem quer fazer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa.

Na mesma matéria, a repórter encontrou uma senhora toda chique. Na mão direita, uma sacola plástica daquelas reforçadas; na mão esquerda uma ecobag de algodão estampada “I [coração] the [Terra]”, ambas lotadas de compras. É isso o que a outra não entendeu: se todos fizessem uso consciente, não precisaria chegar ao cúmulo de ter de proibir.

[A dica sobre a PegaPet eu roubei da Simone Miletic.]

Continuar lendo

Domingueiras

Edgar, Allan e Poe, mascotes do Baltimore Ravens

Edgar, Allan e Poe, mascotes do Baltimore Ravens

Edgar, Allan e Poe são os três corvos-mascotes do Baltimore Ravens [v. outros mascotes no site Football Babble]. Eu achei tão apropriado!

But the Raven still beguiling all my fancy into smiling,
Straight I wheeled a cushioned seat in front of bird, and bust and door;
Then upon the velvet sinking, I betook myself to linking
Fancy unto fancy, thinking what this ominous bird of yore
What this grim, ungainly, ghastly, gaunt and ominous bird of yore
Meant in croaking “Nevermore.” [The Raven – A Study Guide]

Domingo passado, assistindo ao jogo de futebol americano, dona mãe diz:

– Olha, é fácil, tou entendendo tudo.

E ela se divertia com as gracinhas do Ivan Zimmermann. Mas a que me fez rir até doer a barriga foi:

– Tem uns jogadores bonitos, né. Mas até os que são feios de cara têm a bunda bonita.

A ação Papai Noel dos Correios já está aceitando adoção de cartinhas [Correios e Diário de Marília].

Meu dia só começa depois que acesso I can has cheezburger?.

Por um lado, estudo mostra que apenas 7,5% dos brasileiros compram obras de literatura [link] e leem 1,3 livros por ano.

Por outro lado – ou melhor, do outro lado do mundo, crianças japonesas lêem média de 35,9 livros por ano [link].

Armei-me de coragem e retomei a leitura de Jonathan Strange & Mr. Norrell. Tentarei terminar até o final do ano, pra Telinha de orgulhar de mim [ou da minha teimosia, heh].

Pra quem tem criança pequena, a Sam Shiraishi apresenta uma lista de opções que eu vou aproveitar, é claro. Ótima ideia pro natal.

Aliás, é uma ótima alternativa pra quem tava com a ideia de presentear com armas de brinquedo, nué?

Agora, que tal um concurso que premia sexo ruim em literatura? Não o ato em si, mas como é escrito. A concorrência é feroz: Amos Oz, Nick Cave [yeah, o rockstar], Philip Roth, Paul Theroux, John Banville…

No ep The Performer [Criminal Minds], Gavin Rossdale faz um cover de Love Will Tear Us Apart, do Joy Division. Morri.

Garcia: A senha era Cullen.
JJ: É claro.
Reid: Cólon?
JJ: Cullen. A família vampiro de Crepúsculo.
Reid: O que é Crepúsculo?

Morri duas vezes!

Tem um projeto na câmara de Pedra Lascada que prevê a proibição de sacolas plásticas no comércio local. Mãe Naomidináh prevê choro e ranger de dentes.

Muita gente ri do Prêmio Ig Nobel, uma honraria [?] concedida para as pesquisas mais esdrúxulas e aprentemente inúteis do mundo. Mas você sabia que quem entrega o troféu são cientistas laureados com o Nobel?

Ig Nobel Prizes honor achievements that “first make people laugh and then make them think,” according to U.S.-based Improbable Research, a grouping of scientists, journalists and other luminaries from around the world that bestowed these honors for work in many fields since 1991.Japan Times

[Via @emersonpardo] Cursos online GRATUITOS, com certificação, oferecidos pela FGV [link].

[Via @Fabio_Gigabyte] Don’t feed the trolls.

[Via @onetto] dica de site que a gente nunca sabe quando pode vir a ser útil: Faz Fácil.

[Via @chando] o que Star Wars nos ensina sobre gerenciamento de carreira – em inglês, no site CIO.com.

Sons of Anarchy: geeente, Ron Perlman tá fazibilíssimo.

Com esse calor que tá fazendo, pareço uma gueixa: emplastrada de pasta d’água e talco.

Tou com vontade de comer uma coisa que eu não sei o que é.

Gavin Rossdale – Love will tear us apart

Continuar lendo

Domingueiras

Não tinha posto reparo antes: as camisetas Crer Para Ver da Natura são feitas com 50% de garrafas PET recicladas.

Eu já dormi em Z, N, C, Q, V, Y, T, X, F, só pra não atrapalhar o sono dos gatinhos quando resolvem dormir na minha cama.

Tem um comentarista do jornal local na rádiA de Pedra Lascada que, toda vez que começa a falar, meu ouvido seletivo desliga.

As casas populares construídas no Estado de SP são registradas no nome da mulher. Isso já faz tempo, se não me engano começou numa das administrações do Covas. Agora as casas populares também são entregues com aquecedor solar.

Estava a olhar uma revista de moda quando vi uma foto bem legal: a modelo com carão de intelectual com um livro enorme na floresta. O livro devia pesar mais do que ela, mas não é isso o que vem ao caso, achei legal a ideia de modelo que lê. Daí tentei ler o título do livrão e não consegui, o que estranhei caus que estava em letras enormes na foto.

Só então percebi que a modelo segurava o livro de cabeça pra baixo.

Da coluna semanal do Professor Ivo:

6. Use minúsculas na designação de festas pagãs: bacanais, saturnais, carnaval; e maiúsculas pra designar as festas cristãs: Natal, Páscoa, Quaresma, Reis, Finados, Corpus Chris­ti, Semana Santa, Ressurreição;

Gente, nem a gramática é laica.

Que triste ler “personaJens” nas chamadas do canal Warner.

Em tempos de Lei Maria da Penha, será que Nervos de Aço do Lupicínio ainda seria bem aceita?

Ontem experimentamos o Boi na Caracu da Adrina. Com o que sobrou do abacaxi da farofa rolou também o bolo invertido. Tou jiboiando até agora, de tanto que comi. E o jeito que ela escreve as receitas é outra delícia!

Muitos anos atrás, ainda no velho PdUBT, Emerson e eu discutíamos as causas prováveis de uma série de mortes súbitas de jogadores de futebol dentro do campo. Lembra desses casos? Uma das hipóteses que mencionamos foi algum vírus transmitido pelo cuspe dos jogadores.

Na época não imaginamos que essa brincadeira era, na verdade, uma premonição.

Antes tarde. Eu jurava que Christopher Lee já era Sir faz tempo mas parece que não, só agora ele recebeu o título. Como dizem os mais xófens: demorô!

O post mais equilibrado que eu li a respeito do caso Roman Polanski foi o da Gabi Bianco, no blog Casa da Gabi. Simples, direto ao ponto.

A respeito do caso da estudante da Uniban eu gostei deste post de Túlio Vianna.

Atuaização: e deste da Marjorie [dica roubada da Adrina].

Uma vez eu perguntei para que serve um narrador esportivo. O Everaldo Marques, da ESPN, sabe. E é legal dar valor.

A dupla sertaneja César Menotti e Fabiano regravou “A Carta” do Tremendão. Eu prefiro imensamente [1] a versão original e [2] a do Renato Russo, mas reconheço que é legal relembrar música boa.

Na primeira frase acima o verbo concorda com a expressão “a dupla”, né? Que siginifica dois mas é singular.

Tá bom, essa regravação já tem mais de ano; é que eu não ouço César Menotti e Fabiano habitualmente. Tem que me obrigar.

Erasmo Carlos & Renato Russo – A Carta

Continuar lendo

Blog Action Day 2009 | Mudança Climática

Eu sou péssima, péssima, com algumas coisas – uma delas sendo a tal da blogagem coletiva. Sempre acho o que os outros envolvidos escrevem tão legal que isso meio que me abala e me dá um bloqueio enorme.

Todo ano me inscrevo no Blog Action Day e acabo não postando nada. Neste ano o tema do BAD é Climate Change, mudanças climáticas, que envolve vários subtemas que eu gosto e poderia escrever a respeito… se não tivesse um bloqueio mesmo assim.

Blog Action Day é um evento anual que une blogueiros de todo o mundo postando mensagens sobre o mesmo assunto num mesmo dia nos seus próprios blogs, com o objetivo de provocar uma discussão em torno de uma questão de importância global. O Blog Action Day 2009 será o maior evento da história de mudanças sociais na web. Um dia. Uma causa. Milhares de vozes. [Site oficial em português brasileiro]

Até a Revista FAPESP do mês traz o tema na matéria de capa, cheia de informações sobre o panorama futuro da natureza e da agricultura no Brasil daqui a 100 anos, se as alterações climáticas seguirem nesse ritmo.

A BandNews fez reportagem sobre as tentativas de eleger o presidente da Comissão que vai elaborar o novo Código Ambiental Brasileiro. O twitter @bussolaescolar indicou o post 10 coisas que você pode fazer pra reduzir o aquecimento global.

Oras, mesmo a optativa de Serviço Social do semestre é sobre meio-ambiente. Um dos textos estudados foi um artigo publicado na revista Época em fevereiro de 2007 intitulado O que fazer com o lixo?, da Fernanda Colavitti. Marília/SP e Olímpia/SP enfrentam problemas com os lixões atuais; Marília tem um projeto para construção de usina de reiclagem enquanto Olímpia tá num impasse bonito.

O grupo de discussão sobre literatura niqui faço parte indicou um projeto paulistano chamado Dulcinéia Catadora. Nesse projeto de resgate da cidadania os catadores de lixo reciclável e seus filhos editam livros com capa de papelão. Um grupo de blogueiros está a mobilizar o #diasemsacolinha, que é uma causa que eu defendo já há alguns anos no velho e no novo PdUBT.

E, é claro, sempre tem aqueles que replicam que “os maiores poluidores não estão nem aí pra isso, se eles não mudarem seu modo de produção não é a minha sacolinha que vou deixar de usar que vai fazer diferença” e similares.

Tudo isso e eu não consigo pensar num post legal pra escrever, outra vez.

Desculpaê qualquer coisa.

Filme Casa Ecologica da Volkswagen – Parece pouco, mas faz muita diferença

Continuar lendo

Um pouco mais de Harry Potter e pedido de livros

Na semana passada aconteceu a semana dos livros banidos nos EUA, quando as bibliotecas se mobilizam para denunciar tentativas de censurar livros. Os sete volumes da série Harry Potter costumam frequentar as listas de livros banidos de escolas. O argumento mais usado pra pedir a retirada de HP é a incitação à bruxaria [esoterismo, ocultismo] ou a visão não-cristã da obra – o que é a mesma coisa na cabeça dos que tentam impedir a sua leitura.

Na semana passada também saiu uma notícia que foi replicada em vários sites oficiais de mídia e blogs: segundo um dos redatores de dscursos do governo George W. Bush, o presidente [ou alguém com poder de veto no seu staff] negou a concessão da Medalha da Liberdade para a escritora J. K. Rowling por causa exatamente dessa pretensa incitação à bruxaria.

Segundo o Think Progress [que parece ter sido o primeiro a publicar essa informação] Matt Latimer escreveu no livro Speechless: Tales of a White House Survivor, na página 201:

This was the same sort of narrow thinking that led people in the White House to actually object to giving the author J.K. Rowling a presidential medal because the Harry Potter books encouraged withcraft.

Continuar lendo