Da coluna do Professor Ivo

A Língua Nossa de Cada Dia

1.Pingando o i: Amy arregimentou uma legião de fãs mundo afora (e não arrigimentou);

2.As letras k, w e y voltaram a fazer parte do alfabeto português;

3.O trema desaparece das palavras portuguesas e aportuguesadas; permanece em nomes próprios estrangeiros e derivados: Müller, Hübner, hüberiano;

4.Grafe: pôde (pretérito perfeito) e pode (presente do indicativo): Ele pode viajar hoje; Ele pôde viajar no ano passado;

5.A palavra pôr continua acentuada (verbo); a preposição por não tem acento gráfico: Ele vai pôr as coisas nos devidos lugares; “Se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí”;

6.Não acentue: assembleia, heroico, joia, ideia, panaceia, o apoio, (eu) apoio;

7.Mas acentue: herói, constrói, dói, anzóis, cruéis, fiéis, foróis, papéis, chapéu, ilhéu, véu, céu. E tenho dito!

iFolha, 7/8/11

Eu ando errando o item 7.

E o Professor [com maiúscula, sim] Ivo de Souza aposentou-se do magistério no mês passado. Tive sorte por ter sido aluna dele!

Da coluna do Prof. Ivo

A Língua Nossa de Cada Dia
1. Desvirgulando: Seu ex-presidente disse… não pode haver vírgula de maneira alguma após a palavra presidente (sujeito) e antes do verbo (disse): regra fundamental de concordância verbal (não há vírgula entre o tema e a informação).
Em tempo: Seu Hilário Juliano Ruiz de Oliveira ainda é o atual presidente da Câmara;

2. À medida que = à proporção que; Na medida em que = tendo em vista que; use tais expressões corretamente: À medida que conquistava poder, tornava-se mais autoritário. É preciso, na medida em que existem as leis, respeitá-las.

3. Diga e escreva: Reside na (e não à) Rua Olavo Bilac; Residente na Rua Valentina Toazza; Morador no Largo da Paz; Reside na Praça da Árvore, Situado (ou sito) na Rua das Acácias;

4. O Verbo vazar está em alta: As informações sigilosas vazaram da área oficial para a imprensa; é incorreto dizer a área oficial vazou as informações para a imprensa;

5. A semana em que estamos é esta; O lugar em que alguém está é este ou esta: Esta casa (a casa em que se está), esta vila, este bairro, esta cidade, este país, este mercado;
O período (ou a vigência de alguma coisa) em que estamos é este ou esta: Este ano (o ano de 2010), este dia (sábado, hoje), esta tarde, esta semana, este século (XXI), este momento, este governo (o do sr. Lula), esta administração (do sr. Geninho), etc.

6. Empregue ESSE para referir-se pela segunda vez à pessoa ou coisa: Anos depois de ter-se mudado, percebeu que ESSE havia sido o dia mais importante de sua vida. Chegou a Olímpia em 1950; nesse ano, conheceu Maria, com quem se casou!
Indica tempo passado: Esse tempo que não volta mais, foi um tempo feliz; Esses anos, o de seus estudos, foram os que formaram a base de seus conhecimentos profissionais; Esse período, amigos, passou, não haverá outro igual ou parecido.

7. Onde e Aonde: Este é o edifício onde ela mora; Esta é a escola onde ele estuda;
Não sei aonde ele vai com tamanha pressa (emprega-se aonde com verbos de movimento, deslocamento); Aonde ele quer chegar?; Aonde essa atitude a levará. E estamos conversados. Fonte: “Com Todas as Letras”, do saudoso Eduardo Martins, foi jornalista de O Estado de S. Paulo por muitos anos.

Professor Ivo de Souza, Olímpia/SP [iFolha, 05/12/2010].

Da coluna do Professor Ivo

A Língua Nossa de Cada Dia

1. Indiscutível é a palavra paroxítona terminada em –l. É acentuada graficamente; indiscutivelmente é o advérbio formado a partir do adjetivo indiscutível: Não é graficamente acentuado; só e somente; português e portuguesmente são outros exemplos;

2. Escrevam (e não escrevem) sempre: Maria namora João; Eu assisto ao filme; O médico assiste os doentes; Nós visamos ao bem de todos; O funcionário do banco visou os cheques. O animal aspira a poeira do caminho; O rapaz aspira a um cargo de chefia; Prefiro um pássaro na mão a dois voando; Prefiro liberdade a privilégios;

3. Não corra atrás do prejuízo, corra atrás do lucro; Não existe vítima fatal (fatal é a queda, o acidente, o tiro, aquilo que fez da pessoa uma vítima;) vítima fatal significa: morto;

4. Atenção pessoal da mídia! Não digam Vamos repercutir a notícia; A notícia é que repercute;

5. Algumas pérolas futebolísticas: Jogador (alguns) agora virou “elemento surpresa”. Usa-se fator para tudo: Fator surpresa, Fator Cuca; Jogo cheio de alternativas; Caminhamos para os últimos cinco minutos de jogo (faltam cinco minutos para o fim do jogo). Ele (o jogador) chutou com consciência?!!?). Ele quis cruzar ou chutou para o gol? E por aí vai…

6. Escreva: Dez quilos de carne é pouco para o churrasco; Vinte metros de tecido é muito; Quatrocentos quilômetros é muito; Vinte mil reais é pouco para certas pessoas.

7. Diga e escreva: Bateram nove horas; Soaram dez horas; O relógio da igreja bateu seis horas; Bateram seis horas no relógio da igreja. São quase oito horas; O sino da Matriz bateu seis horas.

Prof. Ivo de Souza, Olímpia/SP [iFolha, 28/11/2010]

A Língua Nossa de Cada Dia

Algumas dicas do professor Ivo [só linkar não resolve caus que o site original não mantém as colunas anteriores]:

1-Vamos virgular: Em 1921, o presidente da República, Epitácio Pessoa, veta a presença de jogadores negros e mulatos na seleção brasileira (faltou uma vírgula depois de República na edição passada).;

2-Outra possibilidade para a mesma frase: Em 1921, o presidente da República Epitácio Pessoa veta…

3- Prefira acertar a errar: Prefira suco a refrigerante; Assista a bons filmes; Aspire a uma posição mais elevada; Vise ao bem-estar de todos;

4-Diga e escreva: Estes direitos assistem a todos; Obedeça às leis; Obedeça aos pais, Perdoe aos inimigos; Pague a consulta ao médico; Vendem-se duas casas; Precisa-se de funcionários; Quando você vier de São Paulo e vir Maria, entregue-lhe aquelas fotos; Agradeça aos pais;

5-Escreva: 19h; 20h30min; 10m (dez metros), Nada de hrs. Ou hs.;

6-Escreva: pingos nos is; ou pingos nos ii.

Coluna do Ivo, 13/06/10.

A Língua Nossa de Cada Dia

Algumas dicas do professor Ivo [só linkar não resolve caus que o site original não mantém as colunas anteriores]:

1. Ninguém repercute nada. O que repercute é a notícia, o fato, o acontecimento; [tem um radialista pedralascadense que a-do-ra repercutir]
2. Nunca entre em negociações junto a fulano ou a sicrano, mas negocie com fulano ou com sicrano;
3. Não diga obrigado você, mas, sim, obrigado a você, eu é que lhe agradeço, de nada; [eu que agradeço, costumo usar]
4. Seja celular ou fone fixo, diga: Estou ao telefone. E não “Estou no telefone” (vai ser difícil alguém entrar dentro do bichinho; da mesma forma, não entre no computador); [culpada! costumo usar ‘estou no telefone’]
5. Tenha sempre um dó de alguém, e não uma dó; diga a cal, o guaraná, o champanha, trezentos gramas, etc. [essa eu até sei, mas não consigo evitar ‘uma dó’]
6. Preste sempre atenção ao estudar um processo: cuidado com as agravantes e com as atenuantes;
7. Não diga: Vamos estar atendendo; Vamos estar conversando; Vamos estar oferecendo; Mas: Vamos atender; Vamos conversar; Vamos oferecer. E muito obrigado. Em tempo: Mulher só agradecce dizendo: Obrigada, muito obrigada. Mas pode dizer “o meu muito obrigado”. E tenho dito. [gerundismo, pfuá. e gênero, né? acho engraçado quando alguém diz ‘concordo em gênero, número e grau’ e quem falou primeiro é de gênero diferente]
8. E mais: Alguém vive à custa dos pais, alguém está em via de se aposentar; não use às custas de, nem em vias de. [ops. culpada]

Coluna do Ivo, 23/05/10.

Domingueiras

A moça que vem ajudar na faxina de primavera está encantada com os gatinhos, porque ela derruba as aranhas de trás dos móveis e eles pegam todas. E, é claro, os gatinhos estão apaixonados por ela por derrubar as aranhas pra eles.

Na minha época era carrinho de fricção, hoje em dia é pullbacks.

Anteriormente publicado como...

Anteriormente publicado como...

Até que demorou.

Agatha Christie publicou Ten Little Niggers na Inglaterra em 1939. Em 1940 o livro foi publicado nos EUA com o título And Then There Were None. A alteração aconteceu por causa da palavra nigger, considerada racista e ofensiva. No Brasil todas as edições basearam-se no título oficial e saíram como O Caso dos Dez Negrinhos até 2008, quando a Editora Globo lançou uma nova tradução do livro, com o título E Não Sobrou Nenhum. A Ilha do Negro também foi substituída pela Ilha do Soldado no texto.

Um dos roteiristas do Maurício de Sousa deve ter lido O Senhor da Foice do Terry Pratchett: tem um quadrinho na Mônica Jovem #15 que é quase igual a uma cena do livro, o Ritual de Ash-Knt.

Por um lado, escola pública de Bauru/SP queima livros clássicos [UOL].

Por outro lado, o Instituto de Defesa do Direito de Defesa arrecada e distribui livros para presídios, cadeias e hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico do Estado de SP [ConJur].

Eu gosto das folhas de alface novinhas, bem tenras, as que ficam no miolo.

O Globo Repórter da semana passada foi [surpresa] alimentação saudável? Dona mãe só ficou sabendo porque encontrou amigas no supermercado, embananadas, procurando “aquela alga pra colocar na sopa de soja”. Wakame, cRaro.

Continuar lendo

Skank – Formato Mínimo

Estava a ouvir/assistir o DVD Cosmotron, do Skank, com a legenda ligada e só então me caiu a ficha: cada verso da música Formato Mínimo termina com uma proparoxítona!

[Bom, exceto o último verso, né: rubrica é paroxítona*, vogal tônica é BRI e não RU, mas licença poética serve é pra essas ocasiões.]

Eu gosto do Skank por demais da conta, primeiro por causa do alto astral das canções – mesmo nas canções de protesto – e também por causa das letras, que não são indigentes quanto alguns sucessos atuais, nem tão pseudointelectuais que chegam a ser herméticos.

Formato Mínimo me lembrou de duas coisas: a profa Clara e seu caderninho de ortografia [eu adorava procurar cinquenta proparoxítonas por ano] e Chico Buarque.

Skank – Formato Mínimo

Link http://www.youtube.com/watch?v=nZjhoxmx4ik

Formato Mínimo
Skank
Composição: Samuel Rosa – Rodrigo F. Leão

Continuar lendo