Domingueiras

O personagem Anselmo, da novela Caras e Bocas, estacionou na esquina sem respeitar a distância de 3 metros. Inda pior, parou bem na frente da placa de estacionamento apenas para carga/descarga. O pessoal dessa novela precisa voltar pra autoescola agora-já.

Condicionamento: ainda estranho palavras em português terminadas em N, como abdômen e hífen. Ou amendoin, conforme vi antontem.

Se você derramou uma lagriminha quando leu Dewey – Um gato entre livros, prepare-se para desidratar com esse post do blog Fabulous Lorraine.

Sabe o ator que interpreta o rústico Geraldo na novela Paraíso? Eu gosto dos antebraços dele.

A temporada de futebol americano começa no dia 10 de setembro. Tava a assistir Carolina Panthers x New York Giants pela pre-season, já me preparando pra prorrogação, quando veio aquele touchdown no último segundo. U-au.

Será que nesta temporada o 49ers me dá um pouquinho de alegria? Go Mike Singletary!

O meu glorioso SPFC tá fazendo a parte dele.

Enquanto digitava a nota anterior, e com o próximo trabalho aberto na minha frente aguardando por uma dose de saco ânimo, lembrei que a menina para quem faço os resumos desconhece o significado de X, como em Palmeiras x Corinthians.

O The History Channel vai passar a série Roma: Ascensão e queda de um império.

Isso me fez lembrar de uma série de microposts do antigo PdUBT que [acho que] não transportei pra cá ainda.

I
Eles inventaram um sistema numérico que nenhuma outra nação adotou por livre e espontânea vontade.

II
Eles impuseram seu idioma como universal: quem não falasse seu idioma era menosprezado e, em seguida, dominado e colonizado à força.

III
Eles se apropriaram de uma religião, reajustaram-na para servir a seus propósitos e a impuseram como religião oficial do mundo.

Update: Duas vezes.

Bem como o sistema monetário.

IV
Eles inventaram o conceito panis & circensis: dê ao povo pão e circo, e ele se comportará como rebanho bem conduzido.

V
Eles inventaram o conceito de patricinhas:

Patrícios eram os cidadãos grandes proprietários de terras, rebanhos e escravos. Desfrutavam de direitos políticos e podiam desempenhar funções públicas no exército, na religião, na justiça, na administração.

VI
Eles tanto fizeram que culturas ditas “pagãs” foram varridas da face da Terra.

VII
Eles descendiam de um cidadão que matou seu próprio irmão gêmeo porque ele *pisou na linha* que dividia a cidade que ambos fundaram.

VIII
O mais grave de tudo: eles perseguiram Asterix e Obelix!!

IX
Mas um dia o dinheiro acabou, o exército enfraqueceu, o imperador já não mandava nem na mulér dele, ninguém mais falava latim e as outras nações não iam pedir a sua bênção para qualquer espirro fora do tom que dessem.

X
E o que foi um dia o Grande Império dos Césares caiu.

Estava a ler Beatles e a Filosofia, da série do William Irwin, e aprendi a origem da palavra “bárbaro”, corroborada pelo Houaiss online: os gregos [e depois os romanos, como bons copiões que eram] consideravam que quem não falava seu idioma era inculto, sem civilidade, não dominava a linguagem e só balbuciava “bar, bar, bar”.

Coisa de civilização monoglota.

Cultura pop inútil também é cultura, uais.

Muitas gentes atraídas para o post dedicado ao Franco Gasparri perguntam sobre outros artistas. Titia Batata recomêinda a comunidade Eu Lia Fotonovelas no Orkut. O pessoal lá manja tudo.

Ontem [22/0809] foi Dia do Folclore.

Em Botucatu/SP, sede da Associação Nacional dos Criadores de Saci, o poder público decidiu destituir o saci do posto de representante oficial do município, após oito anos da criação do cargo.

Cá entre nós, a versão da lenda do saci que conheci primeiro em Olímpia/SP, Capital Nacional do Folclore, não atrai minha simpatia para a sua pessoa. Assim, sempre que me vêm com a proposta de indicar o saci representante de alguma coisa, minha birra ressurge.

Diálogo mais ouvido na rua:

– Será que este é  o último frio do ano?

– Não, ainda tem a Festa do Peão.

Quem não é de Pedra Lascada não compreende o contexto: todo ano faz frio e/ou chove  nos dias da Festa do Peão, que acontece no fim-de-semana mais próximo do dia 17 de setembro e é, extraoficialmente, o último frio municipal do ano.

Pedra Lascada é uma cidade de [con]tradições.

Dois favoritos em HP & TDH

Ciarán Hinds

Ciarán Hinds

Segundo rumores praticamente confirmados [eita], dois atores ingleses já estariam escalados en Harry Potter e As Relíquias da Morte, sétimo e oitavo [e últimos] filmes da franquia. Por coincidência, dois dos meus atores favoritos.

Um é Rhys Ifans, que ultimamente só aparecia no noticiário artístico por conta do romance com Sienna Miller [já encerrado, senquisgóde]. A maioria deve se lembrar dele como Spike, o amigo esquisitão de Hugh Grant em Notting Hill, e outros papéis pequenos como o Iki de Fórmula 51.

Embora ele não diga qual o papel combinado, o site Mugglenet sugere que seja o de Xenophilius Lovegood, pai da Luna Lovegood [Evanna Lynch].

V. vídeo com entrevista de Rhys Ifans no site Omelete.

A segunda escalação é a que me fez pular mais alto, embora seja a menos certa: Ciarán Hinds no papel de Aberforth Dumbledore, o dono do bar Hog’s Head. Eu achei que o Jim McManus era o Aberforth, em A Ordem da Fênix – mesmo porque ele parece irmão de Albus Dumbledore, – mas aparentemente era apenas o bartender. Vai ser legal se for verdade. Hinds já atuou com Michael Gambon [Albus Dumbledore] em O Cozinheiro, O Ladrão, Sua Mulher e O Amante e com Emma Thompson Watson [Hermione Granger] na dublagem de O Ratinho Despereaux.

Ele também já foi Mr. Rochester em adaptação de Jane Eyre de Charlotte Brontë em 1997 [que procuro feito doida], o Capitão Frederick Wentworth de Persuasão de Jane Austen em 1995 e Caio Júlio César na série Roma, primeira temporada. Sou quase tão paixonada nele quanto pelo Alan Rickman. Os dois fazem tipos imperturbáveis, impenetráveis, durões e têm voz grave. Não consigo imaginá-lo no papel de um cara que tem, como dizer?… fixação por bodes, mas confio que ele tem talento mais do que suficiente pra convencer.

A nota sobre essa escalação veio do The Leaky Cauldron.

Perfil de Aberforth Dumbledore no site Harry Potter Lexicon

Crédito da imagem
Papel de parece criado pela Saguardo Graphic Arts [neste link tem também Gary Oldman, Jeremy Irons, Alan Rickman e Colin Firth, e seguindo tem Jason Isaacs, Kevin Spacey, Tim Curry... tudo favorito batatal!].

As 10 séries mais marcantes em minha vida

Esta eu vi no blog Só Seriados de TV, da Simone Miletic, e, apesar de sofrer dos mesmos problemas que o Beck na hora de elaborar listas, resolvi que valia a pena tentar mesmo se este post não contar pro concurso do Blog na TV, que vai sortear exemplares do livro Os 10 Mais, da Ediouro. Eis a minha lista pessoal de seriados marcantes em ordem quase cronológica.

1. Bonanza: Meu pai é fã de faroeste, então nem é muita surpresa que o número um da lista seja uma série que eu assistia ao lado dele. Bonanza é um seriado eminentemente masculino [as mulheres morriam como moscas!], seus personagens principais são todos homens, o próprio tema é masculino, mas a moral é universal. O bem vence o mal, espanta o temporal; o azul, o amarelo, tudo é muito belo – ops, trilha errada! Estava em dúvida entre Bonanza e Chaparral, que também assistia com meu pai, mas Bonanza venceu porque sempre tive uma queda por Little Joe Cartwright [o segundo da esquerda pra direita no alto, na foto ao lado].
V. e ouça a famosa música tema na abertura no Youtube.
Chaparral é reprisado no canal TCM todos os dias às 11h e 21h e Bonanza na Rede Brasil, apenas em São Paulo/Capital e ABC.
DVDs da série disponíveis no mercado brasileiro.

Continue lendo