Pequenas atitudes

Três quadrados, amigo, três quadrados! (Novo dispenser "verde" de papel higiênico garante menos desperdício)

Imagem: I Can Has Cheezburger

Roubei a “pauta” deste post da Sam Shiraishi, mas tenho a impressão que ela não vai ficar brava. 😉 A ideia é compartilhar atitudes sustentáveis que podemos adotar em casa no dia a dia, praticamente indolores. A Sam fotografou três que a família dela adota lá em SP/Capital:

1. carregar sacolas retornáveis [as ecobags];

2. não descartar óleo de cozinha usado na pia;

3. reduzir o consumo de descartáveis.

Os detalhes estão lá no post dela, valem uma lida.

Aqui em casa usamos as três dicas já faz um tempinho: além de ecobags e furoshikis, sempre que possível usamos o serviço de entrega a domicílio dos supermercados, isso diminui a quantidade de sacolas plásticas. As sacolas destinadas ao acondicionamento de alimento são obrigatoriamente feitas a partir de matéria-prima virgem, não podem ser feitas a partir de reciclagem, então quanto mais se evitar melhor.

O óleo eu já comentei, né, que vira sabão caseiro, mas além disso a prefeitura recolhe junto com o lixo reciclável. Quanto ao uso de descartáveis, dona mãe nunca apreciou-os muito mesmo…

E para compartilhar aqui vão minhas três contribuições ao debate:

1. sempre que possível, optar por produtos que tenham refil: em cosméticos, higiene e limpeza está ficando mais fácil achar produtos com embalagem refil, que usam menos matéria-prima e são recicláveis [além de baratear o orçamento, hehehe];

2. reusar: um dos três Rs [reduzir, reutilizar e reciclar] da sustentabilidade. Uma parte do lixo reciclável de casa vai pra oficina de artesanato do Centro de Assistência Psico-Social da cidade [e depois a gente ainda compra o artesanato deles, hahahaah!], uma parte da sacolas plásticas vai pra horta do Centro Espírita [por mais que economizemos, ainda sobra mais sacolas do que usamos para descartar o lixo];

3. evitar imprimir documentos: o provedor de inFernet que uso passou a emitir fatura eletrônica [assim como a SKY já faz], o que permite pagar online sem usar nenhum pedaço de papel. [Tá certo que quem for imprimir vai gastar duas folhas de papel por causa da configuração comercial do boleto, mas já dei a dica lá e parece que vão corrigir pro próximo mês]. E quando faço o pagamento online salvo o comprovante em PDF ao invés de imprimir.

É pouco? É. Vai resolver o problema do mundo? Nem de longe, mas fico com as palavras de Ryan Hreljac [grifo meu]:

“Eu adoro ouvir mais exemplos de pessoas que apenas fizeram o que elas queriam fazer e não ligaram se não iriam resolver o problema todo ou não iriam fazer o maior impacto sobre o mundo, mas foram ingênuas o suficiente para fazer o que eu fiz quando eu tinha seis anos. E é incrível o que pode acontecer ao longo do tempo.” [Ryan Hreljac, via Papo de Homem]

Momento obsessivo-compulsivo: sacolas plásticas

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

PegaPet: alça de papel kraft da 1900 Pizzeria

A rede de pizzarias paulitana 1900 esá a abandonar o uso de sacolas plásticas nas entregas. Em 2008 eles adotaram essa solução simples, barata e genial para carregar garrafas de água, suco ou refrigerante: uma alça feita de papel kraft  que se adapta a qualquer garrafa. As sacolas de papel não são ideais para essas garrafas porque a condensação de água provocada pela bebida gelada pode rasgar o papel, mas para a entrega de outros produtos a empresa já está a substituir as de plástico também, desde o ano passado.

Anturdia vi uma reportagem sobre um supermercado carioca que começou a trabalhar com sacolas plásticas mais reforçadas para evitar ter que colocar uma dentro da outra [uso dobrado] e com informações em letras enormes para evitar o abuso. Mesmo assim, a repórter flagrou uma mulher colocando sua comprinha em duas sacolas. A mulher disse que colocar uma dentro da outra é mais confortável pra carregar. Quando a repórter perguntou “e o meio-ambiente?” a mulher fez uma cara de “f*da-se o meio-ambiente” que tive vontade de socar-lhe a fuça.

[Mas as palavras que lhe saíram da boca foram “fazer o quê, né?”]

Comé aquele ditado mesmo? Quem quer fazer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa.

Na mesma matéria, a repórter encontrou uma senhora toda chique. Na mão direita, uma sacola plástica daquelas reforçadas; na mão esquerda uma ecobag de algodão estampada “I [coração] the [Terra]”, ambas lotadas de compras. É isso o que a outra não entendeu: se todos fizessem uso consciente, não precisaria chegar ao cúmulo de ter de proibir.

[A dica sobre a PegaPet eu roubei da Simone Miletic.]

Continuar lendo

Domingueiras

Não tinha posto reparo antes: as camisetas Crer Para Ver da Natura são feitas com 50% de garrafas PET recicladas.

Eu já dormi em Z, N, C, Q, V, Y, T, X, F, só pra não atrapalhar o sono dos gatinhos quando resolvem dormir na minha cama.

Tem um comentarista do jornal local na rádiA de Pedra Lascada que, toda vez que começa a falar, meu ouvido seletivo desliga.

As casas populares construídas no Estado de SP são registradas no nome da mulher. Isso já faz tempo, se não me engano começou numa das administrações do Covas. Agora as casas populares também são entregues com aquecedor solar.

Estava a olhar uma revista de moda quando vi uma foto bem legal: a modelo com carão de intelectual com um livro enorme na floresta. O livro devia pesar mais do que ela, mas não é isso o que vem ao caso, achei legal a ideia de modelo que lê. Daí tentei ler o título do livrão e não consegui, o que estranhei caus que estava em letras enormes na foto.

Só então percebi que a modelo segurava o livro de cabeça pra baixo.

Da coluna semanal do Professor Ivo:

6. Use minúsculas na designação de festas pagãs: bacanais, saturnais, carnaval; e maiúsculas pra designar as festas cristãs: Natal, Páscoa, Quaresma, Reis, Finados, Corpus Chris­ti, Semana Santa, Ressurreição;

Gente, nem a gramática é laica.

Que triste ler “personaJens” nas chamadas do canal Warner.

Em tempos de Lei Maria da Penha, será que Nervos de Aço do Lupicínio ainda seria bem aceita?

Ontem experimentamos o Boi na Caracu da Adrina. Com o que sobrou do abacaxi da farofa rolou também o bolo invertido. Tou jiboiando até agora, de tanto que comi. E o jeito que ela escreve as receitas é outra delícia!

Muitos anos atrás, ainda no velho PdUBT, Emerson e eu discutíamos as causas prováveis de uma série de mortes súbitas de jogadores de futebol dentro do campo. Lembra desses casos? Uma das hipóteses que mencionamos foi algum vírus transmitido pelo cuspe dos jogadores.

Na época não imaginamos que essa brincadeira era, na verdade, uma premonição.

Antes tarde. Eu jurava que Christopher Lee já era Sir faz tempo mas parece que não, só agora ele recebeu o título. Como dizem os mais xófens: demorô!

O post mais equilibrado que eu li a respeito do caso Roman Polanski foi o da Gabi Bianco, no blog Casa da Gabi. Simples, direto ao ponto.

A respeito do caso da estudante da Uniban eu gostei deste post de Túlio Vianna.

Atuaização: e deste da Marjorie [dica roubada da Adrina].

Uma vez eu perguntei para que serve um narrador esportivo. O Everaldo Marques, da ESPN, sabe. E é legal dar valor.

A dupla sertaneja César Menotti e Fabiano regravou “A Carta” do Tremendão. Eu prefiro imensamente [1] a versão original e [2] a do Renato Russo, mas reconheço que é legal relembrar música boa.

Na primeira frase acima o verbo concorda com a expressão “a dupla”, né? Que siginifica dois mas é singular.

Tá bom, essa regravação já tem mais de ano; é que eu não ouço César Menotti e Fabiano habitualmente. Tem que me obrigar.

Erasmo Carlos & Renato Russo – A Carta

Continuar lendo

Alguém me explica…

… o que raios pretende essa propaganda com selo do governo federal e do Banco do Brasil mandando escolher o 3?

Será uma mensagem subliminar? Ouvi de ouvido que teria outro plebiscito em 2007, mas já vai agosto pelo meio e nenhuma movimentação. Então, qual é a opção 3?

Atualização: Karla mandou bem nos comentários.
“Lu, não sei quem inventou, nem achei muita graça: o 3 significa a soma do 2+1 da Agenda 21, um programa de sustentabilidade que será desenvolvido pelo Banco.
Acho que hoje à noite no intervalo do Fantástico aparecerá a explicação.”

K., sem graça e forçando a barra, esse do 2+1… Cabei vendo numa propaganda de página inteira na IstoÉ, depois do seu comentário, o que vai me poupar de ter que assistir o Fantástico [LOL!!]. Senquis, flor!